Hotelaria americana dá sinais de desaceleração, aponta estudo

estados unidosTensões econômicas influenciam no desempenho da hotelaria

Relatório da PwC que se baseia em dados do STR, afirma que a indústria hoteleira dos Estados Unidos parece estar chegando em um ponto de inflexão. Indicadores tiveram declínio devido uma combinação da desaceleração da demanda, bem como tensões comerciais e econômicas globais. 

Os resultados do segundo trimestre ficaram significativamente abaixo das expectativas. Diárias médias da hotelaria americana subiram 1,1% em relação ao mesmo período de 2017, ficando US$ 131,44. A ocupação, por sua vez, caiu 0,1%, fechando em 66,2%. Isso resultou em um aumento morno do RevPar, de 1,1%, fechando o período em US$ 86,98. 

Dados sugerem uma desaceleração do mercado hoteleiro dos Estados Unidos. Desde a o início da recuperação econômica no país, o RevPar vinha crescendo a uma taxa anual composta de 5,4%. No ano passado, a alta foi de apenas 2,9% e nos primeiros seis meses deste ano, o indicador cresceu 1,2%.

Outro estudo, realizado pela Deloitte, também aponta desaceleração de mercado. Mas prevê desempenho positivo para o restante de 2019, com aumento de 2,4% no RevPar na comparação anual.

Ao olhar para os segmentos, hotéis de categoria Midscale tiveram o pior resultado, com RevPar praticamente estável. O indicador na categoria Upscale cresceu 0,4%, enquanto os Econômicos tiveram a maior alta, de 1,9%. 

Estados Unidos: previsões

Em 2020, espera-se que o crescimento da oferta e da demanda de hospedagem seja moderado. O que deve levar a um declínio muito leve na ocupação. Níveis de inflação crescentes podem gerar maiores diárias médias, o que fará com que o RevPar cresça na casa de 1%. Se confirmado, seria o menor crescimento para o indicador em uma década. 

Segundo estudo, a perspectiva é gerada com base em contínuas tensões comerciais em que os Estados Unidos estão envolvidos. Incertezas políticas, tanto internamente quanto no exterior também influenciam, desacelerando o crescimento econômico.

(*) Crédito da foto: Nik Shuliahin/Unsplash

Comentários