Profissionais debatem em live estratégias de Marketing durante e pós pandemia

liveFlexibilização de políticas e bons relacionamentos foram pontos abordados

Dando continuidade à sequência de lives promovidas pelo Hotelier News e Grupo R1, o tema abordado na tarde de hoje (22) foi Marketing e Vendas: caminhos e insights. Durante a transmissão, profissionais da área debateram estratégias no período de pandemia e retomada do setor. 

Apresentado por Peter Kutuchian (Hotelier News) e Raffaele Cecere (R1), o bate-papo foi moderado por Vinicius Medeiros (Hotelier News) e Jeferson Munhoz (HotelCare). Participaram da conversa Daniel Mourão (BBro); Daniela Rocco (Transamerica Hotels); Gisele Ruiz (Novotel Itu Golf & Resort); Elizabeth Kyoko Wada (Anhembi Morumbi); Jeferson Munhoz (Hotel Care e Escola para Resultados); Igor Castelo (Amarante Hospitalidade); Pedro Carvalho (Amarante Hospitalidade) e Rodrigo Napoli (Fasano Hotels).

O debate começou com os principais caminhos que os empreendimentos hoteleiros estão tomando durante a pandemia e como cada um vem trabalhando sua marca diante de um cenário incerto. A coordenadora de pós-graduação da Anhembi Morumbi detalhou algumas ações que podem ser implementadas de forma estratégica. “Todas as grandes redes têm adotado iniciativas similares como boletins detalhados de como a marca enxerga a Covid-19, renegociações, critérios de cancelamentos e flexibilidade de pontuação em clubes de fidelidade. Algumas também abriram suas portas para receber profissionais da saúde e pessoas que buscam isolamento”. 

Elizabeth ainda reforça que este é um momento propício para modernizar canais de vendas e sites, dando um novo layout para  a retomada. “Existem empresas que não revisam seus sites há anos. Esta é uma ótima oportunidade para isso, já que o tráfego está baixo. Planos de prevenção são importantes, mas precisam ser analisados e planejados com os profissionais de marketing. Outro ponto é sempre deixar um telefone para contato, somos pessoas sentindo falta de contato com outras pessoas, não apenas com robôs”. 

Munhoz colocou na roda o questionamento de quais as principais tendências de distribuição e quais conteúdos e estruturas são os mais adequados para o momento. O gerente de Comunicação da Amarante, Pedro Carvalho, afirma que esta é a hora de trabalhar na construção da marca diante da crise, mas sempre com cautela. “Estamos focando em destino com foco em vendas, com equipes e recursos bem definidos. Com a reputação preservada, este não é o momento de prospectar novos clientes, mas de trabalhar com a base que temos. O trabalho de comunicação tem que ser retomado, mas com cautela para evitar passar uma mensagem insensível, de diversão em um momento de calamidade”.

Em sua fala, Gisele destacou a importância de parcerias sólidas em períodos de crise e que este é um momento chave para adquirir conhecimento. “Não dá pra não estudar, não dá para não ter conhecimento em Marketing Digital. É preciso saber o que é para entender o que você quer, o que não quer e ter alguns padrões para ver se está sendo bem feito. Analisar a gestão de canais de distribuição, o custo de cada um, saber qual traz mais lucro. Temos que saber para quem vender na retomada”.

Live: segmentos

Diretor de Vendas do Fasano Hotel, Napoli deu suas perspectivas sobre a retomada nos mercados de luxo e lazer. Citando um estudo divulgado pela ILTM, o profissional acredita que o segmento upscale pode ter uma recuperação mais rápida do que outros setores. “O turismo de luxo gera um ecossistema de US$ 3 trilhões por ano. Este segmento é baseado principalmente no setor de A&B (Alimentos&Bebidas), eventos esportivos, wellness, cultura e arte. Isso tudo concentrado em poucas pessoas, a estimativa é que apenas 23 milhões de pessoas são consideradas de alta renda que, somadas, possuem US$ 94 trilhões em mãos, o que gera um impacto muito positivo”.

Sobre o lazer, Napoli afirma que o turismo doméstico é a grande aposta, mas que depende da malha aérea para retomar as atividades. ‘Nunca dependemos tanto do turista brasileiro como agora. Temos que apostar no regional, levando em consideração distâncias que possam ser percorridas por vias terrestres. Cada hotel precisa entender suas características como destino e de consumo e direcionar ações nesta linha”.

Com forte atuação no mercado Mice e corporativo, a Transamerica Hotels adotou estratégias comerciais específicas durante e pensando no pós pandemia. “Os relacionamentos no momento são mais importantes que as vendas. Precisamos garantir a interação do time para entender o impacto e qual, pois fazer previsões está difícil prever. Não adianta ficar pedindo estimativas para os clientes. É hora de construir relacionamentos que irão ajudar na retomada para ambos os lados”, comentou Daniela Rocco. “Temos que analisar qual segmento está comprando, entender quais os geradores de demanda de cada mercado, o tamanho do impacto da pandemia e avaliar a oferta”, complementa.

Castelo, RM da Amarante Hospitalidade, afirma que é preciso desapegar de antigos processos e segmentações para se adaptar ao cenário que está prestes a nascer. “Deixe no passado ferramentas, processos, segmentações. Jogue fora seus dados, temos que trabalhar do zero, refletir sobre ferramentas que temos utilizado, não existe uma fórmula própria. A aproximação entre o Marketing e RM ajudarão na retomada, puxando junto o departamento de Controladoria e investidores. A recuperação começa com flexibilidade de políticas, tarifas. Muitos hóspedes tiveram problemas e isso gerou trauma e agora eles procurarão a maior flexibilidade possível”.

Para assistir a live na íntegra acesse o link (a transmissão começa às 1:37:30). 

(*) Crédito das fotos: reprodução da internet

 

Comentários