FHAN 2018: "A tecnologia não pode substituir nossos sentimentos", diz Chieko Aoki

De Olinda, Pernambuco

Chieko Aoki iniciou o ciclo do segundo dia do Fórum 

Chieko Aoki abriu o segundo dia do ciclo de palestras do FHAN (Fórum de Hospedagem e Alimentação do Nordeste) com o tema "Desafios da Hotelaria". Ontem, palestraram, Martha Gabriel, os consultores da Guersola e especialistas da Amarante Hotéis. O Fórum acontece dentro da primeira edição do HFN (Hotel & Food Nordeste), feira que ocorre até a amanhã (5) no Centro de Conveções de Pernambuco, em Olinda, na Região Metropolitana de Recife. 

Chieko iniciou sua palestra indo direto ao principal ponto da hospitalidade. “No Japão, que faz parte da minha existência e cultura, servir o cliente é algo muito honroso. Por isso que adotamos o conceito da Hospitalidade Omotenhashi na hotelaria Midscale em nossos hotéis. Com essa filosofia procuramos atender o cliente com a atitude do mais puro acolhimento”, disse a palestrante. 

Segundo Chieko existem três pontos importantes na hospitalidade. “Primeiro, precisamos perceber as pessoas, depois entende-las e finalmente se colocar no lugar delas. Precisamos ter uma atitude positiva e sempre agir com o coração”, ensinou. 

Como exemplo, ela citou a frase de William Jones: “A natureza humana mais profunda é a necessidade de sentir-se importante e apreciado”. “Se isso é verdade, então o espírito de servir precisa ser absoluto”, enfatizou.

Chieko Aoki: hospitalidade brasileira

Qual é o espírito de bem receber no Brasil? Como é a hospitalidade neste país? “Somos especialistas em bem receber. Recebemos com alegria, espontaneidade e acolhimento. Isso já nos faz sair na frente. Mas é preciso ter técnica”, respondeu as suas próprias colocações a presidente da Blue Tree. 

Outra frase aplicada na sua apresentação foi a da Madre Teresa: “Não deixe jamais que alguém que achegou-se de ti vá embora sem sentir-se melhor ou mais feliz”. “Se temos a oportunidade em conhecer alguém devemos fazer o nosso melhor para que ela receba uma energia positiva e saia mais feliz possível. Esse é o verdadeiro espírito do acolhimento”, disse Chieko. “O se importar precisa ser demonstrado em ações. Ter atitude é agir para fazer o outro se sentir melhor”, completou. 

Sobre procedimentos, a “Dama da Hotelaria" disse que sair deles é algo válido. “Mas desde que essa quebra de regras seja em benefício do próprio hóspede. Esse ato de delegar precisa de muito treinamento para dar certo. E treinamento faz parte do dia a dia de um hoteleiro. Capacitar sempre. Assim podemos antecipar as necessidades e criar soluções para os hóspedes sem termos a necessidade de estar no hotel”, salientou. 

Finalizando sua apresentação, Chieko referiu-se a tecnologia. “Com toda a tecnologia que estamos vivenciando nesses dias, precisamos estar atentos ao lado humano. Não podemos achar que ela irá resolver tudo. Sem o lado humano, não haverá laços, e os laços são muito importantes para a nossa existência. Falei do coração, não falei? É isso a tecnologia não pode substituir nossos sentimentos”, encerrou.

(*) Crédito da foto: Peter Kutuchian/Hotelier News

Comentários