Parada LGBT reforça ocupação paulista neste feriado

parada lgbtSão esperadas 3 milhões de pessoas nesta edição

A organização da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo espera um público de mais de 3 milhões de pessoas para a 23ª edição do evento. Organizada pela ONG APOGLBT SP, o desfile acontece neste domingo (23) na capital. O evento atrai, além dos paulistanos, pessoas de outros estados e até estrangeiros. Portanto, não só a avenida Paulista ficará mais colorida, como os lobbies dos hotéis também. 

O hotel Meliá Paulista, por exemplo, espera uma ocupação de 85% no final de semana, acima da estimativa para a edição passada. Dos hóspedes, 55% são brasileiros e 45% estrangeiros. Dos turistas internacionais, a maior parte são de países da América do Sul, como Argentina, Chile, Paraguai e Colômbia. Mas também dos Estados Unidos, da Itália, Espanha e de Portugal. 

Para Sandro Stanise, gerente regional de Vendas do Meliá, o hotel se preocupa em oferecer comodidades para quem vem à Parada. “O Meliá Paulista é o hotel mais próximo à concentração dos trios, então nossos hóspedes, na verdade, estão hospedados na própria Avenida, tendo completo conforto e praticidade para aproveitar a festa desde o início”. 

Provando ainda mais como o evento impacta na hotelaria, a Accor, pelo segunda ano consecutivo, é parceira da organização da Parada como rede hoteleira oficial do evento. Para quem se hospeda em hotéis Accor na região da Paulista, a rede preparou experiências exclusivas, além de descontos na hospedagem. Além disso, a empresa também oferece estada no mesmo hotel que alguns artistas da Parada e programação especial nos bares.

O Mercure São Paulo Paulista Hotel, de administração da rede francesa, também registra 85% de ocupação neste fim de semana. Segundo Daniel Walsick, supervisor de Recepção do hotel, os hóspedes, maioria brasileiros, também recebem brindes entregues pela organização do evento. “No ano passado a organização deixou cervejas para que entregássemos aos hóspedes que fossem à Parada. Este ano ainda não sabemos o que será, mas quem se hospedar aqui para o evento terá essa experiência a mais”, disse Walsick. 

Não só a hotelaria como a economia geral da cidade de São Paulo se beneficia da Parada LGBT. No ano passado, o evento trouxe impacto econômico de R$ 288 milhões para a capital paulista segundo Bruno Covas, prefeito da cidade. Na edição deste ano, a Prefeitura de São Paulo irá contribuir com R$ 1,8 milhão em investimento. 

A Parada do Orgulho é um marco importante para o turismo LGBT que, só em 2018, movimentou US$ 26,8 bilhões no Brasil

Parada LGBT: programação

Serão 19 trios elétricos, um a mais que o ano passado, com atrações como a ex-Spice Girl Mel C, Iza, Luisa Sonza, Gloria Groove, Aretuza Love, Lexa, Mc Pocahontas e outros.

A concentração será na avenida Paulista a partir das 10h, com saída programada para às 13h30.

(*) Crédito da foto: Divulgação

Comentários