Fairmont Royal York: maior hotel de Toronto (Can)

 
Benvindo a Toronto, a maior cidade do Canadá
(fotos: Christiane Kokubo)
 

A viagem começa na estação Bonaventure, em Montréal, no Canadá. O trem da Via Rail parte com destino a Toronto, a cidade mais populosa do país. Durante seu percurso, muitas vezes beira o Rio São Lourenço até chegar ao lago Ontário, o menor dos cinco Grandes Lagos entre o Canadá e os Estados Unidos, onde, mais ao sul, encontramos as belas Cataratas do Niágara. Após aproximadamente cinco horas, o trem pára na Union Station e basta atravessar a rua para chegar ao suntuoso Fairmont Royal York, no centro de Toronto, que a equipe do Hôtelier News conheceu.

 

 

Por Christiane Kokubo*

 

Union Station: bem em frente ao Fairmont Royal York

 

Pela fachada já podemos perceber sua grandiosidade 
 
O Royal York é o hotel mais suntuoso de Toronto. Inaugurado em 11 de junho de 1929, causou frenesi quando foi construído, já que por um longo tempo foi o mais alto prédio de todo o Commonwealth inglês. Os jornais da época anunciavam: “(...) maior hotel do Império Britânico, o Royal York será de uma grandeza fora de série (...). Qual natural ele estar localizado em Toronto, cidade líder da importante província de Ontário.”
  Preparação do banquete para a festa de inauguração do hotel, em 11 de junho de 1929, e festa de Natal do staff, em 1948

 

   A Rainha Elizabeth ainda era princesa nesta foto tirada em 1951. Sempre que ela visita Toronto, se hospeda no Royal York. Sua passagem mais recente pelo hotel foi em 2002

 

 
A grandeza dos dias em que o Canadá era colônia inglesa continua no hotel de hoje. Das 1.365 unidades habitacionais, 191 são suítes, 82 são Fairmont Gold e 800 são unidades equipadas para turistas a negócios. Os 1,2 mil colaboradores dão conta do recado e garantem ambiente aconchegante com excelente serviço. Muitos deles estão no estabelecimento há mais de uma década e não pensam em trabalhar em outro lugar.
 

 

  No segundo andar, uma galeria expõe fotos da trajetória do Royal York. O jornal da empresa anuncia, orgulhoso, detalhes da inauguração

 

Bem em frente à estação de trem que recebe todas as locomotivas que chegam a Toronto, o Royal York causa surpresa: o prédio é grande e o letreiro no topo, em luzes vermelhas, confirma que chegamos ao lugar certo. No lobby, sofás, tapetes, lustres e um relógio antigo. Tudo bastante luxuoso.

 

Quem chega de trem dá de cara com o hotel ao sair da estação
 
 
A unidade ocupa um quarteirão inteiro e tem duas entradas laterais...

 

...e uma principal, na Front Street

 

  Ao subir os degraus, o hóspede dá de cara com um relógio antigo e um grande lobby. A recepção está à direita da escada

 

Lobby visto do mezanino

 

  Muitos lustres, tapetes e sofás. O teto, todo em madeira, é repleto de detalhes talhados

 

 

Os elevadores servem os 28 andares, 18 deles com UHs. Os hóspedes podem escolher entre dez tipos de quartos diferentes, do Fairmont Room à Royal Suíte, com diárias que vão de US$ 179 a US$ 2 mil. Todas oferecem ar-condicionado com controle individual, rádio-relógio, roupões de banho muito macios, televisão a cabo, cafeteira, secador de cabelos, ferro e tábua de passar roupas, minibar, janelas que podem ser abertas e facilidades para quem viajou a trabalho, como acesso à internet (não está incluso na diária).

  A recepção e, no meio do lobby, o balcão do concierge

 

Seis elevadores servem os andares

 

A cama Fairmont: conforto garantido

 

  A decoração dos quartos segue o padrão da rede, com a lareira para os dias de frio canadense

 

A sala de reuniões de uma das UHs...

 

  ...e a vista que se tem da baía de Toronto a partir do hotel. À direita, a famosa CN Tower, marco turístico na cidade

 

 
No andar térreo, próximo ao lobby, lojas vendem jóias, objetos típicos canadenses e obras de arte. O business center oferece fax, telefone, scanner, impressoras e computadores com acesso à internet. O Library Bar e o restaurante Epic, que em 2007 recebeu o VQA Restaurant Award of Excellence, da Wine Council of Ontario, encontram-se no mesmo andar.O Epic oferece um cardápio que combina ingredientes locais com o toque da culinária francesa das mãos do chef Jean-Charles Dupoire. Parte dos ingredientes usados em seus pratos são produzidos diretamente no alto do hotel, onde uma horta orgânica é cultivada.
  
 
 No Balzac Fine Arts, obras de arte incluem esculturas dos povos autóctones canadenses, como os inuits - povo que vive no meio do gelo a vida inteira
 

  Jóias, quadros, enfeites e vinhos estão à venda

 

  Uma tabacaria com charutos e jogos de tabuleiro encontra-se próxima ao lobby

 

  Soldadinhos de chumbo em simulação de uma batalha da história do Canadá

  O Xerox Business Centre funciona das 7h às 22h durante a semana e das 10h às 18h aos sábados e domingos

 

Internet rápida nas estações de trabalho individuais

 

  Entradas do Epic e do Library Bar

 

 

Tivemos a oportunidade de saborear o café da manhã, o chá da tarde e o jantar do Epic. Os três foram primorosos no sabor e no serviço. Depois do chá da tarde, fizemos um tour pela horta no alto do hotel tendo uma de suas colaboradoras, Leanne Harrison, como guia. Aliás, o chá seguido do tour já virou um dos programas turísticos da cidade. Aos finais de semana é necessário reservar se quiser garantir lugar.

 

 

  Do menu de águas, com mais de dez opções, escolhemos a Acqua Panna, das montanhas da Toscana, na Itália. Pães e um fois gras acompanhado de geléia foram as primeiras degustações...

 

...seguidas de Dynamite Sushi e Sashimi de atum

 

  Depois da Salada verde orgânica, um Filé de peixe com aspargos

 

Cogumelos Portobelo acompanham o Pimentão recheado com arroz e legumes servidos sobre uma folha especial

 

Para finalizar, quatro vinhos harmonizados com quatro chocolates de diferentes países: Porto Tawny com Venezuela, Porto Vintage com Papua Nova, Bourbon Kentucky com Madagascar e Scotch Single Malt com Santo Domingo

 

  O salão do Epic, onde encontra-se também o Bar Epic. Flores naturais decoram as mesas

 

O cardápio do chá da tarde inglês, servido das 14h30 às 16h

 

Batizado como The 1907 Centennial Tea, traz quitutes de dar água na boca

 

  Mohammed Naz saiu do Paquistão há 30 anos para tentar a sorte no Canadá. Há 22 anos trabalha no Royal York e está satisfeito: “aqui o trabalho em equipe é muito importante. Somos um time que dá certo.” Qihui Ouyang é chinês e está há seis anos na equipe do hotel, um ano a menos que seu colega, o francês Pascal Giovanetti

 

Jacob Luksic, gerente de Alimentos & Bebidas do Royal York, nos recebeu para o jantar

 

  Leanne Harrison, assistente de Relações Públicas, nos explica sobre a horta no topo do hotel

 

 
O Royal York tem acesso direto à Path, cidade subterrânea de Toronto com lojas, restaurantes e outros serviços. No subsolo do hotel, localiza-se uma das entradas para o Benihana, restaurante japonês. E próximos à entrada do estabelecimento, fotos de unidades Fairmont espalhadas pelo Canadá decoram as paredes. Inicialmente, os hotéis da Canadian Pacific, antiga administradora do empreendimento e hoje incorporada à Fairmont Hotels & Resorts, foram construídos acompanhando a linha de trem que cortava o país. Por isso, as unidades estão nas mais belas paisagens, aquelas de fotos de calendário que a gente nunca sabe onde são.
 

 

  Pelo hotel é possível chegar diretamente à Path

 

Uma das entradas para o Benihana está no subsolo do Royal York. A outra, dá para a rua

 

As fotos mostram algumas propriedades Fairmont em território canadense

 

No hotel, o hóspede encontra academia, piscinas coberta aquecida, infantil e com hidromassagem, saunas e spa. As piscinas foram construídas durante a última grande reforma pela qual o empreendimento passou, entre 1988 e 1994.Já na área de eventos, um time especializado organiza casamentos e festas. Para as reuniões e congressos, as salas localizam-se no mezanino do hotel, onde também está o Heritage Hall, com fotos de marcos importantes da história do Royal York. O 19º andar também é dedicado aos encontros e conta com salas para reuniões e facilidades de alimentos & bebidas, além de uma bela vista da baía de Toronto.

 

Piscina aquecida coberta à disposição dos hóspedes

 

  Uma pequena com hidromassagem e outra para crianças

 

Academia para quem quer se exercitar...

 

...e sala preparada para reunião no 19º andar. Grande parte dos espaços para eventos tem nome de províncias do Canadá

 

  O hotel possui facilidades para deficientes físicos

 

 
A maior parte dos hóspedes é representada por pessoas a negócios nos dias de semana e a lazer aos sábados e domingos.Bill Clinton comemorou seu aniversário no hotel e praticamente toda a família real inglesa já se hospedou no Royal York, incluindo as rainhas Elizabeth e Elizabeth II, o príncipe Charles, o rei Jorge VI e o duque de Windsor. Estrelas de Hollywood também estão na lista dos famosos que já dormiram no hotel, que é set de filmagens de produções norte-americanas. Toronto pode ser “disfarçada” de Nova York ou Los Angeles sem muita dificuldade e custa bem mais barato filmar por lá que nas cidades dos Estados Unidos.
 

  Letreiro próximo a uma das entradas laterais do hotel e a vista do alto da CN Tower. Os trens da Via Rail estão estacionados em frente, na Union Station

 

O Fairmont Royal York está localizado no centro financeiro de Toronto, com fácil acesso ao metrô, a linhas de ônibus e à baía no lago Ontário
 
O Fairmont Royal York impressiona pelo tamanho e pela qualidade dos serviços e produtos. Mesmo com prédios mais altos hoje na cidade, ele continua marcando a paisagem e sendo referência da boa hospitalidade de Toronto, que acolhe muito bem turistas e imigrantes. As carruagens conduzidas por cavalos nos anos 40 deram lugar aos carros de hoje, mas o hotel continua lá, ostentando sua grandeza de sempre.
 

Do hotel é possível avistar a CN Tower, um dos mais conhecidos cartões postais da cidade. Com 447 m de altitude é o maior observatório do mundo 

  No verão, a cidade fica repleta de festivais, turistas e artistas de rua do mundo inteiro. Esse aí veio do Japão para apresentar sua performance

 

  O Kensignton Market é um bairro alternativo de Toronto, com lojas, restaurantes e bares diferentes, como esse onde a banda toca para o público de dentro e para os pedestres. Fica bem próximo à Chinatown, terceira maior comunidade de chineses da América do Norte
 
 
Esta é a vista do alto da CN Tower. O chão de vidro é um pouco assustador para quem tem medo de altura. Ao lado, a vista que se tem do agradável parque Toronto Island

 

A cerca de uma hora de Toronto encontramos as famosas e impressionantes Cataratas do Niágara

 

  De um lado (esquerda), as quedas americanas. De outro, as canadenses que, olhadas por cima, têm forma de ferradura de cavalo

 

 
 

O barquinho Maid of Mist chega bem perto das quedas. É um passeio emocionante

 
Cerca de 50% dos habitantes de Toronto, atualmente a quinta maior cidade da América do Norte e uma das campeãs mundiais em qualidade de vida, nasceu fora do Canadá, índice impressionante que mostra o quanto a cidade está aberta aos estrangeiros e turistas. O Royal York foi um dos primeiros hotéis a recebê-los e sempre está pronto para aqueles que quiserem voltar. Serviço

Fairmont Royal York

100 Front Street West

Toronto, Ontário, Canadá

M5J 1E3

+1 416 368-2511

www.fairmont.com

 

*A reportagem do Hôtelier News viajou a Toronto a convite da Via Rail e do Toronto Tourism, órgão oficial de turismo da cidade, e se hospedou no Fairmont Royal York a convite do hotel

Comentários