Hotel Summit 2019 reúne mais de 500 hoteleiros em Salvador

De Salvador, Bahia*

Hotel Summit - Alessandro CanellaCanella conta que, por conta da alta procura, abriu mais 50 vagas

Foi aberto há pouco, no Teatro Sesc Casa do Comércio, em Salvador, a edição 2019 do Hotel Summit. Lançado oficialmente no Início do ano, o evento é voltado para hoteleiros de todos os segmentos. Marketing digital, distribuição, operação e vendas são os principais temas abordados no encontro, organizado pela selfHotel e que tem o Hotelier News como media partner. 

Em 2019, o evento terá 10 palestras, além de três workshops e um momento dedicado ao networking. Agora pela manhã, palestras sobre pagamentos por criptomoedas e como fazer boas fotos com o celular já aconteceram. Na área expositiva, 16 empresas apresentam seus produtos e serviços, casos da Desbravador, Realgems, Asksuite e Dino — Disparador de Notícias, entre outros.

“Colocamos 500 ingressos a venda, que foram esgotadas. Em cima da hora, em função da grande procura, resolvemos abrir mais 50. Então, temos casa cheia, pessoas interessadas em saber mais sobre marketing digital, distribuição e vendas, entre outras coisas”, comentou Alessandro Canella, fundador do SelfHotel, durante a abertura do encontro. “A ideia é mostrar aos hoteleiros presentes todas atualizações que rotineiramente ganham o mercado”, completa.

Hotel Summit - Carla ProcópioCarla citou detalhes da Lei 9.610, que trata de direitos autorais

Hotel Summit: rico conteúdo

Após os dois primeiros workshops, Carla Procópio, do Procópio Vasconcelos Advogados, abordou a questão de direitos autorais para fotos na internet. “Posso usar fotos do Google?”, questionou logo de cara a especialista. “Queremos usá-la, mas somos muito mais reativos do que prevenidos. Se o estagiário faz isso no seu hotel, sim você está correndo riscos. Em 2018, por exemplo, várias contas do Instagram foram bloqueadas por usarem fotos sem autorização”, citou.

O que são direitos autorais? Carla citou a Lei 9.610/98, que basicamente protege autores contra reproduções indevidas de terceiros. “Então, se copiou alguma coisa, dê o crédito”, disse a especialista. “Direito de imagem é garantido na Constituição Federal. Publicar fotos indevidas pode dar cadeia e indenizações que variam de R$ 5 mil a R$ 30 mil”, completou. “Leia termos de uso, dê créditos, faça autorização prévia e use imagens de bancos gratuitos. Nada disso constitui infração à lei”, finalizou. 

Na palestra, a advogada mostrou algumas situações cotidianas para hotéis de todos os portes. Entre os exemplos citados, Carla citou a utilização de vídeos disponíveis no YouTube. “Poder você pode, mas há riscos. Então, como resolver? Como se autoriza uma obra? Basta um e-mail, um contrato com o autor. No fundo, a lei é para aqueles que não cumprem”, finalizou.  

(*) A reportagem viajou a convite da organização

(**) Crédito da capa: Divulgação/Oficina de Pixel

(***) Crédito das fotos: Vinicius Medeiros/Hotelier News

Comentários