Grand Hyatt Rio de Janeiro é certificado por ações sociais e sustentáveis

Grand Hyatt Rio de JaneiroAções sustentáveis e sociais são foco

Ações de cunho socioambiental se tornam cada vez mais relevantes no setor hoteleiro. No hall dos hotéis que são reconhecidos pelo tema entra oficialmente o Grand Hyatt Rio de Janeiro. Em seu segundo ano de operação, o empreendimento já garantiu três feitos importantes: ABNT 15401, selo de Eficiência Energética da Procel e a valiosa certificação Leed (Leadership in Energy and Environmental Design).

O certificado ABNT 15401 abrange questões socioeconômicas e ambientais. Para atingir este patamar, o empreendimento promoveu atividades em parceria com instituições locais. Na Escola Municipal Dídia Machado Fortes, por exemplo, o hotel realizou uma série de iniciativas em parceria. Destaque para a doação de mobiliário e de livros, bem como o plantio de uma árvore na celebração do Dia da Árvore.

Em outra frente, o Grand Hyatt Rio de Janeiro se associou a entidades locais e internacionais para atender a comunidades do entorno. Durante o período de abertura do hotel, em 2016, o empreendimento se tornou parceiro da Associação Projeto Roda Viva e financiou a construção de espaços para três cursos profissionalizantes: panificação, moda e beleza, além de atividades paralelas. A padaria é responsável pela capacitação de moradores, com vivências na confeitaria da propriedade.

Grand Hyatt Rio de Janeiro: sustentabilidade

Construído dentro da Área de Proteção Ambiental de Marapendi (APA Marapendi), o hotel tem também várias iniciativas ambientais. Além disso, recuperou a vegetação local e mantém parte dela intocada. 

A área do empreendimento está delimitada em três zonas distintas: a Zona de Ocupação Controlada (ZOC), Zona de Conservação da Vida Silvestre (ZCVS) e Zona de Proteção da Vida Silvestre (ZPVS). O hotel foi construído apenas na ZOC, ocupando cerca de 40% da área total.

Na área de reserva ambiental, localizada no entorno do empreendimento, o Grand Hyatt Rio de Janeiro trabalhou em conjunto com especialistas para a análise da vegetação e replantio de mudas de plantas originárias da região, além de fazer limpeza e conservação. Em um ano de funcionamento, já é possível ver o crescimento de espécimes típicos da região como Fedegoso, Folha Dourada da Praia, Pitanga, Pitanga Preta, entre outros.

Além atuar na recuperação da vegetação da área, o investiu na construção de 1,3 mil metros de linha pressurizada de condução de esgoto. A ligação vai do terreno até o entroncamento da Avenida Ayrton Senna com a Avenida das Américas, sendo conectada ao sistema do emissário submarino. A obra foi inteiramente custeada pelos investidores do hotel, sendo doada para a Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro)

Com o projeto, o Grand Hyatt Rio de Janeiro contribuiu de forma expressiva para a redução de esgoto sem tratamento despejado nas lagoas do bairro. Mais ainda, foi possível reduzir em 5% o consumo de água vinda da rede da Cedae.

(*) Crédito da Foto: Divulgação/Grand Hyatt Rio de Janeiro​

Comentários