O tradicional e o moderno convivem em harmonia no Gran Estanplaza

por Claudio Schapochnik

 

 

Perspectiva artística do hotel, que tem

209 apartamentos

 

Um prédio em estilo francês que chamava a atenção a quem passava na avenida engenheiro Luís Carlos Berrini e perto do shopping D&D, na zona sul de São Paulo, é o mais novo cinco estrelas da cidade. Custou R$ 60 milhões e levou 30 meses de obras. Trata-se do Gran Estanplaza São Paulo, marca top da rede nacional Estanplaza Boutique Hotels. É como uma ilha rodeada daqueles edifícios de estilos modernos e futuristas. Inaugurado em soft-opening em 19 de maio passado, tem 209 apartamentos distribuídos em sete categorias.

?O Gran Estanplaza São Paulo quer ser para a capital paulista o mesmo que o Copacabana Palace é para o Rio de Janeiro?, diz Lúcio Suriani, presidente da rede. O empreendimento é o único hotel da América Latina membro da Preferred Hotels e Resorts, associação de hotéis independentes com mais de 100 associados em todo o mundo.

A reportagem do Hôtelier News foi visitá-lo nos dias 29 e 30 de junho e conta como foi se hospedar no Gran Estanplaza São Paulo. Confira!

 

Check-in

Eram 23h quando cheguei ao hotel. No alto da linda cúpula de bronze do hotel, tremulava a bandeira nacional graças ao vento forte que soprava. Esqueça o tradicional balcão e o ficar em pé para preencher a ficha. Não há balcão, sentei-me numa cadeira e preenchi a ficha. Antes de tudo, por causa da troca de turno na recepção, fui cumprimentado por seis funcionários. Todos dizendo ?boa noite, senhor?.

Enquanto fazia o check in, me ofereceram água, refrigerante e café. Preferi água. ?Com gás ou sem gás, senhor?? O procedimento foi realizado de forma atenciosa e prestativa.

 

Chegada ao quarto

Tentei várias vezes, mas o meu cartão magnético estava vencido. O mensageiro que me acompanhava pediu desculpas e foi até a recepção ver o que aconteceu. Poucos minutos depois, chegou ele e trouxe um novo cartão que, aí sim, abriu a porta. Explicou o funcionamento do quarto e despediu-se pedindo desculpas novamente. Chamou-me a atenção essa chave eletrônica ter alguns telefones úteis (bombeiro, polícia etc) e o logo de um cartão de crédito ? Master Card.

 

Apartamento

Hospedei-me numa suíte luxo. Apenas essa categoria e mais duas ? super luxo e suíte júnior ? estão à disposição dos hóspedes. Os outros quatro tipos de quarto serão abertos mais à frente. Assim como já é visto em outros hotéis, o ?do not disturb? foi substituído por um equipamento eletrônico: luz verde (camareira pode arrumar), luz vermelha (não perturbe).

O apartamento tem uma cama king size, uma mesa de trabalho, com acesso à internet de banda larga, uma TV de 29 polegadas, DVD, minibar e uma poltrona com uma mesinha. Os quadros (reproduções) retratam paisagens do Brasil Colônia. Há varanda nesse e em todos os quartos do hotel. No telefone, há teclas que controlam três luminárias e o ar-condicionado. Não é nada complicado, basta tocá-las.

O banheiro tem banheira ? sem hidromassagem. Em relação aos amenities, havia um item que até então jamais tinha visto em outros hotéis: enxágüe de boca, isso mesmo, para ser usado após a escovação. Experimentei e o gosto é suave demais. Além do espelho dentro do banheiro, não há outro no quarto.

Os preços do minibar me chamaram a atenção: não são abusivos. O cinco estrelas cobra, por exemplo, R$ 1 pelo amendoim, R$ 1,50 por uma barra de cereal e R$ 2,50 por uma garrafa de água (com ou sem gás). O item mais caro é a castanha de caju (R$ 5,50). A única bebida alcoólica é a cerveja (R$ 4 a lata). ?Mas há outras opções de bebidas no nosso cardápio?, alertou-me o mensageiro.

O cardápio do room-service é inovador quanto à classificação. Esqueça carnes, sanduíches, saladas etc. A divisão é marcada por nomes e expressões diferentes. Veja: ?Todo o frescor da horta?, para saladas; ?Fumegantes e revigorantes?, para sopas e cremes; ?Do velho moinho?, para massas; Do mar; Da terra (carnes); Os da tradição (sanduíches); e Um pouco de doçura (sobremesas e doces).

A TV por assinatura tem canais árabe e japonês, além dos tradicionais europeus e norte-americanos, além, é claro, dos nacionais. Antes de dormir, liguei à recepção e pedi para ser acordado as 7h15.

 

Café da manhã

O serviço de despertar foi eficiente e pontual: às 7h15 a recepcionista ligou. O café da manhã é servido num espaço chamado Plaza. Bastante claro, graças ao teto (retrátil) de vidro, e com móveis modernos e arranjos de plantas e flores, o local agradou.

O bufê de comes e bebes é farto e muito gostoso. A salada de frutas estava muito boa e variada. Na parte de frios, há pastrame. Os sucos são todos naturais e batidos na hora. Creio que não são usados sucos de caixinha ou polpa. A omelete foi preparada na hora e estava muito saborosa. Pedi para fazer com queijo, tomate e champignon. As frutas ficam em cestas trançadas e rústicas.

Para não hóspedes, o café da manhã custa R$ 20 por pessoa. O serviço não é terceirizado. Em toda a rede Estanplaza ? sete hotéis no total, todos em São Paulo ?, a área de A&B é própria e segue a filosofia de trabalho da empresa.

O hotel tem ainda um restaurante, o Payard, e um balcão que servirá doces e sobremesas. O almoço custa R$ 35 por pessoa, inclui sobremesa e exclui bebidas. Em breve haverá ainda uma cafeteria aberta ao ar livre.

 

Decoração

Nos corredores do térreo, dos andares, da área de convenções (1o e 2o andares) o que se vê são reproduções de desenhos da fauna e flora, de mapas e cenas do Brasil Colônia e da época do Brasil Holandês (1630-1654). Destaques para os desenhos da obra ?Viagem pelo Brasil?, dos naturalistas de língua alemã Spix e Martius, que percorreram o Brasil de 1817 a 1821. Essas gravuras, na maioria preto e branco, parecem se integrar perfeitamente aos mármores, granitos e revestimentos do hotel.

 

Fitness center

Localiza-se no último andar do prédio. Esse serviço, sim, é terceirizado. Trata-se do Centro Nuno Cobra de Qualidade de Vida, do preparador físico de mesmo nome. Além da piscina, sauna úmida e sala de musculação, o centro oferece massagens, meditação e outras terapias desestressantes.

Com exceção das massagens e outros serviços, o uso do centro é incluído na diária dos hóspedes. O local funciona também pára o público em geral, como uma academia. Em breve, o local vai ganhar um pequeno bar. O teto da área onde estão os equipamentos de musculação também é retrátil.

 

Gerente de Relacionamento

O Gran Estanplaza não usa o termo ?gerente geral?, mas sim gerente de Relacionamento. Ele, que se chama George Durante, não trabalha dentro de uma sala. Sua mesa fica na biblioteca do hotel. Segundo a responsável pelo guest relation, a idéia é que o profissional sempre esteja à disposição do hóspede da forma mais transparente e presente possível.

Na biblioteca, há uma lareira. É do tipo para ser ligada, pois funciona a gás. Pode ser mais ?limpa? e funcional, mas perde o encanto do fogo e da brasa. Ao lado da biblioteca, fica a área de lojas do hotel. Em breve, estarão funcionando.

 

Serviço

Gran Estanplaza São Paulo

Rua Arizona, 1.517 - São Paulo/SP

Tel. (11) 2162-3500

Central de reservas

Toll free: 0800-7261500

Tel. (11) 3059-3277

Fax: (11) 3059-3288

E-mail: reservas@estanplaza.com.br

Site: www.estanplaza.com.br

 

O site Hôtelier News se hospedou a convite da Estanplaza Boutique Hotels.

Comentários