Setur-SP mobiliza prefeituras no combate ao coronavírus

setur-spImpedir o avanço da Covid-19 e incentivar a troca de experiências são os objetivos principais

Após lançar uma cartilha de acesso às linhas de crédito de turismo, a Setur-SP (Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo) dá mais uma jogada no combate ao coronavírus. Ontem (14), a pasta promoveu uma reunião virtual com 80 secretários dos 210 principais municípios do estado para alinhar o fortalecimento de medidas de isolamento social e identificar boas práticas de enfrentamento ao Covid-19.

As Secretarias de Desenvolvimento Regional e Habitação participaram da transmissão, que contou com a fala de Vinicius Lummertz, secretário de Turismo. “É fundamental o alinhamento das prefeituras com as diretrizes do Governo de São Paulo”, disse. “O esforço dos 210 municípios turísticos e estâncias é importante para evitar ao máximo a interiorização do coronavírus”, afirmou. Alguns destinos, por exemplo, registraram aumento de visitantes no feriado de Semana Santa e Páscoa, mesmo com hotéis e atrativos fechados.

A troca de experiências durante a reunião foi apontada como positiva por prefeitos e secretários. Daniela de Cássia Santos Brito, prefeita de Monteiro Lobato e presidente da Amitesp (Associação dos Municípios de Interesse Turístico do Estado de São Paulo), foi a primeira a falar. Apontou a dificuldade legal das compras consorciadas, envolvendo mais uma cidade. Com menos de cinco mil habitantes, Monteiro Lobato não tem volume para a compra de itens de proteção para a rede pública essencial, o que aumenta os valores.

Distante 448 quilômetros de Monteiro Lobato, Luciano Dami, secretário de Cultura e Turismo de Batatais, informou que sua região superou essa dificuldade e as compras já estão sendo feitas no formato consorciado. Dami informou ainda que a ETEC local está produzindo equipamentos de proteção individual (EPIs) com o uso de impressoras 3D e se prontificou em passar os contados para os interessados.

Setur-SP: mutirão de máscaras

A sessão mostrou como alguns municípios estão se organizando para o atendimento das demandas mais emergentes. Dois Córregos, no centro do Estado, está montando um alojamento para o isolamento de profissionais de saúde que tenham contato com o vírus, produzindo aventais e distribuindo kits de limpeza para a população vulnerável. Queluz, próxima à divisa com o Rio de Janeiro, e Barra do Turvo, no limite com o Paraná, estão entregando kits de alimentação para os alunos da rede municipal que ficaram sem merenda. Já Ribeirão Grande, distante 244 quilômetros da capital, inovou a alimentação para os desempregados e grupos de risco: a cesta é composta por oito itens comprados dos produtores rurais do município.

É a fabricação de máscaras, contudo, que está fazendo mais sucesso. Além da produção em polos tradicionais de confecção, como Ibitinga, capital dos bordados, ou Tabatinga, capital do bicho de pelúcia, também estão sendo feitas e distribuídas em Campos do Jordão, Piracaia e São Bento do Sapucaí.

A Secretaria de Turismo quer manter esse contato regular com as prefeituras dos destinos turísticos para avaliar o controle da pandemia, já que algumas têm no consumo dos visitantes a base de sua economia. “É importante a liderança local para esta mobilização, seja da população que deve ficar em casa, seja do setor privado que, afinado com as necessidades do setor público, pode contribuir para esse enfrentamento”, disse Lummertz. Durante o encontro muitos prefeitos também apresentaram pleitos que estão sendo analisados pela Secretaria.

(*) Crédito da foto: Arquivo HN

Comentários