Roteiros de Charme: diferencial ambiental

Por Karina Miotto

A Associação de Hotéis Roteiros de Charme é um capítulo à parte na hotelaria nacional. Fundada em 1992 por cinco empresários depois da Conferência Mundial das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, reúne 47 hotéis, pousadas e refúgios ecológicos em 11 estados que têm em comum a beleza da localização e das instalações, além de preocupações social e ambiental.


Estados onde se encontram as unidades pertencentes à
associação Roteiros de Charme
(fotos e imagens: divulgação)


Para fazer parte da associação, os empreendimentos devem cumprir uma série de itens, entre eles os que fazem parte do Código de Ética e Conduta Ambiental, criado em 1999 com o objetivo de conseguir o levantamento, a análise e a redução dos impactos causados pela atividade hoteleira. Se o hotel poluir o meio ambiente, nem adianta tentar fazer parte do Roteiros, a não ser que esteja disposto a mudar de postura.


Pássaro fotografado durante o bird watch
no hotel Rosa dos Ventos, em Teresópolis (RJ)

O que o código diz
No que tange à energia, este código fala da necessidade de economizar e de desenvolver um cronograma de implantação das ações com destaque para a redução de custos e para o retorno do investimento, além de abordar a importância de energias alternativas como a solar e a eólica. Os associados também devem evitar o uso de aquecedores elétricos individuais e instalar aparatos para a redução da iluminação supérflua, como temporizadores ou sensores de presença.

O código inclusive prevê itens em relação à água e pede a estimativa e a redução do consumo em todas as dependências do hotel, além de enfatizar a troca desnecessária da roupa de banho – o hóspede é quem deverá decidir se quer ou não uma nova toalha a cada dia de hospedagem. E para que os clientes também sejam tocados por ações ambientalmente corretas, o empreendimento deve incentivar sua participação no programa de redução de consumo, enfatizando sua importância ao hotel e ao meio ambiente. Isso sem falar na coleta da água da chuva, no uso de detergentes de menor impacto ambiental, na instalação de sensores infravermelho nas pias...

Em relação a resíduos sólidos, o código do Roteiros de Charme pede a utilização dos três erres da consciência ambiental: reduzir, reutilizar e reciclar. Sempre que possível, o hotel, pousada ou refúgio ecológico, deverá doar o material coletado a cooperativas de catadores e instituições de caridade. Desta forma, ajudará famílias da região e cumprirá, de uma só vez, sua parcela de responsabilidade social e ambiental.

O processo de separação de resíduos para reciclagem deve ser simples e de fácil assimilação aos usuários – hóspedes e colaboradores. O empreendimento deve também "adicionar bactéria consumidora de material orgânico à fossa tradicional, minimizando o impacto ambiental".  Há outras normas a serem cumpridas e você pode conhecê-las, na íntegra, no próprio site da associação ou logo abaixo.


Mais detalhes do Código de Ética e Conduta Ambiental

De acordo com o Roteiros de Charme, os hotéis, ao aplicarem medidas ambientalmente responsáveis, ganham com a redução de custos. Em relação aos colaboradores, a associação afirma que é notável o aumento da auto-estima por tomarem consciência de que fazem parte de um programa ambiental e socialmente importante, cujo sucesso depende deles também. Contentes e satisfeitos com o que fazem, retransmitem os conhecimentos adquiridos às suas famílias, incentivando a prática de medidas como estas em suas próprias casas.


Natureza preservada e bem cuidada é responsabilidade
dos integrantes do Roteiros
(foto: divulgação)


Trilha Cordilheira, do Rosa dos Ventos

É bonito fazer parte do Roteiros de Charme
Uma busca no site Google com o nome da associação entre aspas resultou, até o fechamento desta matéria, 95 mil resultados. Quem faz parte dela é divulgado, tido como confiável no mercado e ainda por cima ganha em status. É bonito fazer parte do Roteiros de Charme.


Pousada da Vigia, em Florianópolis (SC)

Para ingressar na associação, o empreendimento deve preencher outros quesitos. O primeiro diz respeito ao charme, ou seja, à união entre bom gosto e conforto, qualidade nos serviços prestados, localização privilegiada e construção das instalações de forma adequada ao meio ambiente local e à região.


Fachada do hotel Solar do Império, em Petrópolis (RJ): casarão
construído em 1875 é tombado pelo Instituto do
Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

O segundo pede que o meio de hospedagem candidato esteja em funcionamento há pelo menos dois anos sob a mesma administração. Que tenha entre dez e 60 apartamentos e/ou suítes, além de localização em ponto turístico, histórico ou ecológico. Se até então o hotel preencher as exigências, poderá se inscrever por meio de carta à sede do Roteiros de Charme com envio de folhetos, fotografias e até de matérias publicadas pela imprensa. Se chamar a atenção da diretoria, será visitado anonimamente.

Quando se tornam associados, pagam o que é conhecido como Direitos de Entrada. Além disso, são visitados anualmente por membros da diretoria, que conferem se estão ou não cumprindo o padrão de qualidade determinado tanto no âmbito hoteleiro quanto no ambiental e social.


Refúgio ecológico Vale dos Veados, Serra da Bocaina (SP)

Cartas de hóspedes também ajudam a avaliar o empreendimento. Caso não esteja de acordo com as normas, será notificado. Se não resolver o problema, poderá ser desligado do Roteiros de Charme. "Consideramos o desligamento uma grande perda. É como um divórcio, onde ninguém sai ganhando, todos saem perdendo, mas infelizmente algumas vezes é inevitável", afirma a diretora Mônica Borobia.

Marcelo Maestrelli, idealizador do projeto Turismo Responsável afirma que, ao se associar, o hotel ganha a certeza de estar oferecendo aos hóspedes um serviço de qualidade, além de implementar procedimentos que promovem o desenvolvimento sustentável da região e de ganhar divulgação em folders, feiras e eventos. E complementa, dando o parecer sobre a importância ao mercado hoteleiro: "A associação cria padrões de qualidade e abre a possibilidade para qualquer meio de hospedagem fazer parte, desde que cumpra com todas as diretrizes. Isso aumenta a competitividade e promove a melhoria dos serviços ao consumidor".

Portanto, para fazer parte da associação é preciso estar dentro do padrão e cumprir à risca o código de conduta. "A preocupação ambiental é condição para ser admitido e também para permanecer conosco. Um poluidor não tem vaga no Roteiros de Charme", finaliza Mônica.


Registro da integração entre
homens e fauna
(foto: divulgação hotel Santa
Esmeralda,  no Mato Grosso do Sul)

Serviço
www.roteirosdecharme.com.br

Comentários