Robôs começam a militar na área de A&B – e com desenvoltura!

Robôs bartenders - JapãoRobô bartender trablha 24h seguidas e virou atração no Yoronotaki 

Com a transformação digital, a experiência humana trilha novos rumos – e a indústria de hospedagem se adapta a essa realidade. A robótica é um bom exemplo de esforços da hotelaria mundial. De segurança patrimonial a room service, robôs já se integraram à paisagem dos lobbies dos hotéis. Agora, contudo, chegou a hora do A&B (Alimentos & Bebidas), e de uma maneira surpreendente.

Um restaurante da rede Yoronotaki, de Tóquio, decidiu elevar a experiência gastronômica do cliente para um novo patamar. Ainda em período de testes, o mais novo colaborador do estabelecimento é um robô bartender. O equipamento é capaz de servir cerveja em meros 40 segundos, além de produzir coquetéis em apenas um minuto.

O atendimento também “não deixa a desejar”. Projetado pela QBIT Robotics, o robô tem quatro câmeras para monitorar os clientes e analisar suas expressões com um software de inteligência artificial (AI). Segundo a empresa, cada máquina é vendida por 9 milhões de ienes, cerca de US$ 82 mil dólares.

Robô bartender: contexto

Segundo a Reuters, a nova “contratação” é consequência do déficit no número de trabalhadores no Japão. Líder global em pesquisas em robótica, o país vem encontrando nos robôs uma alternativa para suprir a demanda de mão de obra. Embora qualquer tipo de inovação pressuponha ganhos financeiros, no mesmo Japão a aposta completa na tecnologia encontrou um limite.

Quem se lembra do Henn Na Hotel? A propriedade, que fica próximo a Nagasaki, no Japão, apareceu pela primeira vez em 2015 nas “páginas” do Hotelier News. Naquele ano, quando foi inaugurado, a unidade inovava ao utilizar robôs em sua operação. Pois bem, no ano passado, alguns desses funcionários robóticos foram “demitidos”. Leia a reportagem e entenda por que. 

Há, contudo, bons exemplos também. Na China (só podia ser no Oriente, certo?), o Flyzoo Hotel tem toda sua operação automatizada. Localizado em Hangzhou, o empreendimento é um de propriedade do gigante Alibaba e serve de palco para testes de tecnologia da empresa para o ramo da hospitalidade.

(*) Crédito da capa: Lenin Estrada/Unsplash

(*) Crédito da foto: Tim Kelly/Reuters

Comentários