NE INVEST - Turismo de luxo é tema de palestra


Como atrair turismo de luxo para o Brasil. Foi esse o tema central de uma das conferências realizadas na tarde desta quinta (29) no Nordeste Invest 2008. Franck Vallois, fundador e presidente da Brazilian Luxury Travel Association, afirmou que o turismo de luxo representa hoje 3% do mercado turístico mundial, mas é responsável por 25% das divisas turísticas.

“Não acredito que o turismo de massa seja uma boa opção para o Brasil. O turismo de luxo tem tudo para dar certo no país”, afirmou Vallois. Ele afirmou que o turismo de luxo é um nicho de mercado que se subdivide em outros nichos: esporte (ele deu o exemplo de pedaladas de uma semana que chegam a custar US$ 7 mil), pesca, aventura e trekkings, entre outros.

Segundo Vallois, o segmento é um investimento que tem um retorno muito alto. O turista de luxo faz mais propaganda boca a boca do que o turista convencional e estima-se que o nicho cresça de 10 a 20% por ano, mundialmente. O mercado oferece hoje cerca de 10 mil agências espalhadas em 70 países que trabalham com este turismo em que os preços não fazem tanta diferença para o consumidor. Ele afirmou que o mercado indiano é um dos que começa a olhar o Brasil de maneira interessante na questão do turismo de luxo.

O turista deste segmento busca autenticidade, e como o Brasil tem muitas culturas autênticas, oferece um grande potencial para esse tipo de turista. Vallois apresentou dados do ranking da publicação Travel + Leisure, que dentre o que ela considerava os 500 melhores hotéis do mundo, nenhum era brasileiro. “Isso mostra que as nossas poucas estruturas que se encaixam nesse tipo de turismo estão sendo mal divulgadas. Temos que melhorar a nossa comunicação”, afirmou o empresário.

Ele listou também os fatores brasileiros que têm marcado a mente dos estrangeiros. Além das tradicionais alegria, hospitalidade, futebol, bossa nova e caipirinha, entre outros, as sandálias Havaianas se mostram como o mais novo ícone brasileiro no exterior. “Em uma semana, 50 mil pares de Havaianas foram vendidas somente no Reino Unido”, afirmou.

Além de criar mais estruturas de alto padrão tomando como exemplo os melhores do mundo sem perder a autenticidade brasileira, Vallois enfatiza a importância de capacitação da mão-de-obra local, a total prioridade aos detalhes, a busca constante pela excelência e a melhora da divulgação para o mercado interessado como fatores que podem alavancar o turismo de luxo brasileiro.(Chris Kokubo)

Serviço
www.nordesteinvest.com.br
* O Hôtelier News é media sponsor do Nordeste Invest 2008 e viaja a convite da Adit-NE.

Comentários