O segmento de casamentos e sua importância para o mercado de hotéis

CasamentosAos noivos, é preferível casar em hotéis de praia ou montanha

Segundo informa o portal Zankyou, que atua auxiliando noivas a se organizarem para os casamentos, o orçamento médio de um evento celebrando o matrimônio gira em torno de R$ 56 mil. Pensando em tudo que é necessário para realizar esse tipo de evento, entre muitas escolhas, o local da cerimônia é um dos fatores mais determinantes. Por que não, então, escolher um hotel como cenário?

Mariana Panhoni, gerente de Marketing do Zankyou, cita que optar pela indústria hoteleira têm facilitado o trabalho dos noivos. Principalmente para os que querem fugir do estresse da organização. A executiva destaca ainda que a preferência desse público é, na maioria das vezes, por hotéis de montanha ou praia. "O hotel simplifica a vida de quem vai se casar, mas também recebe benefícios", diz Mariana. "O casamento é um mercado que deveria ser mais explorado pelos empreendimentos, pois gera um fluxo constante de pessoas no espaço de eventos", complementa.

Para o futuro e pensando em crescer na recepção desse tipo de ocasião, a profissional opina que a indústria brasileira precisa pensar melhor suas estratégias. Melhorar divulgação e o marketing, além de entender melhor o segmento é parte importante nesse caminho. Sem uma análise profunda do público, comenta a gerente, hotéis não vão conseguir se aproximar desse nicho. 

Casamentos: hotéis do mercado

Rodrigo Alk, gerente-geral do Clube dos 500, localizado no interior paulista, afirma que o empreendimento têm se direcionado totalmente para a recepção de eventos do gênero. Por meio de parcerias, campanhas em redes sociais e participações em feiras, o profissional afirma que o estabelecimento consegue manter bom fluxo de cerimônias recebidas.

Segundo comenta o gerente, aproximadamente 70% do faturamento de janeiro a junho deste ano veio de casamentos. "É possível mensurar, por essa informação, o foco que temos com esses clientes", afirma Alk. Ao longo de 2018, o empreendimento recebeu 30 casamentos, com a prospecção de encerrar o ano com 45. Para 2019, a expectativa do Clube dos 500 fica entre 40 e 50 eventos do tipo.

Alk: o foco do hotel é muito voltado para casamento

No contexto mais complexo de redes que tem o público corporativo como seu principal cliente, existe também uma atenção para o mercado de matrimônios. No caso do Grupo Royal Palm, Michele Martins, executiva de Vendas de Banquetes Sociais da empresa, afirma que essa vertente de eventos sociais preenche a agenda dos finais de semana. 

"Mesmo com hotéis em destinos pouco procurados para casamentos, o Grupo Royal Palm podem ser considerados um ponto fora da curva. Isso em razão da estrutura de resort oferecida", diz. As unidades da empresa recebem, principalmente, os mini-weddings — que são cerimônias menores e mais intimistas. A representante da companhia afirma que também alcança bons resultados a partir do Destination Weddinngs, ou seja, hospeda convidados da festa. 

O grupo tem uma estrutura para receber no mínimo 35 pessoas. No caso da negociação de A&B, por exemplo, Michele conta que tenta ser o mais flexível possível, não permitindo somente a troca do buffet, que é exclusivo do próprio empreendimento.

(*) Crédito da Capa: StockSnap/Pixabay

(**) Crédito da Foto: Pexels/Pixabay

(***) Crédito da Foto: Divulgação/Clube dos 500

Comentários