Kayak vê primeiros sinais de recuperação

kayak- centro de dadosDados serão atualizados todo o domingo até o final do ano

Logo no início do ano, em um período pré-coronavírus, o Kayak apontou que as buscas de brasileiros por destinos nacionais cresceram até 133%. Ao eclodir a pandemia, o setor assistiu à quedas históricas conforme as medidas de isolamento cresciam. Para a entender melhor este impacto da Covid-19, o Kayak criou um centro de dados que mostra as tendências de busca de voos dos consumidores, do início da crise até hoje.

"Estamos disponibilizando nossos dados de pesquisa para informar e tranquilizar a comunidade de viagens. Nosso setor tem um longo caminho pela recuperação, mas estou confiante com os sinais positivos nos resultados de pesquisa que estamos começando a ver", diz Steve Hafner, CEO do Kayak.

Com um painel projetado para oferecer informações sobre tendências globais de pesquisa de voos, a iniciativa traz uma visão diária dos impactos da pandemia. Englobando ainda pesquisas em todo o mundo, sempre em relação ao mesmo dia do ano passado. É possível verificar tendências de pesquisas domésticas versus internacionais, além de tendências de análises por cidade de destino. O painel inclui ainda cinco praças em destaque com os maiores picos e declínios nas pesquisas. Os dados serão atualizados todo domingo, até o final do ano.

Kayak: gradual retomada

Sobre os dados, a empresa constatou que a grande queda se estabeleceu em abril. As pesquisas de voos nos Estados Unidos, França, Reino Unido e Alemanha atingiram o ponto mais baixo entre 6 e 8 de abril e começaram a subir em maio. Essa mesma tendência sofreu um grande golpe quando, em 26 de maio, os EUA anunciaram a proibição de viagens ao Brasil, um dos principais destinos internacionais para a maioria dos brasileiros.

Outros destinos cobiçados por brasileiros são Buenos Aires, Nova York e Orlando, aparecendo em destaque no painel. No primeiro momento, contudo, a expectativa de recuperação está no mercado doméstico. Os brasileiros estão buscando destinos com praia como Navegantes (+26%) e Porto Seguro (+25%), em Santa Catarina e na Bahia, respectivamente. E ainda estão receosos quanto às grandes cidades metrópoles, como o Rio de Janeiro e São Paulo, que ainda apresentam demanda muito fraca. 

Segundo a empresa, notícias sobre a redução de restrições estão motivando os viajantes. Em todo o mundo, cidades com restrições de viagens mais amenas estão ganhando impulso mais rapidamente. Nos EUA, são cidades do sul da Flórida, Texas e Geórgia. Na Europa, destinos na Itália, França e Portugal. Como a pandemia ainda não foi controlada por completo na América Latina, esta deve ser a última região a demonstrar sinais de recuperação mais fortes, com os governos ainda definindo os planos de retomada.

A Kayak disponibilizou um Mapa de Restrições de Viagem interativo, detalhando as restrições de entrada por estado e país. Incluindo também um Filtro de Políticas Flexíveis para identificar facilmente opções de viagem com cancelamentos gratuitos.

(*) Crédito da foto: Katyveldhost/Pixabay

Comentários