STR: hotelaria africana vai bem em fevereiro

STR - Sharm El Sheikh_EgitoSharm el-Sheikh, no Egito, fica à beira do Mar Vermelho

A hotelaria africana teve motivos para festejar em fevereiro. Repetindo o feito do mercado europeu, os hotéis do continente fecharam o mês com alta nos três principais indicadores do setor. Destaque para a cidade egípcia de Sharm el-Sheikh, apontam analistas da STR.

Os hotéis africanos apresentaram crescimento de 2,2% em fevereiro frente igual período de 2018, a 61,9%. Já a diária média avançou 4,3% na mesma base de comparação, fechando o mês a US$ 117,42. A boa performance nos dois indicadores puxou para cima o RevPar, que subiu 6,6% na comparação anual, para US$ 72,67.

STR: Sharm el-Sheikh

Destino localizado às margens do Mar Vermelho, a cidade egípcia vêm se beneficiando da melhora na malha aérea local. Há alguns anos, muitas empresas aéreas haviam cancelado voos para lá em função de ataques terroristas em 2015. Hoje, empresas como Turkish Airlines e Egyptair, entre outras, ofertam rotas a partir de várias cidades europeias. Assim, com a retomada, a STR identificou alta de 32,5% na demanda (room nights vendidos) em fevereiro.

Em outra consequência da melhora da malha aérea, Sharm el-Sheikh teve crescimento de dois dígitos na demanda em 21 dos últimos 26 meses. Em função disso, os hotéis locais estão aumentando a diária média. Em fevereiro, o indicador teve o valor absoluto mais alto para o mês   desde o início da série histórica da STR. Além disso, foi a segunda melhor performance mais alta da história, atrás de agosto de 2018.

Em franca recuperação, Sharm el-Sheikh fechou fevereiro com alta de 32,5% na ocupação, a  47,7%. Já diária média e RevPar tiveram crescimentos expressivos. Enquanto o primeiro indicador subiu 66,7% (para 1.273,94 libras egípcias), o segundo cresceu impressionantes 121% (para 608,20 libras egípcias). A base de comparação é sempre anual.

(*) Crédito da foto: Divulgação/imageoptmizer.net

Comentários