MTur: turismo destaca destinos que contam a história dos negros no Brasil

mturSalvador é uma das capitais brasieiras com roteiros turísticos que resgatam a história dos afrodescendentes

O MTur (Ministério do Turismo) celebrou o Dia da Consciência Negra, marcado no dia 10 de novembro, destacando os destinos turísticos que contam a história dos negros no Brasil. A data, comemorada há oito anos, destaca a influência dos afrodescendentes na cultura do país por meio da música, política, religião, gastronomia entre outras contribuições.

A cultura negra está presente na maioria dos atrativos e destinos turísticos do país, como igrejas construídas pelos escravos, museus e centros culturais. Entre os estados mais influenciados pela cultura africana estão Maranhão, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul. Tanto que as capitais paulista, fluminense e baiana criaram roteiros turísticos que resgatam a história dos afrodescendentes por meio do incentivo à visitação de atrativos turísticos com referência a esta vasta cultura.

Ao menos seis quilombos estão registrados em atividade turística no país. Entre eles, a pasta destaca dois: Cavalcante (GO), com atividades na Comunidade Kalunga e Paraty (RJ), onde está localizado o famoso Quilombo Campinho da Independência, que possui artesanato, festejos tradicionais e é uma referência importante da cultura afro-brasileira.

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, o Dia Nacional da Consciência Negra é uma forma de lembrar aos brasileiros a importância social do turismo étnico, constante nestes destinos. “No turismo social, onde se inclui o Turismo Étnico, o visitante busca estabelecer um contato próximo com a comunidade anfitriã, participar de suas atividades tradicionais, observar e aprender sobre suas expressões culturais, estilos de vida e costumes singulares. Muitas vezes, essas atividades funcionam como memória afetiva das próprias origens do visitante, em um retorno às tradições de seus antepassados”, reforçou.

O Turismo Étnico, segundo o Caderno Turismo Cultural do Ministério do Turismo, “constitui-se de atividades turísticas envolvendo a vivência de experiências autênticas e o contato direto com os modos de vida e a identidade de grupos étnicos”. Esse tipo de atividade envolve as comunidades representativas dos processos imigratórios europeus e asiáticos, as comunidades indígenas, as comunidades quilombolas e outros grupos sociais que preservam seus legados étnicos como valores norteadores de seu modo de vida, saberes e fazeres.

MTur: a data

Instituída pela Lei nº 12.519, o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra homenageia, também, o pernambucano que nasceu livre, mas foi escravizado aos seis anos de idade. Anos depois, Zumbi volta para sua terra natal e torna-se líder do Quilombo dos Palmares, falecendo em 20 de novembro de 1695.

Em 2003, o governo federal, pela Lei nº 10.639, determinou a inclusão da temática “História e Cultura Afro-Brasileira” no currículo escolar. Nesse mesmo documento, ficou estabelecido que as escolas iriam comemorar a consciência negra.

A data é celebrada em 832 municípios de Alagoas, Amazonas, Amapá, Mato Grosso e Rio de Janeiro - estados que aprovaram leis estaduais que determinam o feriado de 20 de novembro.

(*) Crédito da foto: Márcio Filho/MTur

Comentários