Hotel-cápsula: moderno, econômico e claustrofóbico

Hotel-cápsulaO Tokyo Ginza Bay é um exemplo dos empreendimentos japoneses

Muitos, só de pensarem na ideia, já suam frio ou caem na gargalhada, com a pretensão de fingir certo autocontrole. Não adianta. A ideia de hotéis-cápsula não combina muito com o jeitinho brasileiro de se portar, ser ou simplesmente dormir. Esse segmento de negócio, contudo, é comum principalmente nas situações em que um simples pernoite resolve, caso de conexões aéreas. México, Japão e Estados Unidos têm vários hotéis desse tipo, assim como o Brasil.

O izZzleep Hotel Aeroporto Terminal 1, na Cidade do México, é um belo exemplo. Chamada de “hospedagem inteligente” pela unidade, o quarto é individual e dedicado única e exclusivamente ao descanso. Para provar, em seu site, o hotel pede que fones de ouvido sejam usados caso o hóspede queira assistir algum programa na TV ou celular. Ou seja, é silêncio acima de qualquer coisa.

Pouco conforto? Que nada. A micro-acomodação traz ainda TV a cabo, wi-fi, ar-condicionado, cofre e closet. O chuveiro, entretanto, é compartilhado e fica nas dependências do hotel. O izZzleep Hotel cobra a cada duas horas, com o valor em torno de 25 pesos mexicanos (R$ 5).

Já no Japão, a cultura de hotéis-cápsula não é novidade. Em uma pesquisa da ONTJ (Organização Nacional de Turismo Japonês) de 2013, foi constatado que o país tinha 1,6 mil acomodações do tipo. As diárias, nesse caso, não são muito diferentes do empreendimento na Cidade do México, ficando entre 2 mil ienes (R$ 70).

Com unidades em Nova York e Washington, a Pod Hotels é o melhor exemplo dentro do segmento de hotéis-cápsula no mercado americano. Ainda assim, a rede vem diversificando um pouco sua atuação. No meio do ano passado, a empresa fez nova aposta, dessa vez com unidades maiores – e no estilo lifestyle. Ainda assim, no mesmo prédio, há opções de micro-apartamentos.

Hotel-cápsula: estrutura

Em média, esse tipo de acomodação possui cerca de 1 metro quadrado (m²), com pequenas variações. No caso do Brasil, como tudo, os hotéis-cápsula são diferentes. Um dos exemplos fica dentro do Aeroporto Internacional de Guarulhos. É o Fast Sleep Guarulhos by Slaviero Hotéis.

Na propriedade, existem dois tipos de acomodação. A primeira, para somente uma pessoa, possui 4 m², oferecendo opção de quarto com banheiro. A segunda categoria, destinada para casais, tem metragem de 6 m², também com opção de banheiro.

(*) Crédito da foto: Tokyo Ginza Bay/Pinterest

Comentários