O que as grandes redes estão fazendo?

Black Friday - ações dos hotéisHotéis centralizam a divulgação nas redes sociais

A uma semana da Black Friday, o otimismo é grande em todo comércio eletrônico nacional. Estimativa da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) aponta para gastos de R$ 2,87 bilhões apenas nos dias 22 e 23 de novembro. A hotelaria nacional também já embarcou no potencial da data e, já alguns anos, promove ações comerciais agressivas. Nada mais natural. Afinal, desde a ascensão das OTAs (Online Travel Agencies), o consumidor abraçou definitivamente a internet para fazer suas reservas.
 
Quem pensa, contudo, que a data serve apenas para engordar o faturamento no final do ano está redondamente enganado. Na era dos dados e da customização da experiência de compra do cliente, a Black Friday tem uma utilidade muito maior, em especial na hotelaria. “A data é um importante gerador de leads. Então, as empresas têm uma boa chance para aumentar sua base de clientes para trabalhá-la depois”, explica Carolina Haro, sócia da Mapie, indicando que este é um caminho para elevar a fatia de reservas diretas.

A especialista explica que, durante a Black Friday, o perfil dos clientes é, ao mesmo tempo, amplo e específico. “Há um perfil socioeconômico variado, mas todas as pessoas estão em busca de preço. Então, é bem relevante expandir a base, porque, muitas vezes, há condições para que esse público, que é bastante sensível a preço, tenha acesso aos produtos oferecidos e conheça sua marca depois disso”, avalia.

Ainda assim, ela faz um alerta: “Em cima de pesquisas da Mapie da Focus Right, percebemos que a fidelização existe e tem crescido na data”, afirma Carolina. “No entanto, não gera lealdade à marca. A fidelização ocorre para que consumidores tenham acesso a melhores preços ou a condições diferenciadas e experiências exclusivas”, ressalta.

Black Friday: perspectivas

De forma geral, redes hoteleiras, resorts e hotéis independentes consultados pelo Hotelier News vêm apostando em descontos agressivos, de pelo menos 20%. Algumas delas impõem limitação para o período de reservas. Há ainda empresas que, em vez de fazer uma promoção apenas na data, optam por rodar a campanha por uma semana. Por fim, para levar essas informações aos consumidores, os canais escolhidos são basicamente os mesmos: principalmente e-mail marketing e redes sociais. Há, contudo, quem aposte em anúncios no Google, mas investimento em mídia paga não é regra. 

“Na Intercity, usamos bastante e-mail marketing, ativando nossa base. O trabalho é quase todo orgânico”, explica Marcelo Marinho, diretor de Operações e Marketing da rede gaúcha. “Começamos a campanha no final de outubro. Abrimos um pré-cadastro com ofertas exclusivas no site, ação que deu muito certo, porque gera mais lead e dá benefício aos consumidores para a data. Mais ainda, resulta em procura qualificada, pois quem fez o cadastro são pessoas realmente interessadas. Há, portanto, boa taxa de conversão”, completa.

Black Friday - Roberta AlmeidaRoberta: promoção extrapola canais orgânicos

Recém-criada, a Aviva faz estratégia similar, com igual sucesso, explica Heber Garrido, diretor de experiência Marketing e Vendas. “Estamos trabalhando com a pré-Black Friday com descontos para clientes que fizeram o pré-cadastro em nossa base antecipadamente”, explica. “Com as redes sociais conseguimos direcionar e qualificar a mensagem diretamente ao público-alvo, conseguindo dessa forma captar leads com antecedência. Nossa previsão de crescimento (nas vendas) é de 40% comparado ao ano anterior”, completa.   

No Grand Hyatt São Paulo, a estratégia extrapolou os canais orgânicos. “As redes sociais têm papel fundamental em nossa estratégia, tanto por meio de posts promocionais, quanto de conteúdo. Nas redes sociais conseguimos engajar a audiência correta em nossas publicações, oferecendo produtos relevantes para aquele perfil”, afirma Roberta Almeida, gerente de Comunicação e Marketing. “Este ano testaremos novos formatos de vídeo com objetivo de ter maior alcance, impactar e reter o público”, acrescenta.

Black Friday - Mônica PaixãoMônica: ação não tem limitação de datas

Black Friday: venda direta

Mais do que uma estratégia para captar leads e, claro, aumentar o faturamento, a Black Friday é também uma ótima oportunidade para tornar o canal direto mais conhecido do consumidor. Localizado em Teresópolis (RJ), o Le Canton fará promoção da Black Friday apenas nos canais do empreendimento: site e central de reservas. 

“Este ano estamos apostando mais no potencial da Black Friday e ampliando a promoção. De 19 e 26 de novembro, faremos a venda de diárias para todo o ano de 2019, incluindo feriados, com descontos de 30% a 40%. No ano passado, a ação foi mais restrita”, explica Mônica Paixão, diretora do resort, que também ressalta o papel das redes sociais. “Fundamental na divulgação por ser venda direta. Faremos campanhas no Instagram e Facebook, usando todos os desdobramentos de cada canal: feed, stories, lives e campanhas patrocinadas”, destaca.

Com um site recém-lançado, a Deville também está apostando alto na data. Segundo Cicero Vilela, diretor de Marketing e Vendas, a primeira black week (a empresa faz uma semana de promoção) realizada foi em 2017. “Nossa expectativa é de que haja um incremento de 15% na receita em comparação com 2017”, destacando que as ofertas são válidas apenas para os canais diretos. 

“O que buscamos é chamar atenção para nossos hotéis, de um público que, talvez, em condições normais, não os considerasse como opções. A partir daí, é nosso trabalho encantá-los, superando suas expectativas, ao ponto de que relatem suas experiências”, finaliza.

(*) Crédito capa: Wokandapix/Pixabay

(*) Crédito das demais fotos: Divulgação

Comentários