II Fórum Nacional da Hotelaria: a evolução do timeshare e multipropriedade no Brasil

II forum nacional da hotelariaZubaran: o desenvolvimento da multipropriedade precisa ser feito com profissionalismo

Para finalizar o II Fórum Nacional da Hotelaria, aberto hoje (9), o painel A evolução da multipropriedade e do timeshare reuniu nomes de peso do trade hoteleiro. Alexandre Zubaran, CEO da Enjoy Hoteis & Resorts; Fabiana Leite, senior manager New Business Development da RCI; Francisco Costa Neto, CEO da Aviva e  Roberto Rooter, diretor executivo da Rede Plaza Hotéis. Caio Calfat, presidente da Adit Brasil participou como mediador do debate.

Calfat introduziu a pauta sobre timeshare e multipropriedade ressaltando a importância dos hoteleiros adotarem as práticas do Manual de Melhores Práticas para Multipropriedade, lançado em agosto pela Secovi-SP. “Esperamos que o mercado e empreendedores bem intencionados apliquem as práticas, pois o manual foi desenvolvido por especialistas de diferentes áreas”. 

 Fabiana abordou a expansão dos mercados no Brasil e garante que a procura pelos modelos de negócios estão crescendo cada vez mais no país. “Com a lei aprovada, claro que muitas incorporadoras começaram a se interessar mais pelo assunto. O setor de multipropriedade vem crescendo cada vez mais de maneira orgânica”. 

O mediador também levantou o debate sobre o risco do nascimento de novos destinos com o boom do timeshare e a necessidade de infraestrutura das cidades. “É preciso manter o equilíbrio entre a oferta e a demanda. Novos destinos surgem todos os dias no Brasil, em sua maioria com foco no público regional, que são os principais compradores de multipropriedades”, afirma. 

Segundo Zubaran, a demanda pelo mercado turístico é algo positivo e deve ser tratado como tal.”A situação perfeita seria o desenvolvimento com planejamento. Destinos nascem e depois passam a se estruturar, mas ter o turismo como vetor de desenvolvimento é uma bênção, pois gera empregos, dá mão de obra para pessoas sem especialização e é o menos prejudicial ao meio ambiente”, destaca. “Infelizmente, o desenvolvimento da multipropriedade tem travas que podem prejudicar o investidor, como gestão de caixa e relacionamento”, complementa.

O diretor executivo da Plaza Hotéis afirma que o segmento deu um novo gás ao mercado hoteleiro e complementa o setor com um mix de produtos. “É uma atualização do segmento, ajuda na ocupação e valoriza o ativo, além de impulsionar o desenvolvimento do destino”, diz. “Temos trabalhado usando a nossa marca para expandir”. 

Segundo Neto, as multipropriedades são fruto do turismo planejado e será o caminho do mercado de hospitalidade. “O peso das marcas conta muito e esse segmento está crescendo cada vez mais no Brasil. Temos inúmeras possibilidades”, ressalta. 

II forum nacional da hotelariaFabiana: a procura por multipropriedade está crescendo de maneira orgânica

II Fórum Nacional da Hotelaria: relacionamento

Para Zubaran, um dos grandes segredos da multipropriedade é manter bons relacionamentos. “Administro 45 mil famílias com interesses diferentes. É preciso utilizar estratégias de relacionamento, uma das principais questões em empreendimentos desta natureza”, destaca. 

Fabiana acredita que os relacionamentos e a internet são facas de dois gumes - que podem tanto ser benéficos quanto prejudiciais para os negócios. “A internet tem os dois poderes, porém ela pode ir muito a favor da sua marca, por isso nos preocupamos muito com a entrega de nossos serviços”, finaliza. 

(*) Crédito das fotos: Nayara Matteis/Hotelier News

Comentários