Tauá Resorts investe R$ 20 milhões em um parque aquático indoor

Tauá Resorts - imagem parque aquáticoParque aquático ocupará uma área de 4 mil m²

Em outubro, a Tauá Resorts inicia as obras de um parque aquático indoor no Tauá Hotel & Convention Atibaia (SP). Com previsão de abertura para julho de 2019, o espaço terá 4 mil metros quadrados de área (m²) e será parecido com a imagem ilustrativa acima. O projeto, que custará R$ 20 milhões, é o primeiro da rede nesse tipo de infraestrutura, como explica Daniel Chequer, diretor Financeiro da empresa.

“Nosso plano é inaugurar um parque aquático indoor em cada resort da rede”, explica o executivo. Para execução do projeto, a Tauá Resorts contratou a Polin Waterparks, empresa turca especializada em equipamentos para parques aquáticos, que será parceira nas demais empreitadas. “Em 2020, será no Tauá Caeté. E, em 2021, no Tauá Alexânia”, completa.

Segundo Chequer, a ideia para a construção de um parque aquático nos resorts da rede começou a ser maturada há um ano. “Seis meses atrás o projeto ganhou corpo e passamos a procurar fornecedores. Contratamos o Carlos Mauad, que tem grande experiência e desenhou os parques aquáticos do Rio Quente Resorts e da Mabu Hotéis & Resorts”, revela.

Chequer conta que, há três meses, as pessoas envolvidas no projeto fizeram uma viagem de benchmarking por alguns resorts nos Estados Unidos. “Visitamos o Wisconsin Dells, um dos maiores parques aquático do mundo, além de empreendimentos em Poconos, na Filadélfia, e no estado de Nova York”, revela.

Tauá Resorts: por que indoor?

O diretor da rede mineira destaca que, com o parque indoor, a empresa se diferencia no mercado. Mas não é só isso. “Temos um clima frio em Atibaia no inverno, são quatro meses no ano. Então, o parque aquático será um grande diferencial para a unidade”, avalia. “Além disso, durante o verão, o Sudeste tem muitas chuvas, o que leva muitos turistas para os resorts do Nordeste. Agora, garantiremos a diversão dos hóspedes o ano inteiro”, completa.

O parque, que será construído atrás da Jota City, será climatizado e desumidificado. Além disso, prevê quatro diferentes áreas: baby, até três anos; principal, que atenderá a crianças a partir de quatro anos e adultos; um spa com piscina a 40 graus; e um bar temático.

O espaço terá ainda cinco grandes equipamentos, sendo que o maior deles possuiu oito toboáguas. O parque aquático poderá receber excursões escolares e grupos, de segunda-feira a sexta-feira. “Esses grupos de crianças não superlotarão o espaço, mesmo se estivermos com o hotel cheio com um evento. Além disso, ele fica na direção oposto ao nosso centro de convenções, não atrapalhando a circulação de hóspedes”, comenta Chequer.   

O executivo revela também que a expectativa é muito grande na rede, que teve incremento de 10% na receita no primeiro semestre. “A ocupação média de resorts no Brasil não é tão grande como no exterior, e não tem ligação com crise. Embora nosso desempenho seja bom, temos espaços ociosos. É aquilo: você não vende mais o quarto de ontem”, brinca. “Acreditamos que teremos rápido retorno de investimento para gerar mais ocupação”, acrescenta.

(*) Crédito da foto e capa: Divulgação/Polin Waterparks

(**) Crédito da foto: Divulgação/Tauá Resorts

Comentários