Jumeirah Essex House proporciona a melhor vista de Nova York

Ao nascer do sol, da janela do 3506 do Jumeirah Essex House, a vista é em direção ao norte da ilha de Manhattan, que, junto aos distritos de Brooklyn, The Bronx, Queens e Staten Island, forma a cidade de Nova York (fotos: Chris Kokubo)
Existe uma cidade de Nova York para satisfazer o gosto de cada pessoa. Se você é daqueles que não pode deixar de degustar um bom restaurante, vai encontrar o seu preferido por lá. Se gosta de fazer compras, estará no paraíso. Há os musicais da Broadway, os inúmeros museus, os concertos, os musicais off-Broadway, a ponte Brooklyn, bibliotecas, eventos esportivos, universidades, as multi-culturalidades pairando no ar, manifestações artísticas aqui e acolá.
Porém, há também o fator que agrada tanto a gregos quanto a troianos: o Central Park. A pé, correndo, pedalando ou sentado na charrete, pouco importa a maneira pela qual você vai explorá-lo, o importante é ir e senti-lo, no frio, no calor, na chuva ou na neve.
O Hôtelier News esteve na Big Apple em meados de fevereiro e hospedou-se no badalado Jumeirah Essex House, com vista deslumbrante para o Central Park. Há algo de absolutamente encantador naquela área equivalente a 150 quarteirões repletos de árvores.
Por Chris Kokubo*
Jumeirah Essex House visto à partir do Central Park
 
A área em verde ao centro da ilha de Manhattan é o Parque. O Essex House está na sua extremidade sul. A cidade já foi chamada de Nouvelle Angoulême e Nieuw Amsterdam, devido às colonizações francesa e holandesa a partir do século XVI (imagem: maps.google.com.br)
  Entrada do hotel e o simpático Courtney, jamaicano há anos capitão-porteiro
Grandes fotografias do parque recepcionam os hóspedes. Flores colorem e perfumam o hall
À direita da entrada, o balcão da recepção
  Sofás brancos recheiam o Lobby Lounge. Na capa da revista da Jumeirah, o ícone do grupo: Burj Al Arab, em Dubai. À direita, o corredor que leva aos elevadores
O Essex House é o empreendimento que o grupo Jumeirah, aquele do hotel ícone de Dubai, administra nos Estados Unidos. Por enquanto, é o único meio de hospedagem da rede no país e recebeu investimentos de US$ 90 milhões em reformas - concluídas em outubro de 2007 - que o elevaram ao padrão da rede e o transformaram no símbolo de luxo que é hoje.
Segundo Gary Schweikert, gerente geral do hotel e vice-presidente do grupo para as Américas, a Jumeirah está disposta a investir pesado no continente, considerado essencial para a expansão da rede. Tanto que já anunciou novas propriedades nas Ilhas Virgens, no Panamá e na Argentina. O objetivo é ter 60 hotéis no portfólio - em desenvolvimento, construção ou operação - espalhados pelo mundo até 2012.
Localizado à rua Central Park South, um dos endereços mais caros da cidade, o Essex House está próximo a muitas paradas de ônibus e estações de metrô, que, aliás, chega a todo lugar e faz inveja a qualquer linha brasileira. Caminhando, logo se alcança a 5ª Avenida, o Museu Metropolitan, o Carnegie Hall. Para quem quer chegar em grande estilo, o hotel oferece serviço de transfer em limousines a partir dos três aeroportos nas redondezas de Nova York - Newark, La Guardia e JFK - por US$ 185.
  Fotos de cenas no parque que ocupa 6% da área da ilha espalham-se pelas paredes do hotel
O Central Park recebe 30 milhões de visitantes por ano. Repare no letreiro do Essex
O metrô de NY vai para qualquer e todo lugar. Atenção ao desembarcar: dependendo da linha, cor e letra do trem, ele para ou não em determinadas estações (imagem:mta.info)
São, ao todo, 44 andares que oferecem 509 unidades habitacionais, de 27,8 a 70 m². A decoração, do lobby de entrada aos apartamentos, remete ao grande parque em frente ao hotel. Citações de escritores, letras de músicas, fotos antigas e atuais trazem para o Essex House o Central Park nas quatro estações do ano. Com tecnologia de ponta em todas as UHs, presentes nos telefones de tela touch screen, por exemplo, o hotel destaca-se pelo serviço competente e requinte dos detalhes.
O Essex House abriu suas portas pela primeira vez em 1931, chegou a ser o edifício mais alto de Nova York e permanece como um dos únicos exemplares remanescentes da Art Deco da década de 1930 na cidade. Seus principais hóspedes são norte-americanos, mas o número de brasileiros aumenta a cada temporada.
Flores nos carpetes e tons quentes nos andares de apartamentos
Cama de uma habitação Central Park View
  Na cabeceira, as luzes mudam de cor e prometem relaxar o hóspede
  O banheiro é amplo em bem iluminado. Na caixinha de madeira, amenities exclusivos
 
O mini-bar tem sensores automáticos. Quando você consome algo, automaticamente debita-se no cartão de crédito
Ambiente acolhedor nos 509 apartamentos
A mesa de trabalho é ampla e tem vista para o parque
Criado em 1858, o Central Park conta com zoológico, lagos, rinque de patinação e muitas pistas para corrida, caminhada e passeio
  Kit para limpeza de sapatos, ferro de passar roupa e guarda-chuva são oferecidos em todas as UHs
 
A Central Park Suíte, em seus 70 m², oferece sala de jantar e telescópio para melhor explorar a vista
  Telefones e despertador touch screen com funções extras como controle de luz e temperatura
  Decoração requintada, roupões macios, toalhas brancas e muito conforto em todos os ambientes do Essex House
  Objetos clássicos compõem com aparelhos modernos a decoração das UHs. No elevador, nenhum botão faz alusão ao 13º andar
Os investidores não divulgam números como taxa de ocupação ou diária média anual, mas pelo sistema de reserva do site, hospedagem para duas pessoas, com ou sem café da manhã, pode variar de US$ 479 a US$ 1.956 neste próximo final de semana, de sábado a domingo.
Em setembro de 2008, o hotel fechou parceria com representantes de São Paulo para incrementar as vendas por aqui e, desde a contratação da assessoria de imprensa também baseada na capital paulista, em 2009, jornalistas dos principais pólos emissores brasileiros têm sido convidados a conhecer o empreendimento. Da América do Sul, Schweikert afirma que o Brasil é o mercado mais promissor.
Quem precisa trabalhar conta com business center equipado inclusive para vídeo-conferências e aberto 24 horas por dia, além da internet sem fio disponível em toda área de reuniões e apartamentos, que dispõem de uma grande mesa de trabalho, cadeiras confortáveis e iluminação pensada nos hóspedes a negócios.
  Pelo uso do computador e internet, o hóspede desembolsa US$ 1 por minuto, com gasto mínimo de US$ 10
Este andar é todo dedicado às salas de eventos
  Nos dias de muito frio - a média é de -3°C em fevereiro - o jeito é se exercitar internamente
  Sauna úmida, seca e sala de descanso localizam-se no mesmo andar da academia
Acostumado a receber festas e eventos, o Essex House oferece 16 salas para reuniões, o Grand Salon, que acomoda até 450 pessoas, e o Petit Salon, para encontros mais intimistas de no máximo 150 pessoas. A comunidade judaica, numerosa na cidade de Nova York, afastou-se um pouco desde que a bandeira que o hotel ostenta passou a ser de uma rede árabe, mas paulatinamente, como não poderia deixar de ser, o grupo Jumeirah tem comprovado que a qualidade de seus serviços e produtos estão acima de qualquer desentendimento religioso e tem registrado aumento de ocupação da área de eventos para festas de judeus.
A parte de Alimentos & Bebidas do hotel, aliás, é outro ponto de destaque. São três restaurantes: South Gate, Lobby Lounge e The Restaurant at the Essex House. O primeiro oferece acesso pelo hotel ou independente pela rua. Comandado pelo chef Kerry Heffernan, traz no menu itens da culinária moderna norte-americana. No Lobby Lounge, aberto das 10h às 22h, o cliente pode degustar de um fino cardápio com pratos rápidos, aperitivos, vinhos, coquetéis e cafés. Além disso, o tradicional chá da tarde é servido das 14h às 18h. Para finalizar, o Restaurant oferece almoço, jantar e café da manhã, este em buffet ou à la carte. Room service 24 horas não poderia deixar de faltar.
Se optar pelo buffet, o hóspede desembolsa US$ 37 e serve-se à vontade. O preço cai para US$ 21 para crianças abaixo de 12 anos
 
 
  Entre frutas, cereais, queijos, embutidos, iogurtes, pães e croissants de amêndoas, o farto desjejum
O South Gate, com bar, piano e adega, é envolto por pequenos espelhos quadrados, obra do designer Tony Chi
  O restaurante recebe também grupos de 20 a 120 pessoas. A entrada independente fica ao lado da entrada principal do hotel
Entrada para o restaurante a partir do lobby do hotel. Os sofás fazem parte do Lobby Lounge
  Tapete vermelho, cristais e esculturas na decoração
Prédios e hotéis de luxo fazem parte da paisagem na porção sul do Central Park
O meio de hospedagem oferece ainda academia, saunas, lounge para relaxamento, spa e salas de massagem. Mas o melhor mesmo está ali fora. Em associação ao site centralpark.com, os hóspedes têm acesso a tours guiados, mapas e folhetos para aproveitar ao máximo o gigantesco jardim à sua porta. Como diz o slogan do Essex House, que traduz bem o astral do meio de hospedagem: "Sempre conectado ao Parque. Nunca desconectado da Cidade". Ou melhor ainda, no original: "Always in touch with the Park. Never out of touch with the City".
No inverno, quando as árvores perdem todas as folhas, é fácil avistar o Essex House a partir de diferentes pontos do parque
O passeio de charrete é uma das maneiras bucólicas de conhecer a região
    Os esquilos, acostumados à presença humana, não se intimidam e se aproximam em busca de alimento. Em domingo ensolarado, as redondezas do Central Park fervilham de gente e atividades, mesmo no inverno
Os famosos taxis amarelos
  Nos Estados Unidos, o dia dos namorados é comemorado em 14 de fevereiro, dia de São Valentin. A cidade é perfeita também para um passeio romântico. O balão azul faz parte da exposição sobre Tim Burton no MoMa até dia 26 de abril
  Ainda no The Museum of Modern Art, a menina aprecia Pollock. Na sala ao lado, obra interativa do brasileiro Ernesto Neto: Navedenga
 
Numa das fontes do Central Parque, o artista aquece o dia frio com músicas ao saxofone
Com tamanho carisma, convenceu os que estavam por ali para acompanhar sua performance. Assim é Nova York
Pôster do Central Park (foto: centralpark.com)
Serviço Jumeirah Essex House 160 Central Park South Nova York, NY 10019 Estados Unidos Tel.: +1 212 247 0300 jehinfo@jumeirah.com www.jumeirah.com
* A repórter do Hôtelier News hospedou-se no Jumeirah Essex House a convite do hotel.

Comentários