Rede Travel Inn aposta na administração e no Rio de Janeiro

Joaquim Rodrigues é o vice-presidente da rede Travel Inn,
que estima crescimento de 20% neste ano
(fotos: Rhaiane Sodré)
 
O angolano Joaquim Rodrigues chegou no Brasil em 1977 e começou, por acaso a trabalhar com o turismo. Com o tempo percebeu que a carreira já fazia parte da sua história e, após muita dedicação à atividade, se tornou um exemplo no ramo. Depois de 20 anos como diretor da rede Othon e dois anos com o mesmo cargo no grupo Samadhi, o profissional assumiu há quatro a vice-presidência da rede Travel Inn.
 
“Acumulo passagens por diversas áreas, como operacional, reservas e gerência geral. Foi na rede Othon que aprendi tudo sobre hotelaria e hoje aplico os conhecimentos nos projetos de expansão e nas metas a serem cumpridas na administradora Travel Inn”, conta.  
 
A Travel Inn é propriedade da Results, que foi criada em 1987 pelo moçambicano Manuel da Gama, e sua primeira unidade foi estabelecida em Campinas, São Paulo. Pelo país possui hoje 27 unidades administradas com a marca Travel Inn nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Espírito Santo e Rio Grande do Norte. São cinco segmentos oferecidos: Travel Inn Resorts, Travel Inn Flats Services, Travel Inn Hotel, Travel Inn Residence e Travel Inn Pousadas, onde todas as unidades têm por filosofia a satisfação do cliente.
 
São quase 23 anos de atuação com números favoráveis. São mais de 1,9 mil unidades habitacionais, um patrimônio administrativo que chega a meio bilhão de reais e fluxo mensal girando em torno de R$ 12 milhões.
 
Em entrevista exclusiva, Joaquim Rodrigues falou sobre os resultados e novidades da rede à equipe do Hôtelier News. Confira abaixo o bate-papo realizado em seu escritório em Copacabana, no Rio de Janeiro.
 
Por Rhaiane Sodré
 
Hôtelier News: Quais são os próximos investimentos da rede Travel Inn? 
Joaquim Rodrigues: Agora estamos voltados para a inauguração de novos hotéis e resorts, estrategicamente localizados em praias paradisíacas ou cidades voltadas ao turismo de lazer, como o Travel Inn Praia Bonita Resort & Convention, no Rio Grande do Norte, na praia de Camurupim, que será inaugurado em regime soft opening em agosto deste ano e ainda o Travel Inn Vista Morena, no litoral sul da Paraíba, que será inaugurado em 2011.
O investimento do Travel Inn Praia Bonita é de R$ 22 milhões, todas as acomodações terão jacuzzi e uma de suas vantagens será a sua localização, a 30 quilômetros do aeroporto da cidade e entre o mar e a lagoa.
 
Em São Paulo, três projetos de revitalização já estão em andamento, que são: Travel Inn Ybiá, em Indaiatuba, Travel Inn Live & Lodge, em São José dos Campos, Travel Inn Braston, no centro paulista. Com o foco no turismo de negócios, alguns hotéis estão sendo modernizados para adequá-los melhor ao público corporativo.
 
O Travel Inn Ybiá Hotel, localizado em Indaiatuba, terá ampliado o número de 36 para 180 apartamentos. Além disso, o hotel ganhará um centro de convenções com capacidade para duas mil pessoas. Por também possuir características de resort, o empreendimento atende não apenas a demanda de turismo a negócios, mas inclusive o de lazer, já que a cidade também se destaca por suas diversas atrações turísticas, culturais e pelo turismo rural, tendo em vista que o município conta com diversas propriedades agrícolas.
 
 
 
HN: E no Rio de Janeiro? Alguma novidade para o Estado?
Joaquim Rodrigues: Sim. Queremos nos posicionar como uma empresa que atende ao segmento off shore. Por isso, algumas de suas unidades estão localizadas em cidades estratégicas, como Macaé, Cabo Frio, Rio das Ostras, Búzios, Angra dos Reis, Espírito Santo, São Paulo, dentre outras. Todas oferecem acomodações e infraestrutura para este perfil de hóspede. Assim, em todos os hotéis e flats da rede, o cliente poderá encontrar acesso à internet nos apartamentos, além de salas para uso comum equipadas com microcomputadores e fax, salas de convenções aparelhadas para reuniões diversas e profissionais treinados para oferecer o melhor atendimento.
 
No Estado do Rio, assumimos recentemente algumas administrações, como do Apa Pau Brasil, em Armação dos Búzios. O hotel está recebendo investimentos de R$ 2 milhões para um retrofit. O Travel Inn Solar do Peixe Vivo, também em Búzios, passou a ser administrado por nós neste mês e o Armação dos Búzios, que assumimos no ano passado, está fechado para reformas e será reaberto em agosto.
 
Estamos procurando um flat para administrarmos na capital fluminense em virtude da alta ocupação dos nossos empreendimentos na cidade. Temos interesse nos principais polos emissores e hoje o nosso foco é no Rio de Janeiro.
 
HN: A rede também está focando em destinos fora do eixo Rio - São Paulo, com a abertura do Travel Inn Praia Bonita e o Travel Inn Vista Morena Resort, que está sendo edificado na Praia de Carapibus, na Paraíba, dentre outros empreendimentos já existentes. Faz parte da estratégia de expansão? Existem outros destinos que a rede ainda não atue e tenha interesse?
Joaquim Rodrigues: São Paulo é o destino com maior concentração de hotéis administrados pela rede Travel Inn, mas estamos expandindo para lugares com praia para conjugar a demanda corporativa existente no mercado paulista e carioca oferecendo opções de lazer para os executivos que utilizam o grupo ao longo do ano. É uma forma de aproveitar a confiança do hóspede para novas apostas hoteleiras. O Travel Inn Pituba, em Salvador, vai entrar em processo de reforma, mas vai continuar operando durante as obras.
 
Joaquim apresenta detalhes do Travel Inn Praia Bonita 

HN:
Há interesse na compra de hotéis? Tem projetos para investimentos fora do Brasil?
Joaquim Rodrigues: Não. Todos os empreendimentos são administrados e comercializados e assim iremos manter nossa atuação. Pretendemos iniciar a internacionalização da rede em agosto. Será um hotel tradicional de 180 UHs, o Travel Inn Bauen Suite, no centro de Buenos Aires, na Argentina.
 
HN: A aquisição de novas administrações de estabelecimentos hoteleiros está sendo motivada pela demanda que a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 irão gerar para o Brasil?
Joaquim Rodrigues: Os grandes eventos esportivos ainda não motivaram nossos investimentos, mas estamos efetuando um planejamento que ainda será aplicado. Acredito que toda hotelaria se beneficiará e não iremos deixar de aproveitar o momento.
 
O Rio de Janeiro é o foco atual da rede Travel Inn 
 
HN: Como foi o desempenho deste ano da Travel Inn em comparação com 2009? Quais foram os resultados obtidos?
Joaquim Rodrigues: Foi positivo e com metas atingidas. No primeiro trimestre registramos o crescimento de 30% em relação ao ano passado. Estimamos fechar 2010 com aumento de 20%. A média anual da ocupação dos nossos hotéis é de 60%. Claro que alguns destinos, como São Paulo e Rio, possuem uma demanda maior, mas outros, como Cabo Frio, estão apresentando crescimento. 

HN:
Como fica dividida a demanda dos hóspedes nos hotéis administrados pela Travel Inn?
Joaquim Rodrigues: A principal estratégia da rede é atender o público voltado ao segmento de negócios e offshore. Por isso, algumas de suas unidades estão localizadas em cidades estratégicas deste segmento, como Macaé, Cabo Frio, Rio das Ostras, Búzios, Angra dos Reis, Espírito Santo, São Paulo, dentre outros. Acreditamos que o negócio de petróleo irá crescer muito no Brasil. Atualmente nossa demanda é de, aproximadamente, 65% corporativa e 35% de lazer. Durante as férias, esse saldo varia um pouco, pois recebemos mais turistas com a família para momentos de descanso.
 
 
 Homenagens recebidas por Joaquim na parede do seu escritório. A da direita é da Ordem dos Parlamentares do Brasil e a da esquerda do Jacques Cousteau, concedida em 1992 por Franco Bruni
 
HN: Há contratos em andamento de novas opções de hospedagens para a rede administrar no segundo semestre?
Joaquim Rodrigues: Não. A ideia é trabalhar a consolidação e reestruturação dos seis meios de hospedagens adquiridos desde o início do ano nos últimos seis meses de 2010. Hoje trabalhamos com a oferta de 28 empreendimentos.
 
HN: Qual você acredita ser o diferencial da rede Travel Inn diante de tantos concorrentes no mercado? 
Joaquim Rodrigues: A alta performance comercial aliada a uma estratégia administrativa com foco no cliente e a otimização dos custos.
 
HN: Como é formada a equipe comercial do grupo?
Joaquim Rodrigues: Temos dez executivos de contas em São Paulo, quatro no Rio de Janeiro, dois em Macaé, um no Rio Grande do Norte e um escritório na Bahia com um executivo. O perfil do nosso consumidor atual é a efetuação da reserva pela internet e investimos nesse sistema com apresentação detalhada de cada hotel da rede. A reserva feita por esse canal estará automaticamente efetuada no empreendimento hoteleiro. A central de reservas do Rio representa 20% das nossas vendas. 
Outro importante canal são as feiras de turismo nacionais e internacionais. Buscamos estar presentes na maioria delas.
 
HN: Quais são os mercados mais importantes?   
Joaquim Rodrigues: O mercado nacional representa 80% da nossa demanda depois temos Argentina, Portugal e o norte da Europa. 
 
Contato 

Comentários