RevPar hoteleiro cresce 4,7% em 2018, diz estudo da JLL

jll hotelariaRevPar de  Belho Horizonte cresceu em mais de 30% em 2018

A performance dos hotéis brasileiros no ano de 2018 apresentou um crescimento do RevPar de 4,7% em relação a 2017 após três anos de queda.  Resultado foi divulgado na pesquisa “Hotelaria em Números 2019”, realizada pela JLL. O indicador passou de R$ 129 em 2017 para R$ 135 em 2018.

As diárias médias cresceram 0,8% no comparativo, passando de R$ 227,70 para R$ 229,50, sinalizando leve recuperação do mercado. De acordo com a análise, a pequena recuperação da economia e o resultado das eleições presidenciais causaram alta nos índices. Também houve uma elevação de 4,1% da taxa de ocupação média, passando de 56,5% em 2017 para 58,9% no ano passado.

Para Ricardo Mader, diretor de Hotéis e Hospitalidade da JLL, essa tendência deve se confirmar para os próximos anos. “Os hotéis apostaram na queda dos preços das diárias para garantir a ocupação em meio à crise. Em 2018, tivemos uma recuperação tímida, mas importante, que sinaliza que o mercado está com demanda aquecida”, destaca.

São Paulo, Fortaleza, Recife, Brasília e Belo Horizonte foram as cidades com melhora mais significativa, com crescimento variando de 13% a 16% no RevPar. Um destaque ainda mais positivo foi a cidade de Belo Horizonte, onde indicador cresceu 33%, passando de R$ 79 para R$ 105. Outra capital que teve bom resultados foi Manaus, cuja ocupação cresceu 10 pontos percentuais na comparação anual. O que elevou o RevPar em 21,25%.

Enquanto o Rio de Janeiro teve resultados negativos, com queda de 12,5% no indicador, indo de R$ 159 para R$ 139. A diária média da cidade também apresentou queda, de 10,6%, caindo de R$ 309 para R$ 276.

Ao analisar o desempenho dos resorts brasileiros, os empreendimentos tiveram alta no RevPar de 6,5%, ficando em R$ 1004. A ocupação, porém, caiu 6,6%, ficando em 53%. 

JLL: Perspectivas para 2019

Segundo Mader, o mercado pode ficar otimista. “O ano de 2019 começou com o mercado de hotéis mantendo a tendência de melhora, com boa taxa de ocupação e elevação das diárias médias. Até 2021, o segmento deve permanecer aquecido, com recuperação da demanda e aumento significativo nas transações”, ressalta.

Relatório do FOHB (Fórum dos Operadores Hoteleiros do Brasil) corrobora essa análise, mostrando alta em todos os indicadores no primeiro semestre. Destaque para o RevPar, que cresceu 12,8% em comparação com mesmo período de  2018

Segundo a pesquisa da JLL, a queda das taxas de juros, acompanhada da promessa de aprovação das Reformas (Previdência e Tributária), devem criar um ambiente mais positivo para negócios. O que deve motivar ainda mais os investidores a buscar alternativas de investimento e a assumir riscos maiores.

(*) Crédito da capa: Ph B/Unsplash

(**) Crédito da foto: Pedro Vilela/MTur

Comentários