Fabiana Leite fala sobre carreira e experiências na RCI

fabiana leite - rciFabiana está na RCI há 18 anos

Executiva com 18 anos de casa, Fabiana Leite assumiu – em maio passado – a liderança da operação brasileira da RCI (Resort Condominiums International). A promoção da profissional, que até então atuava como gerente de atendimento a empreendimentos, foi um desdobramento de uma alteração organizacional. Foram essas mudanças também as razões que a fizeram ganhar novas atribuições e reforçar algumas convicções, entre elas a evolução do mercado de multipropriedade e a certeza de que o timeshare se desenvolve a partir da educação sobre o conceito.

"O intercâmbio de férias [uma das principais ramificações do negócio da RCI] é um processo de educação eterna para o público comprador", defende Fabiana. De acordo com ela, os anos de empresa esclareceram que a capacitação contínua é condição sine qua non no ramo. A compreensão faz sentido à medida em que lembramos que produtos como fractional e timeshare, por exemplo, foram introduzidos no mercado brasileiro há menos de 30 anos.

A valorização à instrução e aos treinamentos aparecem como herança da experiência internacional que a profissional teve em seus anos de empresa. De 2005 a 2011, a dirigente esteve numa missão no Uruguai, onde desenvolveu um processo de expansão da empresa, à época mais focada em ações de marketing, departamento em que mais atuou. "Voltei por questões pessoais mas permaneci na companhia", lembra.

A desenvoltura com ações ligadas ao marketing são outro resquício do passado. Fabiana é formada em Administração, o que, segundo ele, ampliou sua visão de mercado e poder de negociações. Antes disso, no entanto, trabalhou em lojas de shopping e compreendeu sua aptidão "marketeira". "Acho que desde pequeno nos preparamos para o que vamos fazer", teoriza.

Mas a educação da qual fala a executiva não está direcionada apenas ao público final. Vale também para meios de hospedagem, que podem encontrar no timeshare uma maneira de preencher períodos de ociosidade e melhorar seu faturamento, e para introduzir formatos em ascensão. 

"O timeshare já se consolidou como uma ferramenta importante. O que vimos crescer bastante este ano, no entanto foram os projetos de factional, que é um cenário mais aquecido que o próprio compartilhamento de férias", pontua. Nesse contexto de mercado, Fabiana lembra da reformatada lei da multipropriedade. O texto foi aprovado no congresso em novembro e teve participação do mercado do turismo em sua elaboração.

Fabiana Leite: 2018 e 2019

No ano em que assumiu a liderança brasileira da corporação, a profissional contou com bons resultados. Ao final de 2018, foram 12 novas parcerias concretizadas. Isso faz com que a lista de afiiados à empresa suba para 235.

E para o ano que se inicia as projeções são igualmente otimistas. "O crescimento permanece e estamos positivos para 2019", diz.

(*) Crédito da foto:Divulgação/RCI

Comentários