The Phocuswright Conference: Oyo destaca expansão e encara questionamentos

De Hollywood, Miami, Estados Unidos*

Phocuswright Conference - Oyo Hotels_Ritesh AgarwalMais sólido: Agarwal destacou dados do balanço financeiro da rede indiana

Pelo segundo ano consecutivo, Ritesh Agarwal, fundador e CEO da Oyo Hotels & Homes, participa da The Phocuswrigt Conference. Se, no ano passado, a rede indiana destacou a expansão na Europa, em 2019 foi oportunidade de falar sobre a chegada no mercado americano. Ao mesmo tempo, quando foi entrevistado por Hichame Assi, da Kayak, e Maggie Rauch, da Phocuswright, teve que encarar questionamentos ao modelo de negócio da empresa.

Nos Estados Unidos, em apenas oito meses, a rede indiana passou de um para mais de 200 hotéis em 75 cidades americanas. “Em paralelo, solidificamos nossa presença na Ásia. Hoje, segundo a STR, somos a rede líder em número de quartos na região”, acrescentou Agarwal. “Mais ainda, somos hoje a segunda rede hoteleira com maior número de apartamentos no portfólio, com 1,3 milhão de apartamentos”, acrescentou.

De fato, o slogan “fastest-growing hotel chain” está longe de ser um exagero. Agora, é possível continuar escalando o negócio dessa forma e com essa velocidade indefinidamente? Sim, a pergunta faz todo sentido, uma vez que a rede indiana precisa de volume, até por atuar no segmento econômico, mas na hora que o crescimento desacelerar, o que uma hora ou outra vai ocorrer, o que acontecerá?

Agarwal apontou o caminho: tecnologia. “Uso de dados e inteligência artificial para entregar boa experiência aos hóspedes e bons resultados para os proprietários”, comentou. Em paralelo, apresentou números do balanço financeiro da companhia. Na Índia, por exemplo, o prejuízo líquido vem cedendo, o que leva a crer que o breakeven do negócio em algumas praças pode estar se aproximando.

The Phocuswright Conference: Oyo e as críticas

De fato, a maior estabilidade financeira e a constante expansão são indicativos relevantes de solidez da startup indiana de hospedagem. No entanto, é impossível olhar para esse crescimento e não pensar também na operação e na experiência entregue ao cliente. Como garantir qualidade e um mínimo de padronização? Mais ainda, a relação com tantos proprietários também merece atenção. 

“Há necessidade de melhorar, especialmente na relação com os proprietários e na percepção deles sobre o que entregamos”, reconheceu. “Investimos nos ativos deles, adaptamos suas propriedades ao nosso padrão, o que varia de acordo com as demandas de cada região onde atuamos. No fim de tudo, isso também reflete na experiência do hóspede. Trabalhamos para que ambos vejam valor nisso”, finaliza. 

(*) Crédito das fotos: Vinicius Medeiros/Hotelier News

Comentários