Reaberto em junho, Hotel Termas Chillán (Chile) mira público brasileiro

Hotel Termas Chillan - José Francisco BenaventeBenavente: resort não fecha no verão e aposta em experiências ao ar livre

Após trocar de proprietário, o Hotel Termas Chillán reabriu em junho, após longa e milionária renovação. O resort de neve retomou as operações de olho no Brasil, mercado mais promissor segundo José Francisco Benavente, gerente geral da propriedade. O executivo conversou com a reportagem do Hotelier News ontem (23), durante o TL Roadshow 2019.

Segundo o executivo, outros mercados atrativos na América do Sul são Peru, Argentina, Equador e Colômbia. “Ainda assim, 50% da demanda são do mercado doméstico”, informa Benavente. “Normalmente comercializamos pacotes de uma semana com pensão completa e meia pensão. O primeiro sai por US$ 3,7 mil e o segundo por US$ 3,4 mil”, acrescenta.

Anteriormente conhecido como Gran Hotel Termas de Chillás, o empreendimento fica próximo ao Mountain Park, para onde é possível ir já esquiando. O próprio resort, portanto, oferece aluguel de equipamentos, bem como vende passes para as pistas de ski.

Hotel Termas Chillán: estrutura

Renovado, o empreendimento ficou fechado a partir de setembro de 2018. No total, o resort conta com 109 apartamentos, além de possuir piscina coberta (e aquecida) e um restaurante. Um ponto alto é o spa, que tem 2 mil metros quadrados de área e oferta 27 tratamentos. “Apesar de coberta, a piscina tem uma passagem para a área externa”, destaca Benavente.

Embora seja um resort de neve, o empreendimento não fecha durante o verão, informa o gerente geral do Hotel Termas Chillán. “Nessa época do ano, apostamos nas experiências. São oferecidas aos hóspedes diferentes atividades, como trekking e arvorismo”, finaliza Benavente.

(*) Crédito da foto: Vinicius Medeiros/Hotelier News

Comentários