InFOHB: RevPar cresce 12,8% no 1º semestre

Informativo mensal do FOHB (Fórum dos Operadores Hoteleiros do Brasil), o InFOHB trouxe análise positiva sobre a hotelaria brasileira no primeiro semestre. Na comparação com os primeiros seis meses de 2018, todos os indicadores apresentaram alta no período analisado. Destaque para o RevPar, que cresceu 12,8%. O resultado foi impulsionado pela alta da diária média, que subiu 7,3% em igual comparação, enquanto a ocupação avançou 5,1%. O levantamento compilou dados de 479 hotéis de redes associadas, responsáveis por 77.191 unidades habitacionais.

"Estamos satisfeitos, principalmente porque acertamos nossa previsão para o desempenho do setor", observa Alexandre Gehlen, presidente do FOHB e CEO da Intercity Hotéis. "As ocupações seguem em bons patamares e, com o indicador assim, temos que recuperar nossos preços. A alta na diária média mostra que estamos conseguindo, mas o setor precisa ter coragem para continuar elevando a tarifa para que o negócio recupere suas margens", completa.

Na análise regional, o Sudeste aparece com a maior alta no RevPar (+16,7%). Em seguida, o Norte apresentou elevação de 8,4% no índice, impulsionado pela diária média, que avançou 8,6%. Na ocupação, apenas o Norte teve desempenho negativo, com leve baixa de 0,2%. Entre as demais, destacaram-se no indicador o Sudeste (+7,3%) e o Centro-Oeste (+4,1%). Já em relação à diária média, todas as regiões tiveram resultados positivos, encabeçadas pelo Sudeste, que cresceu 8,8% na comparação anual. 

Considerando as diferentes categorias, hotéis Upscale tiveram a maior alta no RevPar, crescendo 13,7% no comparativo anual. Midscale (+12,8%) e Econômicos (+11,9%) também tiveram boa performance. O indicador teve bom resultado principalmente pelo incremento na diária média dos três segmentos. Hotéis Econômicos, por exemplo, aumentaram em 7,2% a tarifa no primeiro semestre em comparação com igual período de 2018. Já as unidades Midscale e Uspcale apresentaram crescimento de 7,1% e 7%, respectivamente. 

infohb

InFOHB: municípios

Analisando os principais mercados hoteleiros, em matéria de ocupação, três cidades tiveram decréscimo. Destaque negativo para Fortaleza, com baixa de 6,8%. Na direção inversa, o Rio de Janeiro apresentou alta de 18,2%, seguido por Vitória (+13%).

infohb

Na diária média, apenas o Rio não teve resultados positivos, com leve queda de 0,1% na comparação anual. Entre as demais praças analisadas, Belo Horizonte (+20%) e São Paulo (+13,7%) foram destaque.

infohb

Fortaleza foi a única cidade analisada com decréscimo do RevPAR (-3,2%). Já entre altas, Belo Horizonte chama a atenção com aumento de 27,8% no indicador na comparação anual. Vitória (+22%) e Rio de Janeiro (+18%), apesar da queda na diária média, também tiveram bom desempenho.

infohb

Projeção para 2019

Gehlen podera que as cidades com melhor desempenho até aqui foram as que tiveram pouquíssimo aumento de oferta de quartos. "Como disse, é muito importante os dois dígitos de crescimento no RevPar, mas ainda precisamos elevar o indicador. Nossa diária média ainda está muito defasada frente ao período pré-crise", comenta.

Por fim, o executivo destaca que a associação vê com otimismo o fim do ano. "O segundo semestre tende a melhorar ainda mais a performance do setor, até porque a oferta deve se manter estável. Ainda assim, enxergamos 2019 como mais uma etapa na recuperação desde o aprodundamento da crise econômica", afirma Gehlen, citando que os dados nominais de RevPar permanecem muito abaixo do verificado em 2012, melhor performance da hotelaria na década. "Acho que o único risco para nossa previsão de melhora no segundo semestre é a tarifa áerea, que se subir mais pode se tornar um complicador", finalza Gehlen.     

(*) Crédito da capa: NeONBRAND/Unsplash

(**) Crédito das fotos: Divulgação/FOHB

Comentários