OMT: 96% dos destinos globais estão com restrições de viagens

OMTCerca de 90 destinos fecharam suas fronteiras total ou parcialmente

Na liderança como setor mais afetado pela crise do coronavírus, o turismo encontra desafios em diversas áreas. De grandes hotéis ao comércio local, as medidas de isolamento criam uma nova rotina pelo mundo sem precedentes, aos menos para a sociedade moderna. No quesito viagens, as companhias aéreas se veem sem alternativas, senão paralisar as operações, quase que por completo. Segundo estudo realizado pela OMT (Organização Mundial de Turismo), 96% dos destinos globais estão com restrições de viagens.

Recentemente a Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo) divulgou que a demanda global de passageiros caiu devido à pandemia de Covid-19. A OMT considerou como medidas restritivas o fechamento total ou parcial das fronteiras para turistas, restrições de viagem específicas ao destino (“Passageiros que transitaram ou estiveram em x não podem entrar em x”), a suspensão total ou parcial de voos, medidas diferentes, incluindo requisitos de quarentena ou auto-isolamento, atestados médicos, invalidação ou suspensão de emissão de vistos.

As medidas tiveram início logo no começo da crise, em janeiro, e foi ganhando força conforme o vírus atravessou continentes, levando muitos países,  inclusive o Brasil, a fechar suas próprias fronteiras. Nos últimos anos, como agência especializada das Nações Unidas para o turismo, a OMT tem monitorado regularmente a facilitação de viagens e observado uma tendência contínua em direção a uma abertura maior por parte dos países.

Todavia, o coronavírus fez com que as cartas mudassem. Cerca de 90 destinos fecharam suas fronteiras total ou parcialmente para turistas, enquanto outros 44 estão fechados para certos turistas, dependendo do país de origem.

OMT: impacto

Zurab Pololikashvili, secretário-geral da OMT, analisa o momento: “O Covid-19 impactou as viagens e o turismo como nenhum outro evento da história. Os governos colocaram a saúde pública em primeiro lugar e introduziram restrições totais ou parciais às viagens. Com a suspensão do turismo, os benefícios trazidos pelo setor estão ameaçados: milhões de empregos podem ser perdidos e o progresso alcançado nos campos da igualdade e do crescimento econômico sustentável pode ser revertido. A OMT insta, portanto, os governos a revisar continuamente as restrições de viagens e facilitar ou levantá-las assim que for seguro fazê-lo. ”

A revisão global da OMT mostra que as regiões globais são amplamente consistentes em sua resposta ao Covid-19. Na África, Ásia e Pacífico e Oriente Médio, 100% dos destinos adotaram restrições relacionadas ao vírus desde janeiro de 2020. Nas Américas, 92% dos destinos adotaram medidas semelhantes, enquanto na Europa a proporção é de 93% (a partir de 6 de abril).

(*) Crédito da foto: TheDigitalArtist/Pixabay

Comentários