Hilton divulga balanço anual referente a 2018

No ano que celebrou 99 anos de fundação, a Hilton registrou números expressivos em 2018. A rede norte-americana fechou 2018 com crescimento de 3% no RevPar frente ao ano anterior. Já o Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado chegou a US$ 2,1 bilhões, aumento de 10% na mesma base de comparação. A boa performance financeira resultou no pagamento de US$ 1,9 bilhão em dividendos aos acionistas. As informações integram o balanço anual da Hilton, divulgado hoje (18).

Os números positivos podem, de certa forma, ser explicados pela expansão do portfólio da empresa no ano passado. A Hilton encerrou 2018 com 5.685 propriedades (quase 913 mil quartos) no inventário espalhados por 113 países. No total, foram abertos mais de um hotel por dia, com a adição de 452 unidades ao inventário no ano passado.  

Em paralelo, o pipeline da empresa também cresceu. Segundo o relatório, está prevista a inauguração de 2.403 hotéis (362 mil apartamentos) de 15 marcas diferentes. No total, o número representa, em termos de total de quartos, alta de 6% em relação a 2017.

Hilton: portfólio

Segundo o relatório, a Hampton by Hilton continua sendo a marca com maior número de hotéis no mundo. No total, a bandeira conta com 2.433 unidades pelo mundo, tendo ainda outras 642 no pipeline. Na sequência aparece a Hilton Garden Inn, com 815 empreendimentos e outros 307 com abertura confirmada – um deles no Brasil, em São Paulo.

Hilton - Christopher NassettaPara Nassetta, rede manteve impacto nas comunidades que atende

A Hilton fechou 2018 com aproximadamente 10 milhões de empregados, além de ter hospedado 3 bilhões de clientes. Mais ainda, provocou um impacto econômico estimado de US$ 1 trilhão nas localidades onde atua, informa o relatório. Christopher Nassetta, CEO da rede norte-americana, celebrou os bons números do ano passado.

“Em 2018, nosso 99º ano dentro do setor de hospitalidade, continuamos com o ímpeto de estender The Hilton Effect pelos próximos 100 anos”, afirma Nassetta, no relatório. “Refletindo sobre 2018, a Hilton manteve um impacto positivo nas pessoas e nas comunidades que atendemos, alimentando um forte crescimento e melhora de performance em nossos negócios”, acrescenta Kevin Jacobs, CFO da Hilton.

(*) Crédito da capa: Divulgação/Hilton

(**) Crédito da foto: Jeffrey MacMillan/ Capital Business

Comentários