‘Hotelaria tem glamour, mas com muito suor nos bastidores‘, diz Adriana Balbinot

Adriana está no Intercity Cidade Baixa há 15 meses

Atual coordenadora de Hospedagem do Intercity Cidade Baixa, em Porto Alegre, Adriana Balbinot é turismóloga de formação, hoteleira por acaso e, agora, apaixonada pelo setor. Ela começou na hotelaria em 2004, na Serra Gaúcha. "Estudei na UCS (Universidade Caxias do Sul) e ao escolher o estágio obrigatório em uma agência, acabou que não deu certo e fui para o Hotel Villa Bella, em Gramado (RS), onde fui efetivada", conta a executiva.

Trabalhando no empreendimento até o fim de sua graduação, Adriana seguiu para Porto Alegre. "Era o ano de 2006 e aí começou a minha história com Intercity. Entrei na unidade do aeroporto, onde fiquei por quatro anos", comenta. Buscando uma vivência internacional, ela foi morar na Irlanda. "Não trabalhei na área de hotelaria, mas em um restaurante estrelado pelo Guia Michelin. Foi uma boa experiência na área de A&B (Alimentos e Bebidas)", explica.

De volta ao Brasil, Adriana foi trabalhar no Villa Ventura em Viamão. Nesse hotel ela ficou pouco tempo e acabou voltando para o Intercity Porto Alegre como coordenadora de Hospedagem. Já como gerente da área, ela recebeu o convite para o Holiday Inn na capital gaúcha e depois para o Intercity Cidade Baixa. "Esta é a terceira vez que trabalho na Intercity. Sempre de forma intercalada. Agora chega, é com essa empresa que me identifico", comemora Adriana, quem completou 15 meses de casa.

No Cidade Baixa, Adriana começou como coordenadora de Recepção e Governança. Depois, foi promovida para gerente de Hospedagem. "Fica no meu guarda chuva praticamente toda a operação da unidade. Tenho diretamente comigo Governança, Eventos e Recepção. As supervisoras são os meus braços na governança", explica.

Adriana Balbinot explica porque escolheu o Turismo

Indagada por que resolveu fazer Turismo, Adriana explica que desejava trabalhar com pessoas e viajar. "Na época queria montar roteiros. Com 17 anos. quando escolhi a carreira, acho que não foi uma escolha tão racional, foi mais pelo ‘’turismo é legal, turismo viajar, montar roteiro’’. Acabei indo por aí. Não é isso que a gente faz. Você proporciona isso para as pessoas, mas estamos sempre viajando ou algo do tipo. Essa foi a principal razão", diz.

Sobre morar no exterior, a jovem executiva diz que a experiência de dois anos na Irlanda foi fantástica. "Se alguém me perguntar ‘’será que devo morar fora? Eu simplemente digo vai, vai morar fora. Não importa se for na Irlanda, Inglaterra, França… Não importa! O morar fora abre horizontes. Foi a melhor coisa que eu fiz, não me arrependo em nenhum momento", celebra. 

O que é você aconselha para os profissionais que estão entrando na hotelaria hoje? "A hotelaria é muito trabalho. Tem glamour, quanto você entra em um hotel, a primeira vez é muito glamurosa. Mas para esse glamour acontecer há muita coisa acontecendo nos bastidores. Muito suor. Então a hotelaria requer uma entrega. Você quer entrar na hotelaria, tem que gostar de gente, tem que gostar de servir, ser dinâmico. Hotelaria é hospitalidade, é fazer o cliente se sentir em casa, conseguir resolver o problema dele, tem que lidar com diversos problemas no dia a dia. Tem que ter vontade de trabalhar, não é só glamour, tem muito suor junto", pondera.

Como que você contorna as situações complicadas. Como você lida com isso? "É difícil dar uma receita. Com o tempo você vai aprendendo a lidar, não adianta você chegar hoje e achar que amanhã vai ser coordenador, conforme as situações que você vai vivenciando, vai aprendendo. Tem o caso que você vai escutar, deixar a pessoa desabafar. Casos que tem que chamar de canto, conversar e entender. Eu não vejo uma receita pra lidar com os hóspedes, tem que ter empatia, se colocar no lugar dele também. Muitas vezes a pessoa tem razão, não podemos dizer que não, que aqui é perfeito! Tem que pedir desculpas, vamos resolver, eu entendo… O que eu oriento para as pessoas que trabalham comigo é, vamos deixar o hóspede feliz. Deu um problema no apartamento? Desculpas, deu mesmo, vamos trocar, o pessoal da manutenção vai resolver… O que podemos fazer para o cliente se sentir melhor? E assim vamos lidando", ensina.

Para o futuro, Adriana diz que está finalizando, em dezembro, o Programa de Trainee da Intercity. "Devo assumir uma gerência geral e estou disposta a sair de Porto Alegre, o que é um pré requisito. Até porque não tem lugar para todos em Porto Alegre. Estou tranquila, quando tiver que ser, vai ser. No momento certo vai acontecer", finaliza.

(*) Crédito da foto: Peter Kutuchian/Hotelier News

Comentários