Mandarin Oriental São Francisco (EUA): o primeiro das Américas

 

A torre onde está situado o Mandarin Oriental São Francisco é uma das mais altas da cidade. Nos pavimentos inferiores são escritórios e nos últimos o luxuoso hotel (fotos: Peter Kutuchian)
 
A expectativa de hospedagem em um Mandarin Oriental é sempre alta. A razão é simples: a rede é uma das mais respeitadas do mundo e sinônimo de luxo tradicional, sim aquele que prima o requinte da decoração, da gastronomia e do serviço.
 
E foi com esse pensamento que chegamos ao Mandarin Oriental São Francisco, na Califórnia, Estados Unidos da América. Viajando de carro desde Los Angeles e com os olhos e ouvidos atentos ao GPS, podemos dizer que foi fácil, muito tranquilo chegar ao centro da cidade onde nasceu na década de 60 do século passado o Flower Power. Aliás, a música da banda The Mamas and the Papas não saía de minha cabeça... "If you're going to San Francisco, be sure to wear a flower in your hair..." (Se você está indo para São Francisco, esteja certo em usar uma flor em seu cabelo). E posso dizer também que quando fizemos o check-out, "deixamos nosso coração ali", (alusão a outra famosa canção, de Tony Bennett, que diz: I left my heart in San Francisco...").
 
A cidade é especial, tem ares europeus, arquitetura mista com suas casas em estilo vitoriano, rica gastronomia, ruas que sobem e descem, além da famosa Golden Gate Bridge, presente em muitos filmes, vistos durante a nossa vida.
 
Mas, e o hotel? Quais adjetivos podem ser aplicados a este que é o primeiro Mandarin Oriental das Américas? Hoje existem mais cinco, em Boston, Las Vegas, Miami, Nova York e Washington, todos na Terra do Tio Sam, e outro em Bermuda.
 
Inaugurado em 1987, o MOSF (Mandarin Oriental São Francisco), completa no ano que vem 25 anos. Está situado em um dos edifícios mais altos da cidade, aliás, é o terceiro maior. A torre contempla nos 48 pavimentos escritórios corporativos, e nos últimos as 158 habitações hoteleiras, sendo que desse número sete são suítes.
 
Após um check-in primoroso, fomos direcionados para as nossas habitações: dois apartamentos conjugados, sendo a nossa uma unidade habitacinal localizada no canto do edifício e com vista de quase 180 graus. Três janelas deixavam a luz natural entrar e propiciavam vistas espetaculares. O dia estava ensolarado e a primeira foto ficará para sempre na memória.
 
A primeira foto tirada no Mandarin Oriental San Francisco: em primeiro plano, o edifício Transamerica Pyramid, o mais alto da cidade; lá atrás, a Coit Tower e entre os dois, a ilha de Alcatraz
 
Diferente da hospedagem experimentada na unidade de Las Vegas - clique aqui para ler -, este hotel "são franciscano" conta em sua infraestrutura, basicamente corporativa, com o restaurante Silks, comandado pelo competente chef Rick Bartram, de um MO BAR, área para eventos e fitness center. Sua localização é na região central, na área financeira, perto da Market Street.
 
As principais atrações de São Francisco podem ser visitadas rapidamente a partir do MOSF. Dá para ir caminhando, por exemplo, para o Pier 39 ou Fisherman's Wharf, principal centro comercial e gastronômico do destino. A maioria dos pontos turísticos pode ser percorrida facilmente a pé, e, para quem preferir ir de bonde, dá para economizar comprando um passe de vários dias e curtir a marca registrada da cidade. Um city tour sempre é recomendado, pois alguém que conhece a cidade com certeza poderá dar boas dicas, depois pode-se voltar aos pontos que caíram no gosto de novo.
 
É possível também ir até Sausalito, do outro lado da baía, atravessando a "ponte dourada", e ver uma pequena cidade cheia de lojas de marca e muito pitoresca.
 
Vamos lá, então, conhecer o hotel do Mandarin Oriental São Francisco!
 
Por Peter Kutuchian*
O Mandarin Oriental São Francisco foi o primeiro da rede a ser inaugurado nas Américas
 
Entrada discreta na Sansome Street, distrito financeiro da cidade
 
As placas na porta indicam o hotel e o restaurante Silks
 
  Dois momentos do lobby da Recepção: logo que entramos e, alguns minutos depois, já com mais movimento de hóspedes. O ideograma chinês no piso de mármore Verdi denominado "shou" representa longevidade, fortuna e sorte
 
Ao passarmos para a outra área do Lobby, vemos a estátua de Guan Yin, deusa chinesa do perdão, e em frente a ela...
 
Uma mesa com os "house phones", um arranjo natural e o dragão vermelho
 
A escada que leva para o restaurante Silks e o suntuoso quiosque de conveniência
 
Como se descêssemos pela escada temos estão visão do espaçoso lobby e do...
 
...MO Bar, o tradicional bar de lobby da marca Mandarin Oriental
 
Num cantinho o piano para embalar os happy hours
 
E a visão que o pianista tem quando dedilha seus acordes
 
  Sofás ou mesinhas confortáveis para "bater papo" ou...
 
...Simplesmente tomar um expresso!
 
O MO Bar conta com sofás ainda mais convidativos
 
Em alguns finais de dia, um sushi man prepara iguarias
 
Mesmo sabendo que vamos ser hóspedes de um Mandarin Oriental, algumas perguntas não deixam de instigar nossa mente. Como será o lobby? E o apartamento? Terá bastante espaço? Meu vizinho vai me incomodar? O elevador será rápido? As perguntas podem até parecer toscas mas, após centenas de hotéis visitados nos últimos anos, alguns aspectos ainda continuam a incomodar este dublê de jornalista.
 
Porém, cinco minutos depois de termos entrado no apartamento fiquei tranquilo em relação a todas as perguntas. Lobby aconchegante, elevador rápido e habitação... Perfeita! Mas, o que faz uma unidade habitacional ser perfeita? Espaço, decoração, amenidades, cama, vista que propicia, equipamentos, aroma, higiene, planta arquitetônica, banheiro...? Tudo isso e mais um item: a atmosfera! Sim, esse ponto astral é o mais importante! E, para se conseguir isso, é necessária uma fórmula que não é simples.
 
Podemos afirmar que o Mandarin Oriental São Francisco conseguiu utilizar essa fórmula e atingir a expectativa em ter uma habitação muito agradável e com bastante alto astral.
 
As 158 habitações - sete delas são as Suites Taipan, Dinasty e Lotus - oferecem várias amenidades e serviços usuais como cofre, linhas telefônicas diretas, frigobar completo, TVs com telas amplas e amenities de marca, porém destacamos no MOSF o serviço de polimento noturno de sapatos; o oferecimento gratuito de jornais e os roupões especiais, além da garrafa d'água cortesia oferecida todos os dias, o chá com biscoitos e frutas de boas-vindas.
 
É notório que a decoração exibe nuances asiáticas, afinal a rede foi criada em Hong Kong no ano de 1963. E essa mescla dos estilos contemporâneo e oriental, mais a utilização dos princípios de feng shui, contribuem para uma experiência única de estada.
 
Distribuídas em 11 pavimentos com 14 UHs em cada torre - após um determinado piso duas torres foram erguidas - e conectadas por uma sky bridge, que vale uma visita. De lá pode-se ver a Bay Bridge, outro marco da engenharia local.
 
  Chega de Lobby, vamos subir para o nosso quarto; dois elevadores servem os hóspedes a partir deste hall
 
  Estamos chegando, repare no carpete e como sua estampa alegra o ambiente! Tivemos o privilégio em ficar em um apartamento situado no canto do edifício e no 45° pavimento!
 
O closet com a bancada vermelha é o primeiro espaço que vemos
 
E a primeira impressão do apartamento
 
A mesa de trabalho, a chaise longue e a cama. Tons de dourado e vermelho combinam
 
A cama "King size" com os raios de sol entrando pela janela. A cabeceira da cama traz outro símbolo: o da eternidade
 
Na entrada, um conjunto mobiliário para momentos de descanso ou para tomar o chá de boas-vindas
 
  As frutas vieram em seguida, como estávamos em dois apartamentos foram entregues duas bandejas
 
Cenas íntimas de uma chaise longue
 
 
 Atrás dela, uma pequena mesa e, sobre seu tampo, um binóculo
 
Dá para passar o dia olhando para essa vista!
 
Lá no fundo, a Golden Bridge e o volumoso nevoeiro
 
E lá embaixo, a 45 pavimentos a Sansome Street
 
  "Investigando" a mesa de trabalho...
 
Olhamos o cardápio do room service, que parece um leque
 
Assim como a logomarca da Mandarin Oriental
 
 
 Sobre a mesa, um envelope com papel de carta personalizado!
 
E falando em personalização, que tal esse monograma com a inicial do meu sobrenome bordado na fronha?
 
 
 Em um dos criados-mudos, despertador, telefone e bloco de anotações. A água é um mimo oferecido em todas as aberturas de cama. No outro lado, a dock station para iPods e um livreto
 
Nos In Locos Especiais feitos por este dublê de jornalista, nunca foi registrado um banheiro com uma vista dessas!
 
 
  No sentido horário, o porta toalhas e o relógio de parede; os amenities que ficam do lado da banheira; a bancada com única pia - o conceito de duas cubas veio muito tempo depois da inauguração deste Mandarin Oriental, e o box
 
 
 Um pouco mais destas deslumbrantes vistas!
 
  Agora, é a vez do apartamento vizinho: a entrada e maleiro...
 
  
 As portas do armário são espelhadas e, dentro dele, a cesta para os sapatos; gaveteiro, cofre, ferro e tábua de passar, além dos travesseiros; a lanterna é para uso em caso de emergências
 
 
 A mesa de trabalho e suas gavetas...
 
 E a visão geral da cama, móvel da TV e mesa de apoio
 
 
Há também uma chaise longue para apreciar a vista ou leitura; quadros com diversos temas completam a decoração
 
  Não poderíamos deixar de incluir a vista deste apartamento, certo?
 
 
 
 O móvel da TV contém o frigobar e seus itens e um DVD Player
 
  
  
 Detalhes íntimos do banheiro, que tem suas paredes no tom amarelo
 
Saindo do apartamento...
 
vamos ver o sky bridge liga as duas torres no topo do edifício
 
De lá pode-se ver a Bay Bridge, por onde viemos de carro
 
A simpática e atenciosa Nancy Sanchez, gerente de Vendas do MOSF, acompanhou nosso site inspection
 
Fomos conhecer as áreas para eventos do Mandarin Oriental San Francisco, que conta com 4 salas, todas com iluminação natural e capacidade para até 100 pessoas sentadas
 
Conseguimos fotografar quase todas as salas, que contam com iluminação natural e pé-direito confortável
 
Alguns cantinhos contam com decoração inusitada, pelo menos para salas de evento
 
Esta parece uma biblioteca e tem formato triangular
 
 
 Mais alguns detalhes da decoração
 
Outra sala, indicada para board meetings
 
 
 Quando o MOSF foi construído, a concepção dos hotéis não vislumbrava algumas áreas que hoje são normais nos novos empreendimentos. Por isso, o fitness center foi construído posteriormente, aproveitando-se algumas salas corporativas
 
O novo espaço atende plenamente as necessidades dos hóspedes que desejam manter a forma
 
Equipamentos modernos e área para...
 ...exercícios compõem o espaço salutar
 
  O local dispõe também de armários e uma sala para massagem
 
A volta para o hotel é feita com segurança, é só passar a chave magnética
 
No piso do Lobby fica o Business Center, que parece um conjunto de escritórios corporativos
 
É quase um escritório virtual, bom não é?
 
Tudo que o hóspede de negócios precisa em sua viagem
 
 
 
 Após o site inspection, subimos para descansar um pouco, esperando pelo horário do jantar
 
Silks Duas ambientações distintas - diurna e noturna - foram passadas como meta para o designer Brad Lublin, que criou uma composição para a noite - removida durante o dia. A atmosfera é sóbria, assim como a decoração, que inspira o romance.
 
A recepção é feita pelo assistente Johnny, que nos conduz à mesa, e logo somos atendidos pelo solícito garçom Geo. Ele explica o cardápio, e a opção por mim escolhida é o menu degustação. Tho, outro garçom, traz os pães, e Jonathan, as bebidas. São os três profissionais que nos atendem durante o jantar e às outras mesas. Com competência e simpatia.
 
Peço para conhecer o chef e minutos depois Rick Bartram vem à mesa. Vamos até a cozinha, onde faço sua foto e escuto ele falar sobre seu trabalho.
  Somos recepcionados por Johnny Ayala, gerente assistente do Silks
 
Para uma noite movimentada, no hall do Silks há sofás para acomodar os clientes enquanto esperam por uma mesa
 
Indo para o salão do restaurante, passamos pela adega
 
 
 Escolhemos nossa mesa e damos um "pulo" na cozinha para conhecer...
 
...o chef Rick Bartram
 
Nascido na Inglaterra e formado pela famosa escola de gastronomia Westminster College, o chef Bartram conta com mais de 20 anos de experiência - tendo trabalhado em restaurantes e hotéis de luxo em Londres, na África do Sul, no Vietnã e na Bermuda.
 
No grupo Mandarin Oriental há nove anos, Bartram trabalhou em dois hotéis da rede: no MO Hyde Park, em Londres e no MO Elbow Beach, em Bermuda, Caribe. Ganhador de alguns prêmios como o Goslings Cup 2008, como o "Melhor Fish Chowder de Bermuda", prêmio arrebatado novamente no ano seguinte durante o "Great Chowder Cook-Off", realizado em New Port, Rhode Island.
 
Sobre sua gastronomia, ele comenta: "Minhas viagens me propiciaram trabalhar com ingredientes orgânicos combinados com técnicas criativas que levam a comida de volta às suas raízes."
 
  Escolhemos o Menu Degustação, e logo os pães quente são trazidos para nossa mesa
 
Começamos nosso jantar com os cumprimentos do Chef
 
  O Amuse Bouche escolhido foi Oyster and Shiitake Mushroom Israeli Cous Cous Risotto, harmonizado com o Wrath 'Ex Anima' Chardonnay, Monterey 2009
 
 
 Outro Amuse Bouche escolhido na mesa foi o Barbaque Sonoma Quail, harmonizado com o Gargiulo Vineyards "Money Road Ranch" Rosato di Sangiovese, Okaville Napa Valley 2007
 
 
Escolhemos como intermezzo Pan Roasted Pacific Halibut, harmonizado com Hirsch Vineyards 'Ngima's Cuvee' Pinot Noir, Sonoma Coast 2009
 
A sobremesa foi esse delicioso Suflê de morango
 
  
 
 Ao longo de nossa estada, experimentamos outras opções do cardápio do chef Rick Bartram, aliás guarde esse nome!
 
Não poderíamos deixar de registrar os simpáticos e amáveis garçons Geo, Jonathan e Tho. Thanks!
 
O MOSF conta também com uma diretora de Vinhos, Nicole Kosta. Infelizmente ela não estava em São Francisco durante o período de nossa hospedagem, mas pudemos provar, felizmente, alguns rótulos incluídos por ela na carta do hotel, onde ela atua desde 2008.Australiana, ela conta em seu currículo com o título de Bacharel em Ciências em Química Orgânica pela Universidade de Adelaide (1994) e com o Certificado de Sommelier da escola de Madeline Triffon, uma das primeiras sommeliers femininas formadas pelo aclamado Matt Prentice Restaurant Group, nos Estados Unidos.
 
 
   Como é na grande maioria dos hotéis norte-americanos, o café da manhã não é incluído na tarifa. E como em um hotel de luxo, o dejejum do MOSF é à la carte. Clicamos algumas opções acima
 
 Deixamos o Mandarin Oriental São Francisco em um dia ensolarado, com muita vontade de voltar um dia!
 
Sustentabilidade Atuando na vanguarda, para um hotel urbano, o Mandarin Oriental São Francisco incluiu recentemente no seu programa de sustentabilidade a utilização de minhocários. São mais de 4 mil seres invertebrados "trabalhando" arduamente para fazer a compostagem dos resíduos alimentares produzidos pelo hotel. O material é levado para uma horta existente no segundo andar do hotel. Lá, os jardineiros produzem várias ervas, como alecrim, tomilho, cebolinha, hortelã, estragão e manjericão, utilizadas nos pratos preparados pelo restaurante.
 
Dentro do programa de sustentabilidade do MOSF, estão incluídas ações básicas como reciclagem de vidros, plásticos, papéis e até sabonetes - higienizados e reutilizados nos banheiros internos e públicos.
 
Outras ações incluem: blocos de anotações para uso interno feitos de sobras de papel; colaboradores trazem de casa papéis e envelopes para serem reaproveitados no hotel; substituição de lâmpadas de 15w por de 3w; utilização de produtos de limpeza eco-friendly; impressoras são programadas para imprimir frente e verso, e garantia que os fornecedores utilizem materiais recicláveis.
 
San Francisco

 

Na esquina do Mandarin Oriental fica a California Street, onde passa uma das linhas dos famosos bondes de São Francisco
 
Olhando outra rua próxima ao hotel
 
  A região onde fica o MOSF é repleta de edifícios comerciais, bancos, enfim, é o centro financeiro de San Francisco. Na foto da esquerda pode-se ver o prédio do hotel lá atrás
 
 Prédios antigos se misturam aos novos
 
  Formas diferentes e, em uma das esquinas da Market Street, flores para alegrar o dia
 
  A menos de uma quadra do MOSF fica o Tadich Grill, o mais antigo restaurante da Califórnia e o terceiro de todo o país, inaugurado em 1849. É especializado em frutos do mar - vale a pena conhecer
 De sobremesa fomos a uma loja na Market Street que vende doces importados do Japão. Deliciosos!
 
 
Na Columbus, a rua que atravessa a cidade na diagonal é repleta de restaurantes. Não pudemos deixar de fotografar o cartaz de um deles que diz: "Temperamos o nosso alho com comida"...
 
Num dia, descemos a famosa Lombard Street, cheia de curvas...
  Bondes de outras cidades dos Estados Unidos foram trazidos para São Francisco, já que muitos deles não são utilizados em outras praças. Na foto da direita, o guia de Turismo Malcom Nicoll, que contratamos para um city tour. Coincidentemente, ele já morou no Brasil e fala português -  facilita e torna o passeio mais divertido
 
Toda a região dos piers está revitalizada, e por suas calçadas habitantes e turistas de Frisco fazem caminhadas e passeios
 
O pier mais famoso é o 39, que foi transformado em um centro comercial e gastronômico. Foi ali que compramos nossas blusas de US$ 10 para nos proteger do vento frio. Sim, em São Francisco, verão mesmo, só em outubro!
 
O Pier 39 fica ao lado do Fisherman's Wharf, um shopping center de rua, onde se concentram também restaurantes que oferecem a gastronomia típica da cidades, ou seja, frutos do mar. Esses caranguejos estão prontos para serem consumidos
 
 
Em sentido horário, ainda no Pier 39, vemos a ilha de Alcatraz, um dos pontos mais visitados por turistas. O local foi um famoso presídio. Preferimos ver outros lugares com mais astral; passamos em frente à casa onde Janis Joplin morou e visitamos as Seven Sisters, as sete casas em estilo Vitoriano...
 
 Paramos para um clique rápido na prefeitura...
  E também pelo bairro onde a cultura Flower Power e dos hippies nasceu. O bairro se chama Ashbury Heights e ainda é reduto daquela geração...
 
As casas ali são coloridas...
 
E até tem uma sorveteria que tem em sua decoração resquícios de uma década marcante...
 
 
 Para atrair clientes, personagens daquela época chamam a atenção; em frente à sorveteria um poeta de rua usa uma antiga máquina de escrever para criar sua arte instantaneamente
 
Fomos até o topo do Twin Peaks para ter essa vista!
 
Deixamos a imagem da Golden Gate Bridge para fechar essa matéria!
 
Com menos de um milhão de habitantes, São Francisco é a quarta cidade mais populosa do estado da Califórnia e a 13ª dos Estados Unidos. A população, segundo o censo de 2010, é de 800 mil cidadãos.
 
A cidade foi fundada em 1776 por espanhóis, que construíram a fortaleza onde fica a ponte Golden Gate denominada Francisco de Assis.
 
Em 1848, a Corrida do Ouro na Califórnia fez a cidade saltar de 1 mil para 25 mil habitantes em apenas um ano, fazendo-a ser a maior cidade da Costa Oeste norte-americana.
 
Em 1906, um terremoto seguido por um incêndio destruiu 3/4 da cidade, que foi reconstruída num prazo de nove anos... Leia mais clicando aqui.
 
Serviço Mandarin Oriental San Francisco 222 Sansome Street - São Francisco, California (EUA) Representante oficial no Brasil: www.x-mart.tur.br www.mandarinoriental.com
 
* A reportagem do Hôtelier News se hospedou no Mandarin Oriental São Francisnco a convite do hotel.

 

Comentários