Transamérica Comandatuba (BA): mais do que hotel, um destino

Transamerica_aberturaA baiana com todo o seu gingado saúda os hóspedes que chegam ao píer do Transamérica Comandatuba (BA) (fotos: Délia Coutinho e Cristiano Macchi)

Em meados da década de 1980 a Ilha de Comandatuba - parte do município de Una, ao sul da Bahia - não passava de uma grande reserva de Mata Atlântica até então inexplorada. À época iniciou-se a construção do Transamérica Comandatuba, ocupando 2 dos 8 milhões de mque englobam toda a ilha. Após quatro anos de obras, o resort abriu as portas em 1989, quando boa parte de seus concorrentes e conterrâneos ainda não existiam. Dez anos depois, em 1999, foi inaugurado o primeiro aeroporto privativo de resort do País, apto a receber aviões fretados de qualquer porte - notadamente no local. Quem aterrissa por lá chega ao balcão do check-in num espaço de 15 minutos, enquanto que as malas seguem direto para o quarto. Uma comodidade e tanto. Outra opção foi a vivenciada por quem vos escreve: descer no aeroporto de Ilhéus, fazer o traslado de carro oferecido pelo hotel por um hora e a travessia de barco que dura só dez minutinhos, graças à proximidade da ilha com o continente. Vale a pena ver de perto o que é este megacomplexo. Por Délia Coutinho*

Comece conferindo os primeiros cliques da chegada ao resort. Não se esqueça de clicar na primeira imagem para acessar a galeria

Confira aqui cliques do bloco principal onde fica o lobby de entrada

Dotado de um ecossistema diverso e bem preservado ao seu redor, que inclui rio, manguezais, Mata Atlântica e 21 km de praia, o Transamérica Comandatuba tem tudo o que um grande meio de hospedagem 'pé na areia' oferece para a diversão da família. O lazer inclui uma infinidade de esportes náuticos, passeios dentro da ilha, como a visita ao Poço da Lama Negra, golfe, tênis, squash, futebol, spa, academia, spinning, piscinas... Aqueles que desejam apenas relaxar e contemplar a natureza vão encontrar uma imensa área de coqueirais e uma praia praticamente privativa. Para mim, que venho 'passando em revista' esse litoral baiano e seus resorts há alguns anos, vem ficando cada vez mais difícil encontrar alguma novidade. Foi nessa incessante busca por novas experiências (quase que um combustível para minhas viagens) que optei pelo passeio do Poço da Lama Negra. O resort oferece o traslado de lancha para grupos visitarem o local, saindo do pier, em direção ao ponto do rio onde encaramos um banho de lama. Vale fazer pouco caso do cheirinho de enxofre e esfregar a pasta deslizante na pele. Segundo dizem por lá, a lama tem propriedades hidratantes. Medicinal ou não, a brincadeira vale a pena. Totalmente 'negros', fomos do rio ao encontro do mar para um banho nas ondas. Depois retornamos de barco pelo braço do rio entre os mangues. Ao todo, o passeio dura cerca de uma hora.  Quem preferir pode chegar nesse mesmo local de veículo motorizado - como quadriciclo. O mais importante e que não custa sempre lembrar: protetor solar é imprescindível. Resort é quase sinônimo de território livre para a criançada, e no  Transamérica não poderia ser diferente. Indo além do tradicional kids club com  piscina e restaurante só para pequenos, o resort criou oportunidade para que os pequenos frequentem o spa - espaço normalmente restrito aos pais. Uma área exclusiva com serviços como massagem na cabeça e ombros e pintura de unhas foi criada para atender ao cliente mirim que anda cada vez mais exigente.

Clique na primeira imagem para conhecer um pouco do spa do Comandatuba

Ademais, o spa não difere muito dos encontrados nos outros hotéis. Tem operação terceirizada, comercializa produtos importados, conta com menu de tratamos dos exóticos aos tradicionais e trabalha com mão de obra local (ainda bem). Lá experimentei uma massagem energizante, depois de 'desconectar do mundo' relaxando numa das chaises. Nessa área, que inclui o conjunto de piscinas e hidros, a circulação de crianças não é permitida. Sendo assim, o silêncio impera. Como sempre, os serviços do spa têm custo cobrado a parte, são bem salgadinhos e o hóspede  ganha acesso livre às suas 'piscinas calmas' após a compra de um dos tratamentos. Esporte e lazer

Transamerica_GolfeInaugurado em 2000, o campo de golfe figura na lista dos melhores campos oficiais para golfistas no Brasil foto: (divulgação)

Tudo isso (aeroporto próprio, passeios diversos sem sair da ilha, equipamentos de lazer e esporte,  hospitalidade baiana) faz do resort um destino por si só, frequentado sobretudo por visitantes do Sudeste. Com alto índice de habitues, quem vem retorna tanto pela estrutura completa somada ao cenário paradisíaco, como também pela qualidade do serviço prestado. "Temos famílias que fazem questão de solicitar sempre a mesma baby sitter no ato da reserva", exemplificou o relações públicas do hotel, Araújo.

Veja algumas imagens da área externa

Eventos Uma média de 30% do público que passa pelo meio de hospedagem tem o business como motivação. São viajantes de incentivo, turistas de eventos, de grandes convenções, que muitas vezes ocupam todo o resort e suas 366 UHs. Tal demanda ganhou ainda mais força desde outubro de 2012, mês da inauguração do Centro de Eventos, um projeto de grandes proporções que consumiu  investimento de R$30 milhões, tendo área construída de 8,5 mil m². Além do centro com infraestrutura de ponta para atender grandes empresas, o resort oferece espaço de sobra para a montagem de tendas ao ar livre que servem de sede para jantares, festas temáticas, shows, entre outras atividades. “Podemos dizer que no ano passado o público estava dividido entre 70% lazer e 30% corporativo. Hoje, após o lançamento do novo Centro de Convenções e Eventos, estamos sentindo uma mudança. Nossa expectativa é chegar aos 50% eventos e 50% lazer”, declarou o diretor do resort, Thomas Humpert.

Clique na primeira foto para ver as áreas de convenção do meio de hospedagem

Um ponto importante que vale frisar: a abertura do Centro de Eventos beneficiou indiretamente os turistas de lazer. O porquê? Antes as salas de eventos ficavam próximas ao bloco de apartamentos, o que invariavelmente causava incômodos aos outros hóspedes. Agora,  os eventos e toda a sua necessária parafernália, como os caminhões circulando, ficam isolados com boa distância das outras áreas.

Transamerica_CentroEventosVista aérea do Centro de Eventos inaugurado em 2012 (foto: divulgação)

A&B Inserido num mercado tão competitivo, o veterano Comandatuba consegue a façanha de se manter com uma das maiores DMs do segmento no País sem aderir ao sistema all inclusive de Alimentos & Bebidas. Para a fatia de lazer, o mais comum é a venda do pacote com meia pensão. Já para eventos há opções customizadas, que normalmente não incluem bebidas à vontade. A qualidade dos restaurantes e dos bufê é visivelmente superior à da boa parcela dos resorts que trabalham no sistema tudo incluso, algo que faz a diferença na conquista do público mais exigente. O hotel possui um restaurante principal no prédio central onde são servidos o café da manhã, o almoço e o jantar em sistema bufê. O hóspede tem a opção de variar indo ao Restaurante da Praia, que oferece cardápio à la carte com opções de frutos do mar, culinária baiana e internacional, além de serviço de pizzas a noite. Cada hóspede ganha R$ 20 de crédito na conta. Nos períodos de alta ocupação, mais dois espaços gastronômicos podem ser ativados a depender da demanda. Há também bares na piscina, no lobby e na boate que funciona no pier. O café da manhã ganha todos os prêmios de melhor refeição, ao menos para mim, tamanha a variedade e qualidade do bufê oferecido. O restaurante da praia, por sua vez, é uma boa alternativa para casais que desejam ter o prazer da refeição num ambiente mais intimista. Indico para o almoço a dobradinha Casquinha de siri + Moqueca de camarão, provados e aprovados, diga-se de passagem, por uma legítima baiana. É claro que a comodidade do consumo livre de bebidas  faz falta para quem já experimentou esse sistema, mas o resort tenta suprir a lacuna com seus diferenciais de qualidade. Tenta e, na maioria das vezes, consegue.

Confira, clicando na primeira imagem, um pouco da gastronomia do Comandatuba

Habitações A quantidade de categorias de UH é tanta que pode até causar confusão para os agentes de viagem na hora da venda. Em primeiro lugar o hóspede tem de optar entre um dos apartamentos/suítes do bloco principal ou um dos bangalôs que ficam mais próximos ao spa, ao golfe e à praia. Depois é só escolher entre as 11 categorias: apartamento superior, Apartamento luxo (ala sul), apartamento luxo (ala leste), apartamento para pessoas com necessidades especiais, suíte superior, suíte luxo, suíte júnior, bangalô superior, bangalô luxo, bangalô sênior e bangalô master. Ao todo são 255 acomodações do tipo apartamento e mais 111 em bangalôs. De acordo com o perfil de hóspede há predileções formadas: os participantes de eventos preferem os apartamentos luxo, já golfistas procuram bastante pelos apartamentos luxo da ala leste ou bangalôs que estão mais próximos ao campo. Famílias têm como opção os apartamentos com sofá cama ou  bangalôs conjugados, sendo o bangalô superior a opção com tarifa mais baixa. As suítes são mais indicadas para casais, pois não possuem leito para criança no mesmo espaço. Qualquer que seja a escolha do cliente ele terá acesso à internet wi-fi grátis na UH e serviço de room service 24 horas. Por falar em wi-fi, testamos o sinal em várias áreas, na piscina e no meio do coqueiral, e não ficamos decepcionados, pois o sinal lá é muito bom.

Veja alguns dos muitos apartamentos

Impossível falar do Transamérica Comandatuba sem lembrar da sua contribuição social para com a região. A maioria dos funcionários são moradores da  comunidade da ilha ou das cidades de Una e Canavieiras. Até as poucas pequenas pousadas que ficam em Comandatuba são demandadas pelo resort, servindo basicamente para hospedar as equipes de montagem e funcionários ligados aos eventos que ocorrem lá. Serviço Transamérica Comandatuba Una-BA 0800 012 6060 www.transamerica.com.br * A equipe do Hôtelier News viajou a Comandatuba a convite do resort

Comentários