Hotel da Blue Tree é o primeiro do Brasil a conquistar selo internacional de sustentabilidade

O Comitê Executivo do Blue Tree Premium Verbo Divino entre Herbert Ortiz, presidente do conselho de investidores do empreendimento, e Eliana Ribeiro de Souza, diretora de Hospitalidade Corporativa da rede hoteleira
(fotos: Peter Kutuchian)

O Blue Tree Premium Verbo Divino, localizado no bairro da Chácara Santo Antonio, em São Paulo, é o primeiro hotel brasileiro a conquistar a certificação internacional de sustentabilidade LEED EB-OM, concedida pelo Green Building Council Brasil. 

Para conseguir o reconhecimento, o empreendimento teve que passar por um processo de avaliação que durou 24 meses, além de diversos esforços na adoção de novos processos operacionais. Foram mais de 400 itens medidos e analisados, que permitiram superar o nível mínimo exigido para certificação e alcançar a categoria Existing Buildings: Operations & Maintenance com o selo Silver.

No último sábado (28), a Blue Tree organizou uma coletiva de imprensa para oficializar a certificação. Presentes no evento, Jorge Nishimura, diretor geral da rede, Herbert Ortiz, presidente do conselho de investidores do Blue Tree Premium Verbo Divino, Marcos Casado, diretor técnico da Sustentech, empresa que deu consultoria no processo de certificação, além de Eliana Ribeiro de Souza, diretora de Hospitalidade Corporativa, Silvana Lima, gerente de Vendas, e Mariana Paes, do Marketing, todas colaboradoras da rede presidida por Chieko Aoki, além de investidores, colaboradores e parceiros do hotel.

Em sua apresentação, Ortiz fez um breve resumo sobre os processos que levaram o empreendimento à certificação. “Começamos a pensar em trabalhar com a sustentabilidade há seis anos, quando substituímos toda a iluminação externa, diminuindo o consumo em 90%, de 22.500 para 2.100 watts. Depois fomos ampliando as ações, como a retirada do sistema de irrigação automático por um do tipo manual, até chegarmos a este momento. Quero aproveitar também e agradecer a todos os colaboradores, investidores e empresas que prestam serviços para nós, pois não foi uma tarefa fácil poder alterar padrões e adaptar-se às novas normas”, comentou.

E não foram apenas as ações citadas acima que foram necessárias para a conquista da certificação. Toda a iluminação contínua foi adaptada com sensores de presença, troca de lâmpadas comuns por de led e aplicação de filme nas janelas do lobby para redução da entrada de raios ultra violetas. A porta de entrada, que era acionada por sensores, foi retirada e em seu lugar foi instalada uma porta giratória, evitando assim o consumo excessivo do ar condicionado - este teve seu motor de acionamento substituído, gerando a economia d’água. Além disso, todos os metais sanitários foram trocados e redutores de vazão instalados em todos os chuveiros e torneiras.

Outras implementações incluíram um sistema de aquecimento solar para 10 mil litros d’água, a adequação do conforto ambiental das salas que ficam no subsolo, colocação de retentores de partículas nas entradas social e de serviço, a coleta seletiva do lixo e até a utilização de tintas à base d’água para pinturas internas.

Dentre todas as mudanças que foram necessárias durante o processo de avaliação, o hotel recebeu o certificado do selo norte-americano Energy Star, que atesta as edificações com foco nas políticas de eficiência energética.

Maria Luíza Rozatti, Claudia Leme e Marcos Casado, todos da Sustentech,
com 
Herbert Ortiz e Eliana Ribeiro

“O maior desafio foi a adequação da operação hoteleira dentro das normas e procedimentos da certificação. São muitas normas para se adequar e é preciso atingir pontuação mínima de eficiência em todos os processos. Alguns são mais difíceis no Brasil, como a certificação de procedência de materiais. E é bem mais difícil adequar um prédio já existente, como este que já tem 14 anos, porque hoje essas questões já entram no projeto de arquitetura”, conta Marcos Casado.

“Esta conquista é consequência de um processo de gestão e vem coroar as diretrizes do conselho de investidores e da administração do Blue Tree, que tem o foco de sempre valorizar e maximizar o potencial do empreendimento”, comentou Chieko Aoki, que não pode estar presente no evento devido a um compromisso pessoal, via comunicado à imprensa.

No País, há outros 12 hotéis em processo de certificação, como o Sheraton Reserva do Paiva, em Pernambuco, o Hilton e o Grand Hyatt, ambos no Rio de Janeiro. Já em todo o planeta, 448 empreendimentos estão passando por este processo, e 117 hotéis já são reconhecidos nesta área de sustentabilidade.

Serviço
bluetree.com.br/hotel/blue-tree-premium-verbo-divino

Comentários