La Torre Resort (BA) traz revisões em seu gerenciamento de resíduos

la torreResort passará a analisar os resíduos para melhor descartá-los

Medidas sustentáveis vêm sendo trabalhadas no mercado de hotelaria, em âmbito nacional e global. No Brasil é obrigatório que estabelecimentos elaborem um PGRS (Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos) para obter licenciamento ambiental e a emissão de alvará de funcionamento. Com isso, após adotar a cultura plastic free, o La Torre Resort, em Porto Seguro (BA), inicia agora uma revisão em seus processos.

O intuito do projeto é realizar um levantamento de dados sobre quantidades e tipo de resíduos gerados pelos diferentes setores do resort. Desta forma, é possível entender o lixo gerado e diminuir o impacto ao descartá-lo.

Roberta Casseb, auditora interna de A&B do La Torre e coordenadora do processo, explicou que “Nesta revisão estaremos, inclusive, estudando novas alternativas de destinação de resíduos diversos como papel, papelão, eletrônicos, pilhas, baterias e outros resíduos perigosos”.

La Torre Resort: o programa

O processo consiste basicamente na análise dos resíduos e os passos até a destinação final dos materiais. São eles: manejo, acondicionamento, tratamento até o momento do descarte. Seguindo a ideia de que é melhor prevenir do que remediar, Luiz Antônio Ramalho, da Ambiental Bahia, destaca que “o custo do cuidado é sempre menor que o custo do reparo”. Além do ramo da hotelaria, essas medidas também são obrigatórias para diversos setores que produzem resíduos sólidos como saúde, portos, agricultura, construção civil, indústria e saneamento básico.

(*) Crédito da foto: Divulgação/La Torre Resort

 

Comentários