Hotel Monitor 2020: Preços terão altas modestas em mercados corporativos

hotel monitor 2020Nova York deve ter queda de 3% nas tarifas de hotéis

Preços de hotéis em mercados chaves do turismo corporativo não devem ter crescimentos expressivos no próximo ano. Previsão é do relatório Hotel Monitor 2020, publicado pela GBT (American Express Global Business Travel). Segundo análise, tensões comerciais internacionais e um boom na construção hoteleira global amortecem a demanda. Esses pontos irão restringir as possibilidades de hotéis elevarem suas tarifas. 

“Apesar dos sinais de que a economia global está enfrentando desafios, o número de pessoas viajando a negócios e lazer continua a crescer. Mas, na maioria das cidades, um pipeline completo de desenvolvimento de hotéis significa que esse o bom nível da demanda não contribuirá para o aumento das taxas ”, afirma Joakim Johansson, vice-presidente de Global Business Consulting na GBT.

Hotel Monitor 2020: regiões

A hotelaria europeia terá os preços afetados por incertezas políticas causadas pelo Brexit. Enquanto o cenário econômico internacional também não parece otimista. Além disso, o desenvolvimento hoteleiro está em alta recorde no continente. Só a Alemanha possui 379 projetos, seguida do Reino Unido com 281.

Na América do Norte, os mercados dos Estados Unidos verão uma ocupação estável e pipeline amplo impulsionar a concorrência e limitar a capacidade dos hotéis de elevar os preços. Chicago e São Francisco devem ter o maior aumento nas tarifas (5% e 4% respectivamente). Em contraste, as tarifas de quartos para Nova York devem diminuir em 3%, com 29 mil novos apartamentos disponíveis nos próximos meses.

Incertezas políticas e econômicas impactaram negativamente o mercado de viagens corporativas sul-americano. No entanto, espera-se que os preços subam, uma vez que a demanda supera o crescimento do número de hotéis. Nesse primeiro semestre, a região viu seu pipeline diminuir em 25% na comparação anual.

Um boom de construção de hotéis em todo o Oriente Médio, mas concentrado principalmente nos Emirados Árabes Unidos, significa que a oferta superará a demanda. O que levará a quedas nos preços de até 10% em Doha e 8% em Riad. Como anfitriã da Expo 2020, Dubai deve ter uma demanda crescente por visitantes, no entanto, espera-se que as tarifas dos quartos sejam estáticas

Na Ásia, a indústria da hospitalidade está crescendo rapidamente em toda a região, com milhares de leitos adicionais em cidades importantes a cada ano. Apesar disso, a demanda sustentada nessas economias em crescimento significa que as taxas provavelmente aumentarão. Por exemplo, Bangalore e Tóquio verão as taxas aumentarem em 5% e 4%, respectivamente. Viajantes domésticos estão compensando qualquer queda na demanda internacional. 

Previsões de variação nas diárias em mercados chave:

  • Atlanta (+1%)
  • Nova York (-3%)
  • Seattle (+2%)
  • Bogotá (+4%)
  • Cidade do México (+3%)
  • Santiago (+4%)
  • São Paulo (+5%)
  • Londres (+1%)
  • Munique (0%)
  • Dubai (0%)
  • Johannesburgo (+4%)
  • Bangcoque (+2%)
  • Shanghai (+2%)
  • Sydney (+1%)
  • Tóquio (+4%)

(*) Crédito da capa: Sean Pollock/Unsplash 

(*) Crédito da foto: Jo Wiggijo from Pixabay 

Comentários