Lideranças do trade turístico do Rio de Janeiro se reúnem para debater segurança

Vinicius Lummertz - ministro do Turismo (Roberto Castro-Mtur) - Rio de JaneiroLummertz: recuperar o Rio por meio do turismo

A execução de uma agenda positiva para o turismo carioca foi o foco principal de um evento realizado hoje, no Belmond Copacabana, no Rio de Janeiro. Entre outros temas, o evento discutiu segurança e desenvolvimento para os destinos turísticos fluminenses, como foco em uma questão bastante sensível atualmente para o estado: segurança pública. Participaram do encontro Vinicius Lummertz, ministro do Turismo; Nilo Sergio Felix, secretário estadual de Turismo do Rio de Janeiro; General Richard Nunes, secretário estadual de Segurança do Rio de Janeiro; e Alfredo Lopes, presidente ABIH-RJ, organizador da iniciativa.

“Precisamos recuperar a economia do Rio, uma das cidades mais atrativas do mundo, por meio do turismo”, afirma Lummertz. Ele destacou a ampliação da oferta hoteleira da capital e citou ainda a melhoria da infraestrutura turística e de mobilidade urbana na capital fluminense. “A segurança pública é, sem dúvida, parte desse projeto que passa pelo turismo como alternativa de emprego e renda para a cidade e o estado do Rio de Janeiro”, complementa.

Felix lembrou que o turismo é um setor fundamental para o desenvolvimento não apenas do Rio de Janeiro, bem como do Brasil. “A palavra chave é integração. O turismo envolve 52 setores da economia e é uma das atividades que mais gera empregos e renda para a população. A união entre os setores público e privado será fundamental para alavancar um segmento tão importante”, avalia.

Rio de Janeiro: segurança e turismo

No encontro, Nunes fez uma ampla palestra sobre os 100 dias da intervenção militar no Rio. “Antes de mais nada, quero frisar que não há segurança sem desenvolvimento, nem ordem sem progresso”, comenta. O general apresentou também índices referentes a ações criminosas, não apenas direcionadas a turistas, como também à população.

Segundo ele, houve uma queda acentuada em ações criminosas contra os turistas como, por exemplo, o número de roubos na Semana Santa. Em 2018, foram registrados quatro casos, contra 20 um ano antes. Levando em conta apenas o mês de abril, a redução é ainda maior: 80 notificações, em 2017, contra 40 este ano.

Rio de Janeiro - líderes do tradeFelix, Nunes, Lummertz, Lopes e Marcelo Alves, presidente da Riotur 

“A intervenção tem um objetivo comum que deve ser compartilhado por todos. Infelizmente, tudo o que acontece no Rio de Janeiro repercute nacional e internacionalmente. Precisamos mostrar, por meio de índices, que os números são extremamente positivos para validar todo o trabalho que temos desenvolvido”, diz Nunes.

Já Lopes reforçou a importância dos agentes públicos e privados trabalharem em conjunto, ressaltando a importância da PPP (Parceria Público-Privada) como agente de mudança. “O combate à criminalidade se dá com agentes em campo, mas também passa previamente pelas áreas de saúde, educação, assistência social e geração de empregos. E cada um de nós tem papel fundamental neste cenário. A apresentação de um Programa de Incentivo traz perspectivas concretas para toda a cadeia produtiva do receptivo turístico do estado, no qual a atividade hoteleira é a principal âncora”, avalia.

Eventos

Por fim, Lummertz ressaltou a realização de um calendário de grandes eventos para a capital fluminense. A cidade deverá sediar 154 eventos ao longo do ano. Até agora, os 22 eventos já realizados em 2018 injetaram R$ 5,93 bilhões na economia local. 

“Precisamos investir mais em divulgação para melhorar essa percepção de segurança e atrair mais investidores e visitantes”, reafirmou o ministro durante um encontro mais reservado com o trade turístico carioca ainda pela manhã.

(*) Crédito das fotos: Roberto Castro/Mtur

Comentários