Estudo da HotelInvest faz projeções para o mercado em 2020

HotelInvest - Perspectivas 2020_Pedro CyprianoCypriano: bom momento para o mercado acelerar a recuperação de preços

Não resta dúvida: há um otimismo que não se via há alguns anos na economia brasileira. Tal perspectiva, como mostrado em reportagem anterior, deve se refletir positivamente na hotelaria, que depende da melhora dos resultados para ficar ainda mais atrativa para investidores. Agora, na prática, o que isso representa? Quantos hotéis serão abertos em 2020? Quais praças têm maior número de inaugurações? Como será o desempenho do mercado? A HotelInvest preparou um documento bastante completo com estimativas para o desempenho da indústria de hospedagem este ano.

Escrito por Pedro Cypriano e Fernando Caramel, Consulting Partner e Consulting & Valuation da HotelInvest, respetivamente, o relatório Perspectivas 2020 – Nova oferta e desempenho Hoteleiro no Brasil foi divulgado essa semana. O documento cruza dados do estudo Panorama da Hotelaria Brasileira, também da HotelInvest, com números atualizados das principais redes nacionais – em diferentes praças – fornecidos pelo FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil).

HotelInvest: alertas importantes

Segundo o estudo, 74 hotéis serão abertos em 2020 no país, com aporte aproximado de R$ 2,8 bilhões. No total, a oferta hoteleira nacional ganhará 10,7 mil novos quartos de 35 marcas e 21 redes hoteleiras (nacionais e internacionais). As aberturas representam também 50% de todos os empreendimentos em construção no Brasil até 2024. Mesmo com os números relativamente modestos, que indicam uma expansão ainda gradual, Cypriano faz dois alertas importantes. “A primeira é que o estudo não considera a abertura de hotéis independentes, que são mais difíceis de mapear”, observa.

HotelInvest - Perspectivas 2020_info1

Já a segunda é que o recorte de 2020 ainda não reflete o otimismo atual dos investidores pelo mercado hoteleiro. “Todos esses hotéis foram concebidos ainda durante o período de crise econômica”, destaca Cypriano, lembrando que o tempo de maturação de projetos hoteleiros no Brasil costuma chegar a cinco anos, incluindo licenças, funding e a construção, contra até três em mercados mais maduros. “Dessa forma, com esse ambiente econômico mais favorável e o incremento pequeno de oferta, 2020 deve ser um ano de intensificação no crescimento de desempenho do setor”, completa.

Explicando em miúdos, esse cenário de poucos novos apartamentos somado à economia em recuperação deve levar a um aumento de pressão de demanda. “E, consequentemente, crescimento da diária média”, acrescenta Cypriano. De acordo com o estudo, há potencial de aumento de RevPAR próximo a dois dígitos em valores reais em 2020. “Olhando a recuperação do setor, que começou em 2017, a ocupação já está novamente em patamares positivos. Agora é o momento ideal para acelerar a recuperação de preços”, complementa.

O estudo prevê, para 2020, uma ocupação de 66%, bem como alta de 5% na diária média frente a 2019. Outra boa notícia é que, com a recuperação da economia, diárias corporativas (negociadas) também voltem a crescer.

HotelInvest - Perspectivas 2020_info2

Para ter acesso ao estudo completo, acesse https://bit.ly/2sSmzzn.

(*) Crédito da capa: Kevin Angelsø/Unsplash

(**) Crédito da foto: Divulgação/HotelInvest

(***) Crédito dos infográficos: HotelInvest 

Comentários