Malai Manso atinge em 2019 receita prevista para 2021

Malai Manso - Ricardo Gouveia_internaGouveia: segmento Mice tem muito potencial e será foco da equipe comercial

O Malai Manso Resort comemora os bons resultados de 2019. Frente ao ano anterior, a receita cresceu 36%, com o crescimento puxado por um equilíbrio entre diária média e ocupação. Enquanto om primeiro indicador avançou 20% na mesma base de comparação, o segundo aumentou 22%. Com isso, o empreendimento mato-grossense atingiu, no ano passado, a meta de faturamento prevista para 2021.

O bom resultado reflete a maturação do empreendimento, aberto em 2017, avalia Ricardo Gouveia, diretor Comercial do Malai Manso. “Por isso, estamos correndo com o centro de convenções, para continuar com essa rota de crescimento”, afirma. “O Mato Grosso era carente de produtos como esse. É ainda um estado que recebe pouca atenção comercial das grandes redes. Resolvemos fazer essa aposta no mercado local e vem funcionando”, completa.

De fato, o mercado mato-grossense representa 70% do segmento de lazer. “Acho que o resort virou um desejo do público do estado, dando sustentação para nosso crescimento. Ainda assim, gradualmente outras praças começam a nos conhecer”, afirma Gouveia, que destaca São Paulo, Mato Grosso do Sul, Brasília e Paraná como mercados emissores importantes. “Acho que, em 2019, o caso do óleo nas praias nordestinas acabou nos favorecendo um pouco. Entramos no radar de turistas de outros estados”, acrescenta.

Malai Manso: projeções

Para 2020, Gouveia revela que a meta de crescimento de receita é de 20% em relação ao ano passado. “O objetivo é ter novamente uma expansão equilibrada do faturamento, com crescimento de tarifa e de ocupação”, revela. Para chegar lá, a estratégia passa principalmente pela prospecção e atração de mais eventos, mesmo que o novo centro de convenções só abra em novembro.

“O lazer já vem crescendo bastante e deve continuar nessa toada. Agora, o segmento Mice tem ainda muito potencial de expansão” avalia o executivo. “Nossa ideia é intensificar o trabalho de prospecção, com ampliação da equipe que cuida do Mice. A contratação de mais representantes de vendas em outros estados também está em pauta, com foco no segmento”, completa Gouveia, que deu detalhes sobre os principais canais de vendas do resort.

“Hoje, praticamente metade das vendas é por canais diretos, com a central de reservas levando 40% do total de diárias negociadas. O orçamento previsto para 2020 em marketing é maior e continuaremos investindo em digital e mídias sociais. Ainda assim, é importante ressaltar que ações offline, como outdoors, funcionam bastante para nosso público”, finaliza.

(*) Crédito da capa: Peter Kutuchian/Hotelier News

(**) Crédito da foto: Vinicius Medeiros/Hotelier News

Comentários