PIB 2019 registra menor avanço em 3 anos

pib 2019Primeiro ano do governo Bolsonaro registrou crescimento decepcionante

Com a desaceleração no quarto trimestre, o PIB 2019 (Produto Interno Bruto) do Brasil encerrou o ano com crescimento de 1,1% - resultado mais fraco em três anos. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a economia do primeiro ano de governo de Jair Bolsonaro recuou ao mesmo patamar em que estava em 2013. 

O desempenho foi afetado pela queda no consumo das famílias e nos investimentos privados. Em valores totais, o PIB do ano passado somou R$ 7,3 trilhões. Mesmo sendo esta a terceira alta consecutiva após dois anos de retração, o cenário econômico brasileiro vem se recuperando em marcha lenta.

O dado anual apresentou fraqueza quando comparado aos anteriores. Em 2017 e 2018, a economia subiu 1,3%. Entre outubro e dezembro de 2019, o PIB apresentou expansão de 0,5% sobre o terceiro trimestre, já apontando desaceleração, visto que os três meses anteriores cresceram 0,6%.

Já o PIB per capita (por habitante) teve alta de apenas 0,3%, alcançando os R$ 34.533 no ano passado. Apesar de um crescimento um tanto decepcionante, os resultados foram dentro do esperado pelo mercado, que ao final de 2019 passou a projetar um fechamento próximo a 1%.

PIB 2019: setores

Entre os setores que se destacaram em 2019 estão: Serviços (1,3%); Indústria (0,5%); Agropecuária (1,3%); Consumo das Famílias (1,8%); Construção Civil (1,6%) e Importação (1,1%). 

Apesar dos resultados insatisfatórios, o mercado hoteleiro mantém o pensamento otimista quanto a 2020. Abel Castro, vice-presidente sênior de Desenvolvimento de Novos Negócios Accor América do Sul, afirma que as taxas de juros estão reaquecendo o setor, tornando os investimentos atrativos novamente. “Os juros impactam no momento de decisão e isto está tornando a hotelaria um negócio rentável aos olhos dos investidores”, diz. “Quem investe em hotéis pensa a longo prazo, em ciclos. Há três anos atrás era difícil falar em indicadores, o crescimento era muito baixo. Estamos vivendo o momento de retomada de desenvolvimento”.

(*) Crédito da capa: joelfotos/Pixabay

(**) Crédito da foto: Valter Campanário/Agência Brasil

Comentários