Estação 101 Hotéis diversifica suas fontes de receita

Hotel Estação 101 - Antônio Thomé e Alex PassosThomé e Passos: os dois hotéis da rede têm boa demanda corporativa

O Hotel Estação 101, localizado em Itajaí (SC), nasceu com o intuito de atender ao público corporativo. Após seis anos de funcionamento, o empreendimento conseguiu diversificaras fontes de receita. Com quatro restaurantes abertos ao público e cinco salas de eventos, o hotel vem mudando para receber mais lazer e eventos sociais. 

Segundo Antônio Thomé, gerente Comercial do Estação 101 Hotéis, a área de A&B (Alimentos & Bebidas) já representa 40% do faturamento do hotel. São quatro espaços gastronômicos disponíveis aos hóspedes e passantes: a Churrascaria Estação 101; Restaurante Executivo; Estação Café e Loja de Conveniências. São, ao todo, 288 assentos disponíveis. 

Já o centro de eventos gera 20% da receita total do hotel. De acordo com o gerente, casamentos e formaturas tomam a agenda das salas, onde a maior tem capacidade para 160 pessoas. Ainda para atrair mais o público de lazer, o hotel revitalizou seus equipamentos e implementou pacotes especiais, focados na gastronomia local

Ainda assim, em termos de hospedagem, o perfil do público da unidade de Itajaí continua majoritariamente corporativo, representando 60% dos clientes. “Nossa demanda corporativa é criada pelo Porto de Itajaí e pelas indústrias da região”, conta Alex Passos, coordenador de Marketing da rede. Os turistas vêm principalmente das cidades de São Paulo, Londrina (PR) e Porto Alegre. Já os 40% de lazer vêm principalmente de Curitiba por causa da rota turística de Balneário Camboriú e Beto Carrero World.

Hotel Estação 101: Brusque

A segunda unidade da Estação 101, aberta em novembro do ano passado, está localizada em Brusque (SC). Com 54 quartos, a unidade tem em sua infraestrutura academia, piscina e duas salas de eventos.

Diferentemente do "irmão mais velho", o hotel atende a um público dividido quase que igualitariamente entre corporativo e lazer. Segundo Thomé, no caso de Brusque, o fluxo corporativo é causado pelas indústrias do polo têxtil da região. Para lazer, a maior frequência são de grupos religiosos.  

(*) Crédito da foto: Vinicius Medeiros/Hotelier News 

Comentários