Governo de SP renova quarentena até 30 de julho e afirma que pandemia atingiu platô

quarentena - spBares e restaurantes estão em processo de reabertura na capital e região metropolitana

Foi anunciada hoje (10) a renovação da quarentena no estado de São Paulo até o dia 30 de julho. Apesar da flexibilização das medidas de isolamento social, o governador João Doria afirmou que a pandemia atingiu o platô em todo o território paulista. As informações são da Reuters.

“Estamos ingressando em uma fase de platô no estado de São Paulo. Depois de um longo período enfrentando o pico —não apenas na capital de São Paulo, mas em todo o estado —, agora estamos ingressando no platô”, disse Doria durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual. “Isto não significa relaxamento”, acrescentou.

Na fase amarela da flexibilização, a região metropolitana da capital paulista poderá reabrir bares e restaurantes, em horário reduzido, como já vinha sendo feito em São Paulo e os municípios do ABC Paulista e Sudoeste da região metropolitana. Estão na fase mais restritiva, na qual somente as atividades consideradas essenciais podem operar, as regiões de Campinas, Ribeirão Preto, Franca e Araçatuba.

O prefeito da capital, Bruno Covas, disse que o governo municipal assinará nesta tarde o protocolo para que as academias de ginástica da capital voltem a operar a partir de segunda-feira (13). Na véspera, ele havia anunciado que 70 dos 108 parques municipais da cidade também reabrirão, mas somente aos dias de semana.

Quarentena: números do estado

São Paulo é o estado mais atingido pela Covid-19 no país, com 359.110 casos e 17.442 mortes, de acordo com dados divulgados pelo governo paulista hoje. Além disso, as regiões da Baixada Santista e do Vale do Ribeira também entraram na mesma fase da capital.

Pela nova atualização, numa mudança em relação à anterior, a maior parte do estado entrará na fase em que é permitido o funcionamento do comércio de rua, de shoppings centers, de escritórios e concessionárias de veículos.

(*) Crédito da foto: Divulgação/Governo do estado de São Paulo

 

Comentários