Sebrae-SP: 53% dos brasileiros pretendem fazer viagens domésticas em 2020

sebrae-sp- pesquisaTuristas têm preferências por destinos de natureza no pós-pandemia

Como já foi apontado, o turismo doméstico deve ganhar força no pós-pandemia. Destinos brasileiros são a aposta do MTur (Ministério do Turismo) para impulsionar o setor e, segundo levantamento realizado pelo Sebrae-SP e TRLV Lab (Laboratório de Inteligência de Mercado em Viagens), essa tendência se confirma. A pesquisa mostrou que cerca de 53% dos turistas brasileiros pretendem fazer viagens nacionais ainda em 2020.

Entre as preferências dos entrevistados estão destinos que ofereçam maior contato com a natureza. As palavras-chave que lideram a pesquisa são: cachoeiras, trilhas, montanha, natureza e cavernas. Somado a isso, há ainda maior inclinação por cidades próximas, que possam ser feitas de carro e com baixa aglomeração.

Além da preferência de destinos, os dados também mostram que cerca de 38% da população pretende viajar com a família após a pandemia e outros 62% já estão pesquisando preços e promoções. Para parcela que já tinha viagem marcada, 45% ainda aguardam os próximos desdobramentos para tomar uma decisão do que fazer, com preferência pela alteração para data futura para 32%. Sobre investimento, a pesquisa também mostra que 33% dos brasileiros mantiveram o orçamento previsto para viagens ainda esse ano.

As perspectivas são favoráveis a regiões como o Vale do Ribeira, que lança um novo olhar para o momento. Exemplo é o Legado das Águas, que criou um Grupo de Trabalho formado por profissionais de diferentes áreas, inclusive com especialistas da Beneficência Portuguesa de São Paulo, para elaborar o plano de reabertura das atividades de ecoturismo na Reserva com segurança.

Neste intuito, as regiões começam a organizar também medidas de segurança. O Legado das Águas adotou as recomendações do Manual de Boas Práticas da Abeta (Associação Brasileira de Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura), e do Plano de Reabertura do governo de São Paulo. William Mendes, gestor de uso público, ecoturismo e esportes do Legado das Águas, explica ainda que a reserva estudou as práticas do mercado de parques e ecoturismo, buscando a troca de experiências com locais que são referência no Brasil, como o Parque Nacional do Iguaçu.

Sebrae-SP: medidas de segurança

Dentre os protocolos para o retorno do ecoturismo na região, estão diversas novas medidas. A exemplo de aferição de temperatura constante, equipamento de proteção individual, remoção de itens em locais de comum acesso que possam causar transmissão indireta do vírus e ainda distanciamento mínimo entre pessoas e reforço de higienização. 

"O Legado das Águas sempre manteve um rigoroso controle de acesso à Reserva, respeitando a capacidade de operação das atividades e o menor impacto possível à floresta. Agora, reforçaremos esse controle incluindo as medidas preventivas. Buscamos as melhores referências para elaborar um protocolo que represente a segurança dos nossos funcionários, operadores das atividades e turistas. Estamos preparados para atender a essa demanda das pessoas que buscarão conforto seguro no período pós-pandemia", diz Mendes.

"É compreensível que, passada a pandemia, as pessoas busquem novos ares como forma de recuperar a saúde emocional. Foram, e ainda estão sendo, dias muito difíceis. As pessoas precisarão de um respiro, recarregar as energias para a voltar à rotina, e a natureza tem essa capacidade. Com isolamento social, as prioridades mudaram. As pessoas vão valorizar mais as experiências, o contato com o outro, uma boa conversa, um banho de floresta. O ecoturismo proporciona essa possibilidade, gera esse bem estar, essa satisfação", complementa David Canassa, diretor da Reservas Votorantim.

(*) Crédito da foto: Divulgação/MTur

(**) Crédito da foto: randomlies/Pixabay

Comentários