Orfèvrerie Royale adapta operação e produz máscaras para funcionários

Orfèvrerie RoyaleColaboradores trabalham de máscara, respeitando o distanciamento

Todos os dias, os funcionários da Orfèvrerie Royale, empresa voltada à fabricação de artigos decorativos para o varejo e hotelaria, passam por uma medição de temperatura ao menos duas vezes. Na porta, o segurança utiliza o termômetro para averiguar o estado de saúde dos colaboradores. A mudança na rotina faz parte das adaptações feitas pela companhia devido ao avanço do coronavírus no país.

Apesar do impacto da pandemia no dia a dia de muitas empresas brasileiras, Sylvain Signoret, proprietário da Orfèvrerie, optou por manter as operações com rigorosas medidas de higienização. “Estamos funcionando normalmente. Antecipamos a chegada do coronavírus ao Brasil e compramos caixas de máscaras e álcool em gel. Distribuímos kits de higiene aos nossos funcionários junto com uma cartilha de boas práticas para evitar a contaminação”, explica.

Como é possível ver na imagem, os colaboradores trabalham com máscaras de proteção fornecidos pela empresa, que iniciou também uma fabricação própria. “Passamos a produzir máscaras de algodão para os funcionários, pois sabemos que em breve não encontraremos à venda, além de serem descartáveis”, ressalta o empresário.

Outras medidas foram implementadas como alteração da jornada de trabalho. Buscando preservar a saúde dos trabalhadores, o expediente termina às 16h30, evitando horários de pico no transporte público. “O vale-transporte agora é pago em dinheiro para motivar os funcionários que puderem a vir de carro e organizar caronas”.

A equipe também foi reduzida. Pessoas acima de 60 anos e pertencentes ao grupo de risco foram dispensadas, mas tiveram seus empregos preservados. “Tenho funcionários que foram orientados a ficar em casa, mas mantivemos seus custos. Colaboradores com filhos e parentes com problemas respiratórios também foram dispensados”.

Orfèvrerie Royale: demandas

Com grande demanda do mercado hoteleiro, Signoret conta que muitos pedidos foram cancelados, levando a empresa a se dedicar totalmente ao varejo. “Na hotelaria, tudo parou completamente. Estamos focando em peças de decoração e aproveitando para trabalhar em novas linhas para quando sairmos desta situação”.

O proprietário da Orfèvrerie diz que ainda não foi possível calcular qual será o prejuízo da empresa, pois como a grande maioria do mercado, também foi pego de surpresa. “Não fizemos este tipo de projeção. Temos que tomar as atitudes certas, pois estamos no início ainda. Será uma luta demorada”.

(*) Crédito das fotos: Divulgação/Orfèvrerie Royale

Comentários