Fecomércio RJ indica que intervenção federal reduziu perdas no turismo em 2018

Em meio ao nevoeiro, Rio tenta retomar atividade turística

A Fecomércio RJ avalia que houve melhora no turismo carioca em 2018. A análise se baliza em levantamento da CNC (Confederação Nacional do Comércio) sobre os impactos da violência no estado. De acordo com o levantamento, a intervenção federal na segurança pública da capital, que começou em fevereiro de 2018, foi decisiva.

Análise da CNC revela retração de 0,1% no setor de serviços em 2018. Mais especificamente, levantamento de 2017 indicou que o turismo perdeu R$ 657 milhões por causa da violência. Esse valor foi o equivalente a 29% do faturamento do setor no período. 

Para a Fecomércio RJ, a intervenção federal foi responsável pelo cenário de melhora. Segundo a análise, a presença do Exército promoveu redução de R$ 257 milhões nas perdas do turismo. Com a queda sensível dos índices de criminalidade, o setor vê com otimismo a perspectiva de melhora para 2019. 

“O Rio entrou em uma situação difícil, e não deve sair tão rápido. O levantamento, apesar de mostrar que a violência ainda afeta os serviços, não quer dizer que o turismo deixou de faturar. Em 2018, já observamos aumento da confiança dos turistas, que devem continuar a voltar para o destino. A ocupação na capital está em uma crescente desde o fim de janeiro”, afirma Alexandre Sampaio, presidente da FBHA (Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação)

Fecomércio RJ: segurança pública

Além disso, para Sampaio, o Carnaval será um marco para sentir o mercado. “Projetamos um Carnaval positivo para o Rio. Na segunda-feira (18), sairá estudo prevendo a movimentação do turismo no Carnaval do Brasil todo, mas antecipamos o resultado do Rio de Janeiro para mostrar ao trade que o cenário será favorável”, ressalta.

Dada a importância das atividades ligadas ao turismo para a economia, a Fecomércio RJ mantém diálogo com o governo fluminense. Em nota, a entidade afirmou que conversa com a Setur-RJ (Secretaria Estadual de Turismo do Rio de Janeiro) para elaborar políticas de fomento ao setor. 

Em paralelo, visto que os índices de violência impactam diretamente no setor, “a discussão de estratégias para melhora na segurança pública também faz parte da pauta da Fecomércio RJ com o poder executivo”, diz a federação, em nota. Em linha com esse discurso, a entidade promoveu, recentemente, um seminário sobre o tema.

(*) Crédito da foto: Robert Nyman/Unsplash

Comentários