InFOHB: diária média brasileira subiu quase 8% em abril

O FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil) divulgou a edição de abril do InFOHB. O relatório analisou o desempenho de 553 hotéis de redes associadas, que contam com 84.499 UHs (unidades habitacionais). Na comparação com abril de 2018, a hotelaria apresentou alta nos três principais indicadores. Com destaque para a diária média, que teve variação positiva de 7,9%, fechando em R$ 243,15. O índice foi o que mais contribui para a alta de 11% no RevPar, para R$ 143,28. A ocupação subiu 2,9% na comparação anual. 

Na avaliação regional, o Sudeste se destacou positivamente. Na comparação entre abril de 2019 e 2018, a região teve alta de 6,8% na ocupação, assim como 9,8% na diária média (de R$ 241,19 para R$ 264,80). Com isso, o RevPar foi o que apresentou maior crescimento regional, subindo 17,3%.

O Centro-Oeste também teve bom desempenho na mesma base de comparação. A região teve alta de 2,9% na ocupação, 9,6% na diária média (de R$ 210,24 para R$ 230,42) e 12,8% no Revpar (de R$ 123,49 para R$ 139,29). 

Das variações negativas, o Nordeste continuou com a fraca performance que vinha demonstrando desde fevereiro. Entre abril de 2018 e o mesmo mês de 2019, a região teve baixa de 5,5% na ocupação, o que derrubou o RevPar em 5,6% (de R$ 121,96 para R$ 115,11). A diária média teve leve queda de 0,1%, se mantendo estável em R$ 200,96 (antes R$ 201,19). 

infohb

InFOHB: municípios

Nos principais municípios turísticos, pode-se destacar os resultados do Rio de Janeiro, que vem mostrando recuperação. A capital carioca apresentou a maior alta na ocupação no comparativo anual de abril, de 28,9%. O índice foi o maior responsável pelo crescimento de 26,7% no RevPar da cidade, já que a diária média teve acréscimo de apenas 1,7%. 

São Paulo também apresentou ótimos resultados na mesma base de comparação, com alta de 17,9% na diária média (de R$ 287,39 para R$ 338,74). Somando a alta de 4,5% na ocupação, o RevPar da capital paulista cresceu 23,2% no comparativo, alcançando R$ 231,16.

Na contramão, Campinas apresentou baixas em dois indicadores em igual comparação. Fora a ocupação, que cresceu 0,2%, a diária média e o RevPar do município caíram significativamente. Os índices diminuíram em 10,8% e 10,7% respectivamente.

infohb

infohb

infohb

(*) Crédito da capa: Poswiecie/ Pixabay 

(**) Crédito dos gráficos: Divulgação/FOHB

Comentários