Pesquisa traça o perfil do turista no RJ durante o feriado de Páscoa

RJ- PáscoaSegundo Castro, os dados ajudam a melhorar persepção dos turistas em relação ao destino

O Rio de Janeiro arregaçou as mangas para realizar melhorias no turismo local. A Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ e a Fundação Cesgranrio, com o apoio do portal Consultoria em Turismo Bayard Boiteux, Escola de Turismo Cieth e a Sergio Castro Imóveis, realizaram uma pesquisa que traçou o perfil do turista que esteve na capital fluminense durante o feriado de Páscoa.

O estudo foi feito entre os dias 18 e 21 de abril com 700 viajantes brasileiros em 10 bairros da cidade. Coordenada professor Bayard Boiteux, diretor executivo do Instituto de Pesquisas e Estudos do Turismo do Rio de Janeiro, a análise contou com a colaboração de 10 pesquisadores. 

A Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ e a Fundação Cesgranrio ,com o apoio do Portal Consultoria em Turismo Bayard Boiteux,Escola de Turismo Cieth  e a Sergio Castro Imoveis realizaram uma pesquisa de 18 a 21 de abril,com 700 turistas brasileiros,em dez bairros do Rio,para identificar o perfil do turista que visita a Cidade Maravilhosa,no feriado da Páscoa.
A pesquisa foi coordenada pelo Prof Bayard Boiteux,diretor executivo do Instituto de Pesquisas e Estudos do Turismo do Rio de Janeiro,órgão de pesquisa da Associação e 10 pesquisadores. 

RJ: perfil do turista

Cerca de 53% dos visitantes se identificam com o gênero masculino, enquanto outros 47% com o feminino. Desse montante, 40% ficaram hospedados em hotéis, 27% em residências alugadas via Airbnb, 20% em apartamentos de temporada e 13% na casa de amigos. 

No quesito formatação de viagem a diferença é gritante. Por volta de 27% dos turistas visitaram o destino com o auxílio de agências de viagens e outros 73% foram por conta própria. Do total, 60% possuem ensino superior, enquanto 29% completaram o ensino médio e 11% cursaram até o fundamental. 

Segundo a pesquisa, os principais atrativos da Cidade Maravilhosa são: praias (30%), gastronomia (21%), população anfitriã (17%), transporte público (12%), shoppings (9%), atrações culturais (7%) e por último hotéis (4%). Em contrapartida, os maiores fatores negativos são: segurança (39%), limpeza (26%), programações gratuitas (19%), sinalização turística (14%) e outros (2%). 

Do total de turistas entrevistados, 80% voltaria ao Rio e 20% afirmam que não pretendem retornar. São Paulo é o maior emissor de viajantes, com 48%; seguido de Minas Gerais, 27%; Nordeste 10%; interior do Rio, 8%; Brasília 5% e Espírito Santos, 2%.

Durante o feriado de Páscoa, 36% dos turistas tinham entre 25 e 42 anos, 28% entre 42 e 64 anos, 20% entre 18 e 25 anos e 16% com mais de 65. No total, 45% estavam visitando o destino pela primeira vez, 27% já haviam ido pelo menos uma vez, 20% visitaram o Rio duas vezes e 8% três vezes. 

De acordo com Claudio Castro, presidente da associação, os estudos auxiliam o trade a melhorar seus serviços e campanhas de marketing. No período, a ocupação hoteleira no estado carioca atingiu 70% com diária média por volta de R$ 329,09.

(*) Crédito da foto: IvaCastro/Pixabay

(**) danielserrani/Pixabay

Comentários