Móris Litvak: A física nos ensina que existem várias verdades

Móris Litvak

 

Para quem estudou dinâmica — a parte da física que estuda os corpos em movimento — vai se lembrar de um conceito que aparentemente é difícil de entender: a trajetória de um corpo (ou seja, qualquer objeto em movimento) vai depender da posição do observador. Muita gente pergunta: como assim? A estrada que para mim é cheia de curvas, pode ser reta para outra pessoa? A resposta é: sim! Depende de onde você está olhando. Pense no seguinte: você está num carro, observando o carro ao lado, que está na mesma velocidade, “emparelhado” com o seu.  Considere que você só pode ver o tal carro, sem olhar para a paisagem. Você não perceberá que ele está fazendo as curvas, e ainda vai até achar que ele está parado. Quem estiver no acostamento, verá as curvas e os carros em movimento. Quem estiver numa montanha a vários quilômetros dali, vai achar que as curvas são muito fechadas, por mais abertas que sejam.  Quando você está num trem, ônibus ou no carro, as árvores ao longe parecem estar andando, não é?

Pois bem, com a verdade dos fatos é a mesma coisa. Depende de como você os vê. Depende da sua cultura, dos seus gostos, da sua ideologia, sua religião, suas necessidades, e assim por diante. Se eu fosse um sem teto, poderia garantir que você que está lendo é muito rico. Se eu fosse dono de um banco, poderia garantir que você é pobre. Onde eu quero chegar com essa conversa? Quero que você, leitor, perceba que não existe “a verdade". Existem muitas, e nenhuma delas está errada. 

Estamos vivendo dias terríveis, simplesmente porque não sabemos o que vai acontecer amanhã, depois, nem daqui uma semana, muito menos daqui a um mês. Essa pandemia traz incertezas para todos, opsss, quase todos. Os funcionários públicos (nada contra eles, por favor) não estão preocupados se tiverem que ficar em casa por três meses, pois seu salário será depositado no dia certo. Opsss, nem isso é certo, pois existem políticos de vários calibres propondo a redução dos salários dos funcionários públicos. Alguns falam sério, outros são demagogos, achando que com isso vão ganhar a simpatia de parte da população. Vamos imaginar a situação de um camelô, que vende de dia para levar comida para casa a noite ou dos milhares de motoristas de aplicativos, e assim por diante. Você que mora num apê legal, pode não se incomodar em ficar no isolamento, mas imagine uma família pobre, com seis ou oito pessoas, bebês, adultos e idosos, morando em dois cômodos. São realidades bem diferentes, não é? 

Ahhh, alguns dirão que ficar em casa, afinal, é uma unanimidade. Todo mundo acha isso. Bem, nem todos...  e eu ainda poderia lembrar uma frase bem conhecida do grande Nelson Rodrigues:  "Toda unanimidade é burra."

Você que está lendo este post, escrito agora no final de março de 2020, provavelmente está em casa, e como profissional de hotelaria você deve estar angustiado(a), pois é provável que a sua propriedade ou a unidade onde você trabalha esteja fechada, na melhor das hipóteses aberta com um mínimo de pessoas. Falando sobre as várias verdades, você é daqueles que acham que o hotel deveria reabrir logo? Ou você acha que não pode reabrir, porque isso implicaria em perdas de vidas? O que eu garanto é o seguinte:  seja lá como você pensar, você estará certo(a), embora muitos achem o contrário.  

Fica aqui a minha modesta recomendação: a última coisa (aliás, nem isso) a fazer é entrar em discussões acaloradas, porque, como eu já disse, todos estão certos e, ao mesmo tempo, todos estão errados. Não deixe que mais esta questão implique na perda de amigos, respeite a opinião de todos, por mais absurdas que lhe pareçam. Tolerância é, acima de tudo, respeito às opiniões contrárias e divergentes. E este é o momento ideal de exercitarmos a tolerância, em todos os sentidos desta palavra. E lembre-se: a física é uma ciência exata.

----

Formado em engenharia pela USP, Móris Litvak trabalhou na indústria de computadores quando esta surgiu no Brasil e, mais tarde, em assistência técnica. Fundou a WebBusiness em 1996, que hoje chama-se Omnibees. Iniciou fazendo sites, tendo concentrado-se em sites para hotéis e logo focado em reservas online. Atualmente ele comada a easyHotel, voltada ao fornecimento de tecnologia de gestão e reservas para pequenos meios de hospedagem.

(*) Crédito da foto: ArquivoHN

Comentários