Londrino Café Royal reabre como hotel de luxo

Vista de um dos quartos do novo hotel londrino (foto: hotelcaferoyal.com)

A história conta que um casal francês imigrou para Londres e ali abriu um dos cafés mais famosos da cidade. O ano? 1865. O nome? Café Royal. Após uma reforma que durou um ano, este conhecido empreendimento abrirá no dia 1º de dezembro próximo como um hotel de luxo, com 159 quartos, dois restaurantes, uma brasserie, duas piscinas, spa e, claro, o café. O local tornou-se célebre por receber escritores como Oscar Wilde, Aubrey Beardsley, Arthur Conan Doyle, H. G. Wells e George Bernard Shaw. A lista não para por aí. Depois de um reforma em 1920, a clientela aumentou e não era raro poder ver nos idos de 1930 e 1940 personagens como Augustus John, Virginia Woolf, Winston Churchill, Jacob Epstein e Graham Greene frequentando o local. A nobreza também sentou nas cadeiras do Café Royal. Eduardo III, que abdicou ao trono para casar com a plebeia Mrs. Simpson, sem mencionar George VI, e já na década de 1990, a princesa Diana. Artistas? Um monte deles: Brigitte Bardot, Elizabeth Taylor, Mick Jagger e Muhammed Ali são alguns dos nomes que passaram por lá. Agora, chegou outra fase. Segundo a matéria do jornal Los Angeles Time, os novos proprietários esperam trazer de volta os clientes celebridades. A última vez que estiveram por lá foi para a festa de despedida do alter-ego de David Bowie, Ziggy Stardust, em 4 de julho de 1973. Lou Reed, Ringo Starr, Barbra Streisend, Eliott Gould, Dudley Moore, Tony Curtis, Paul e Linda McCartney, Keith Moon, Ryan O'Neal, Britt Ekland e Cat Stevens foram algumas delas. Serviço www.hotelcaferoyal.com

Comentários