Receita da Accor cresce 16,9% em 2018 e bate em € 3,6 bilhões

Accor - resultados financeirosAccor fechou 2018 com 4.780 hotéis no portfólio global

Com sólido desemprenho em todo o mundo, a Accor fechou 2018 com receita de € 3,6 bilhões. O montante representa alta de 16,9% frente a 2017 e premia o plano estratégico executado pela empresa. O sucesso da empreitada também pode ser retratado pela a alta de 14,5% no Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) e pela sólida expansão global. No total, foram 300 hotéis inaugurados ao redor do planeta (43.905 quartos). Os dados integram os resultados financeiros da multinacional francesa, divulgados ontem (21). 

Em 2018, a rede francesa apostou na manutenção de poucos ativos em seu poder, estratégia simbolizada pela venda de sua participação majoritária na AccorInvest – seu braço imobiliário. Em paralelo, a companhia fez várias aquisições ao redor do mundo, com rápida e eficiente redistribuição dos recursos provenientes desses negócios. As compras da Mantra Hotels, Mövenpick Hotels & Resorts, Atton Hoteles e ResDiary são exemplos dessas negociações.

“Os resultados refletem uma profunda transformação, marcada principalmente pela venda de nossa divisão imobiliária e pelo grande número de aquisições. Nossos resultados estão claramente melhorando, com o EBITDA, a geração de fluxo de caixa e o desenvolvimento orgânico do portfólio novamente em patamares recordes”, celebra Sébastien Bazin, CEO da Accor. 

AccorHotels: mais números 

A combinação entre crescimento do RevPar e rápida expansão do portfólio impulsionou a receita oriundas de contratos de gestão e de franquias. À exceção da África e Oriente Médio (-1,1%), o indicador subiu em todas as demais regiões. As Américas do Sul (+13,8%) e do Norte, Central e Caribe (+18,1%) registraram alta de dois dígitos. Europa (+8,7%) e Ásia-Pacífico (+8,4%) também tiveram performances sólidas, levando a uma expansão global de 9% no índice – sempre na comparação com 2017.

Segundo a Accor, o segmento de Luxo foi responsável por 38% das taxas oriundas dos contratos de gestão e de franquias no mundo. Para a empresa, a contribuição da categoria para a geração de receita continuará a crescer nos próximos anos, já que várias aberturas estão programas. Ainda este ano, falando de Brasil, será inaugurado o Fairmont Rio de Janeiro Copacabana, primeiro empreendimento da marca na América do Sul.

Accor - Sébastien BazinBazin acredita em manutenção de bons números em 2019

O RevPar global da empresa fechou com alta de 5,6% frente a 2017, com destaque para a Europa (+6,5%). No Velho Continente, o resultado positivo foi puxado pela performance no mercado francês (+6,9%), com menção para a expansão de Paris (+12,2%). Região que a Accor aposta e investe bastante, Ásia-Pacífico teve crescimento de 4,3% no índice, com a China mantendo expansão sólida (6,8%).

Na América do Norte, Central e Caribe, o aumento verificado foi de 4% em relação a 2017, refletindo o bom desempenho do Canadá (+7,1%). A América do Sul experimentou forte recuperação ao longo de 2018. Segundo a Accor, a melhoria constante da atividade econômica no Brasil foi determinante para a expansão de 12,3% no RevPar da região.

Com um crescimento orgânico recorde, a Accor adicionou 43.905 quartos (300 hotéis) ao seu inventário global em 2018. Com isso, a rede francesa encerrou o ano passado com 703,8 mil apartamentos (4.780 unidades) no portfólio. O pipeline de desenvolvimento prevê mais 198 mil habitações (1.118 propriedades), dos quais 78% ficam em mercados emergentes – 49% na região Ásia-Pacífico.

“Os resultados de 2018 estão também alinhados com nossos objetivos de médio prazo. O crescimento da Accor continua: estamos aumentando nossa participação no mercado global e consolidando nosso balanço. Em 2019, o grupo continuará nesse caminho”, finaliza Bazin.

(*) Crédito da capa: geralt/Pixabay

(**) Crédito da foto: Arquivo HN

(***) Crédito da foto: Divulgação/Accor

Comentários