Influenciadores digitais pontuam experiências e campanhas com hotéis

influenciadores digitaisO "internetês" vigora no vocabulário dos influencers

"Oi, meninas! Tudo bem com vocês? No texto de hoje vamos conhecer alguns influencers que arrasam nas redes sociais e já são super próximos de hotéis e destinos". Como sugere a introdução da nossa terceira reportagem sobre influenciadores digitais e sua relação com o mercado de hotelaria, hoje (23) trazemos esses personagens ao parlatório.

Nas duas primeiras matérias, publicadas em fevereiro e março, falamos sobre formatos, e de como alguns casos foram desenvolvidos, e maneiras de medir resultado das campanhas. A ideia agora é ouvir os influenciadores, entender suas motivações, saber quais ferramentas usam e mostrar como transfiguram-se em fontes de divulgação para indústrias variadas.

Blogs, Instagram, Snapchat, Facebook, Youtube... a lista de plataformas que faz a fama desse pessoal é extensa. Nem sempre, entretanto, a publicação é espontânea. Não raro, as postagens são parte de campanhas que ajudam a promover – no caso do turismo – hotéis e destinos, ou até os dois simultaneamente.

"Começamos com um blog, falando sobre curiosidades, lifestyle e eventos. Aos poucos, percebemos o turismo como uma oportunidade de conhecer lugares novos e gerar mais conteúdo", resume Lucas Nascimento, um dos integrantes do perfil #Compartilheisso. Segundo o blogueiro, o Rio de Janeiro foi o primeiro mercado a abrir possibilidades para a página. A parceria que inaugurou os trabalhos fora de São Paulo foi com o Hotel Novo Mundo, no bairro carioca do Flamengo.

A partir daí os contatos aumentaram e outras divulgações apareceram. Entretenimento e alguns eventos específicos abriram as portas para essas alianças, conta o Nascimento. "Em algumas premiações que participamos como convidados conseguimos hospedagem de cortesia", lembra o blogueiro. Os eventos aos quais ele se refere são prêmios de música e festas de emissoras, que costumam levar influenciadores para aumentar o alcance da ocasião.

"Isso nos pareceu bom para todos os lados. Para o hotel, que ganha visibilidade com nosso público; para nós, pela hospedagem; e para quem visualiza, que consegue conhecer novas opções", reflete. Hoje, a página tem colaboradores que produzem conteúdo para o portal e para as redes sociais – em acessos particulares ou no coletivo. Todos eles com discursos bem parecidos: farto uso de gírias da internet e avaliando locais e serviços.

A forma de trabalho e o alcance do #Compartilheisso, no entanto, ainda são processos em evolução, perto de outros casos. O perfil no Facebook, por exemplo, fala com 4,9 mil pessoas, alcance curto se comparado a outras celebridades da internet. O próprio Nascimento, que dialoga com cerca de 30 mil pessoas por postagem em seu perfil pessoal, diz estar num processo de evolução.

A despeito do alcance e da estrutura, a página segue uma espécie de padrão estabelecido para campanhas com influencers. Os contratos com os clientes incluem publicações de fotos e stories durante a estadia no hotel. Em alguns casos, envolve também o chamado #tbt (throwback thursday) (nota da redação: o chamado #tbt é a veiculação de imagens antigas, sempre às quintas-feiras, de postagens posteriores).

Influenciadores: viagens e mais viagens

A rede social que privilegia fotos divide com o Youtube o posto de ferramenta preferida para ações com influenciadores. Imagens e vídeos são tidas como as principais vitrines para sugerir locais para viajar e se hospedar. Os textos, contudo, ainda resistem para alguns. Muitos influencers ainda fazem campanhas mistas, com ênfase em mídias sociais, mas com textos de apoio em sites e blogs.

Influenciadores - Otávio Furtado - Maior ViagemFurtado tem parceria com grandes redes internacionais

Dessa maneira trabalham os representantes do portal Maior Viagem. Com um roteiro anual que tem, em média, sete viagens internacionais e uma dúzia nacionais, um time de seis pessoas monta campanhas apresentando destinos e serviços. "Todas as viagens rendem repercussão dos atrativos do destino, dos hotéis onde ficamos e de algum passeio", resume Otávio Furtado, um dos fundadores do site, que também tem perfis no Instagram e Facebook.

Para o Maior Viagem, o canal principal é o próprio site, onde são postados textos e fotos, em formato reportagem. Nas mídias sociais, Facebook (3,3 mil fãs) e Instagram (65 mil seguidores), o conteúdo é complementar ao feito para o website. A preferência está atrelada à interpretação dos resultados de cada iniciativa.

"Acreditamos que essa é a melhor forma de oferecer retorno aos nossos parceiros", justifica o fundador. "As redes sociais e o que publicamos lá são estímulos, uma maneira de despertar desejo desse viajante. E isso acaba se perdendo com a falta de continuidade. Por isso existe o site, que oferece informações mais precisas e ampliadas", complementa.

O combo – com texto no portal e publicações em redes sociais – é a essência da proposta do Maior Viagem em qualquer negociação. A quantidade de intervenções e o que será publicado são os detalhes guardados para cada caso. Além da profundidade de informações e do formato, a outra diferença está na linguagem empregada. No material mais longo há um tom jornalístico, fruto da formação e da intenção da equipe. Nas redes sociais tudo é mais informal, como pede a ferramenta.

Resultados e retornos são medidos pela interação dos seguidores nos aplicativos. Para casos mais específicos, alguns motores de reservas hoteleiras conseguem identificar quando a reserva veio de um cliente que imediatamente antes navegava no Maior Viagem.

Tanto a forma de divulgação, como resultados mensurados, são elementos incorporados à conta que determina os valores de cada campanha. Público seguidor, tamanho do perfil e trabalhos anteriores também entram nessa equação. "Nosso público, em sua maioria, são mulheres, das classes A e B, com idade entre 25 e 45 anos", crava Furtado. Sobre os valores cobrados por campanha o empresário não é tão assertivo, e despista: "São valores compatíveis ao que o mercado cobra e que levam em consideração o alcance que já temos", diz.

No momento de apresentar propostas para hotéis ou destinos, vai à mesa o histórico de trabalho e aí aparecem as redes parceiras do portal. Entre elas estão AccorHotels, Mandarin Oriental, Leading Hotels of the World, Marriott International e Hilton Hotels & Resorts. "Nosso maior chamariz são as empresas com as quais já trabalhamos", pontua.

Com alguns parceiros já estabelecidos, o Maior Viagem começa a costurar novos acordos. Um deles é com o IHG (InterContinenal Hotels Group), que já tem algumas ações com influenciadores estabelecidas. Uma dessas relações é com a paulista Simone Cury. A influencer tem mais de 430 mil seguidores nas redes sociais e transita facilmente entre os universos da moda, gastronomia e turismo.

Para a IHG, Simone costuma postar fotos das unidades e quartos onde ficou com informações práticas do hotel e dos serviços ofertados. Nesse método de trabalho, fotos e stories, assim como hashtags e legendas, são todo o conteúdo envolvido no trato.

Kerlly Costa, que nas mídias sociais se apresenta como kellynhacosta, também tem meios de hospedagem como parceiros frequentes. Conhecida no interior de São Paulo, a influenciadora tem páginas com cerca de 73 mil seguidores. Blue Tree, Tauá Resorts e AccorHotels já conhecem a abrangência da digital influencer. Nas publicações, ela normalmente está aproveitando áreas de lazer, em restaurantes ou relaxando no quarto dos empreendimentos que visita. Amigos e família também aparecem com frequência em fotos.

"Meu público é de gente que viaja e tem poder aquisitivo compatível com esses hotéis. Por isso, a parceria é interessante", sintetiza. A resposta de Kerlly vai ao centro da questão e no ponto já dito por hotéis e especialistas em outras ocasiões. Por mais óbvio que possa parecer esse entendimento, as ações com influenciadores nada mais são que uma forma dos hotéis mostrarem seus serviços como eles de fato são. Dessa maneira, o produto fica próximo do consumidor.

Retorno garantido?

Também do interior paulista, é Nanda Waibel, que tem postagens recentes destacando a bandeira de apart-hotéis Adagio, além de empreendimentos do THG (Transamérica Hospitality Group). Segundo a influenciadora, os trabalhos feitos para hotéis têm aparecido de maneira pontual. "São conteúdos que vão para as redes sociais diretamente, seguido de postagens e matérias em meu blog e na revista onde tenho uma coluna sobre viagens", conta.

Segundo Nanda, o alcance médio de seus stories, do Instagram, é de 100 mil pessoas. Sua lista de seguidores, entretanto, aponta para um número de 30,5 mil. As mulheres são a maioria – 53%. "Como tenho diversidade em meu conteúdo, atinjo vários perfis. A faixa etária está entre 25 e 40 anos", conta.

Influenciadores - Nanda Waibel InstagramNanda parte para uma viagem: novos hotéis para conhecer?

Os próprios hotéis, em seus perfis, são os primeiros a sentir o efeito das campanhas, segundo a influenciadora. "A empresa contratante sente o impacto nas próprias redes, independente do que passamos. São eles os primeiros a sentirem se deu resultado ou não", diz.

Nos valores estipulados para cada trabalho, as influenciadoras paulistas agem de maneiras diferentes. Apesar de não revelar os valores, Nanda comenta que tem uma tabela de preços que varia de acordo com o que será divulgado. Tudo está num roteiro montado com antecedência com as empresas. Já Kerlly ainda não tem regras claras quanto aos valores. "A negociação de preço ainda é meio complicada. Geralmente, fazemos um acordo de permuta", informa.

(*) Crédito da capa: StockSnap/Pixabay

(*) Crédito das fotos: perfil dos entrevistados nas redes sociais

Comentários